23 de setembro de 2012

Análise Pessoal da Demo de Resident Evil 6

 

Salve salve galera.


Andei meio sumido, mas é por uma boa causa, é que ando meio desgastado com trabalho e tento jogar bastante de uns tempos pra cá. Pena que nem sempre existe possibilidade para tal feito.

Enfim, o que se passa é que depois de comprar um PS3 e mante-lo bloqueado.

Mas não por causa desse discurso politicamente correto de antipirataria e mimimi.

A realidade é que eu não ganho o bastante pra sustentar um console original, mas o PS3 tem vantagens como jogar online e pra quem gosta de jogos de luta isso é ótimo.

Afinal de contas, poucos amigos meus gostam disso e eu não vou jogar esse tipo de jogo só pra ver final a vida inteira.

Mas com isso vieram muitas vantagens, entre elas o recurso da PSN de download de demos, e eu tive a incrível chance de jogar a demo do Resident Evil  6.


E simplesmente foi fantástico. Santificada seja a Capcom.

Primeiramente, o jogo é uma notável evolução do seu anterior.

Diga-se de passagem que a meu ver a série evoluiu muito, e eu acho que os primeiros jogos dela foram um grande amontoado de fezes e no Resident Evil 4 a série começou a melhorar, passando pelo 5 que é uma grande evolução à seu anterior.

E agora tem um jogo que de tão incrível as palavras não encontraram adjetivos o bastante pra ele.

Simplesmente tudo nele está melhor. Tudo mesmo, gráfico, jogabilidade, trilha sonora e provávelmente história também.

Apesar de que não me ligo muito em gráficos, eu dou muito mais importância ao gameplay, mas o gráfico tá lindo e caprichado mas não acredito ser um dos melhores do ano, honestamente.

Mas sem dúvidas a melhor parte é sem dúvidas a presença de três campanhas individuais.


Pra quem gostava de zumbis e coisas mais clássicas da série como a busca por chaves, lugares escuros e elementos de sobrevivência assim como era presente nos primeiros da série. Zumbis estavam sumidos a um bom tempo dando lugares a pessoas infectadas. De fato, são zumbis de volta, como a Capcom também prometeu.

Isso se encontra na campanha de Leon e Helena, como prometido pela Capcom antes dos trailers e da demo do jogo. Porém adaptado ao novo sistema que é totalmente voltado pra ação ao invés de totalmente sobrevivência. Somente elementos foram adicionados, entre eles a falta de balas pra quantidade de inimigos absurda presente.


E pra quem gostava do jogo do quinto jogo da série, complemente voltado pra ação, como é o meu caso, com muitos inimigos, muitas balas, fases um tanto quanto lineares e com zumbis e mostros gigantes, infectados e tudo mais.

A campanha do Chris faz bem esse papel, ele e Piers são os personagens desse arco e que promete ter MUITO mais ação no jogo que seu anterior.

Muito mais mesmo.


E Jake Muller e Sherry Birkin são a grande novidade, pela volta de Sherry e principalmente por Jake, o filho de Albert Wesker. O jogo dele será a grande novidade pelo fato de ter mais energia vital que os outros protagonistas, habilidade de regeneração e recursos de pancadaria literal e uma dificuldade fora do normal.

Sério, dá pra passar muito aperto no jogo do Jake mesmo se adaptando aos novos comandos.

E falando neles, os novos recursos durante o jogo é que agora tem um botão que serve só pra bater e finalizar os inimigos deitados, agora o modo de usar ervas para se curar no inventário é diferente, é como se você jogasse a erva pro cinto ou qualquer coisa do tipo, e na hora de curar (apertando um botão somente pra isso, no PS3 o R2) o personagem coloca a cápsula (feita da erva, claro) na mão e joga guela abaixo, o personagem tem uma barra de cansaço que serve pra usar o botão de bater, e correr.

Correr nesse jogo ficou muito foda, vale a pena conferir. E a nova mira que é similar a de jogos de tiros comum (mas ainda podemos usar a laser, basta alterar as opções no menu).

E o modo cooperativo foi mantido de forma intacta. E se houve alterações a demo não mostrou.

Uma que eu não sei a reação da grande maioria que foi rolar no chão e se jogar. Agora podemos correr, se jogar, rolar e meter tiro a doidado. Achei muito bacana.


Mas sem dúvidas a grande novidade foi andar e atirar.

Olha, pra ser sincero, eu nunca senti falta disso, acho que se não houvesse não faria a MENOR diferença, mas eu gostei pra ser sincero, foi muito bem feito mesmo. Funciona fluentemente.

Uma coisa que eu notei foi a dificuldade dos inimigos, bem maior agora. Por que no 4 e 5 você andava, parava e atirava, e pra equilibrar isso, os inimigos faziam exatamente isso, paravam em sua frente, e depois atacavam... mas agora com o jogo TOTALMENTE em ação e com recursos de andar e atirar...

Os zumbis não tem piedade. Eles chegam te batendo mesmo, mas ao menos na demo às vezes eles ficavam simplesmente parados... com direito a passar por cima ou do lado deles. E nada de reação.

Eu torço pra que seja um bug da demo, por que adorei o fato dos inimigos chegarem espancando sem medo de ser feliz.

