8 de abril de 2013

Final Fantasy 8 - O Início da Queda!


Final Fantasy, franquia de roteiros questionáveis e personagens com cara de porcelana de um certo ponto em diante...

Vale deixar BEM CLARO, que esse post é o que eu acho desse jogo, e minha opinião sobre ele não é das melhores possíveis e sequer o vangloria como muitos dizem, se é um fã putinha disposto a comentar tranqueiras, sinta-se a vontade para fazer isso e ler respostas à altura ou ter comentários deletados, ignorados, etc.

Primeiramente, época de vacas magras à parte, tudo começou em 1987 com propostas inovadoras e um tanto quanto ambiciosas, salvando a antiga Square nas épocas de fundo de garagem de uma possível ruína...

E assim nasceu Final Fantasy, uma franquia que pra sua época revolucionou o mercado dos RPG's e fez os nerds de todo mundo vibrarem em pleno Nintendinho.


Os anos se passaram e com isso vieram Final Fantasy II e III que são pouco melhores que o primeiro e ainda mantinha a ideia super simples da franquia de modo geral.

Com isso, no Super Nintendo, veio o IV, apesar de que era tão simples quanto os outros, tinha pouco mais a oferecer em todos os aspectos. E com V veio uma tacada absolutamente voltada pro gameplay com uma história tão simples que poderia ser considerada uma continuação espiritual do primeiro game...

Antes de me matarem pelo que acabei de falar, quero deixar claro que mesmo não curtindo muito as histórias iniciais (e nem as que vieram depois do VII mas deixa baixo) eu entendo MUITO bem que era uma época ruim pra esses jogos na época e que esses jogos são o que são devido à sua época e a pouca exigência do público quanto à isso, não havia tanta cobrança em criar um roteiro muito maduro e a ideia dos cristais era a melhor disponível.


Porém, tudo mudou com Final Fantasy VI, eu e meus amigos deduzimos que foi algo assim:

"Já temos gameplay do caralho, umas ideias pra OST bacanas, vamos por um roteiro, algo tipo... UMA HISTÓRIA BOA, vamos ver o que acontece ?"

E assim nascia o sexto game, que no meu ponto de vista tem a melhor jogabilidade da série de forma disparada.

Partindo dessa ideia de uma história boa, resolveram dar a próxima tacada no Nintendo 64 e cancelaram alegando que o jogo tinha coisas demais pra caber num cartucho da Nintendo da época e migraram o projeto para o PlayStation e assim nascia o melhor jogo da franquia.

FINAL FANTASY VII! PORRA!

Apesar do leve regresso em questões de jogabilidade, digo em questões práticas, a história evoluiu MUITO, ganhou um roteiro maduro, personagens ainda mais carismáticos que em seu jogo anterior, uma complexidade de roteiro vista em poucos jogos de sua época e dessa vez com imensos recursos além da jogabilidade e história comum, como matérias e eventos extras para serem feitos.

Isso sem contar que FF7 tem os mini-games mais divertidos que já vi num RPG, não sei como fizeram isso, porque esse tipo de coisa geralmente não faz diferença ou é chato pra caralho...

Mas eu falarei dessa maravilha outro dia, afinal de contas, a postagem é sobre o oitavo jogo da série, e eu irei falar dele!


Começando com a imagem acima. Que por sinal só terá graça pra quem jogou...

De volta ao que interessa...

Essa ideia IMBECIL da cara de porcelana nos personagens começou onde ?

Adivinha ??

Nesse jogo! Exatamente nesse jogo!

Você deve estar se perguntando:

"Nossa, que radical o Juninho, por que será que ele odeia tanto esse clássico ?"

Se querem saber, sigam-me os bons!

Aviso aos navegantes: esse post contém spoilers fortíssimos sobre a série, mas como é clichê pra cacete, você nem precisa se preocupar com isso.

Certo ? Agora vamos ao roteiro e mecânica presentes no jogo!

Olha, esse roteiro foi MUITÍSSIMO mal escrito, com muitas incoerências e buracos durante o jogo que são totalmente ignorados e muitas das vezes o jogo manda um recado subliminar assim:

"Foda-se você jogador, não vamos explicar isso, é assim mesmo, porque sim e pronto!"

Sei que você não acredita em mim inicialmente, mas darei argumentos que provam minha tese.

O jogo se passa num mundo futurista onde a tecnologia dominou geral e existem uma espécie de "escola" de mercenários, que no jogo são conhecidos como SeeD's. E por que se aprende a ser mercenário é um mistério.

O