Detalhes do roteiro sequer foram anunciados, muito pouca coisa acontece na demo de forma que possamos entender algo, mas o trailer mostrava um confronto entre Chris e Leon por causa da Ada Wong.

O por que disso também não foi revelado.


Como eu disse. Nada mesmo.

Mas Resident Evil nunca teve lá suas histórias marcantes mesmo, o foco sempre foi gameplay, mas esse jogo eu deposito minha expectativa de ter um roteiro bem trabalhado pelo simples fato de ter 3 campanhas interligadas e em determinado momento uma dupla se encontra com a outra durante o jogo.

Porém esperar roteiro da Capcom é tão útil quanto acreditar no caráter de políticos brasileiros.

Então, após o lançamento, como eu não aguentarei uma possível atualização QUE COM CERTEZA VIRÁ mesmo, acabarei comprando o jogo em seu lançamento e foda-se o mundo.

Depois disso faço review aqui no blog. É claro.


E eu imagino o quanto os fãs clássicos da série deve estar esperniando cada vez mais, pelo fato de que cada jogo que se passa Resident Evil se torna mais ação e menos Survival Horror, mas ao menos esse jogo ainda tem certas dosagens que pode agradar os mais flexíveis ao menos.

E eu não sei vocês, mas a possibilidade de jogar com Leon e Chris no mesmo jogo é uma puta dádiva dos ninjas.

E EU QUERO MUITO ISSO!!!!!

6 comentários:

Bruna Geronimo disse...

Beela análise!
O jogo com toda certeza deve ser muito foda!
Me deu uma puta vontade de jogar! hahaha
E sim, Resident começou a ficar bom e empolgante após o 4!
Vou aí jogar com vc hein! Bj ;*

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

se você gostou da demo, bom para você...e tu achou os games anteriores RE 1,2 e 3 um merda??? e o 4 e 5 achasse genial???

gosto é gosto.

Juninho! disse...

Sim, gosto é gosto. E de fato, os antigos são ruins mesmo.

Logan disse...

Olha Juninho, sei que o Blog é seu e é minha primeira vez aqui, mas com todo o respeito, e meu passado de mais ou menos uns 25 anos jogando games (tenho 35) tenho que discordar de sua afirmação de que todos os anteriores eram ruins mesmo. Mas pra mim Resident Evil sempre foi sinônimo de jogo tenso e enigmático, como eram os antecessores e na minha opinião isso tudo começou a se perder a partir de RE4. Acabou-se a angústia de procurar chaves, segredos, munição...que a série deu uma revolucionada isso é certo, mas era de se esperar com esses consoles novos! Mas o que se ganhou em gráficos, sons e multiplayer talvez tenha se perdido em diversão. O que se faz agora é atirar, correr, pular e assistir vídeos em alta resolução. Mas essa é minha opinião.
Abraço!

Juninho! disse...

Sem problemas meu caro, o que me desanima em geral dos jogos antigos da série não é exatamente o fato de procurar chaves ou mesmo resolver enigmas, o grande problema ta na mecânica da série, ela é HORRENDA.

E isso como eu já falei, no meu ponto de vista.

Caso aconteça o remake do 2 como a Capcom anunciou grande possibilidade, por mim podem deixar tudo como está com outro gameplay, outra jogabilidade. Principalmente se for com as novas que vem sendo melhoradas.

Resident Evil melhorou muito no 4 e 5. O 4 por sua vez ainda que com pouco clima de suspense e poucos enigmas eu me diverti a beça e gostei muito. E por que ? Por que a mecânica dele é jogável, você pode jogar e se divertir sem ter que fazer um rebolado pra poder andar. Já que nos antigos andar e direcionar o personagem era uma grande bosta.

Tão ruim, que a Capcom já anunciou que o Remake seria com nova jogabilidade, por que aquela é ruim demais, talvez boa pra sua época mas ainda assim ruim, estressante e nada motivadora pra jogadores casuais.

E consoles atuais são bons em gráficos sim, mas apesar de que eu também sou velho no ramo (não tanto como você). Eu acho que muitos jogos só tem gráfico mesmo, outros só músicas boas e etc, mas o Resident Evil 4 e 5 deram tão certo que a fórmula se repetiu, e no 6 terão 3 gameplays distintos pra atrair todos os jogadores, mas ainda assim com base no 5.

Concordo claramente com isso que jogos hoje em dia tem mais gráfico que tudo, mas eu posso afirmar que Resident Evil não é um deles. Afinal de contas, existe uma procura absurda, venda absurda e compra altíssima.

Não que a simples venda seja o meu argumento e sim que MUITOS fãs antigos entendem a mudança, e compreendem sua evolução e ainda assim gostam da série, outros gostam mais hoje em dia.

Entretanto, é mais questão de ponto de vista mesmo, mas de toda forma obrigado por comentar xD

Ana disse...

Adorei a sua análise pessoal, também gostei muito do game, bem bacana pois eles trouxeram as coisas clássicas unindo com as dos games mais recentes, pena que muita gente não curte, os fãs saudosistas tem uma certa resistência, mas eu não critico eles pois antes de jogar o 6 pensava da mesma forma.
Bjs =*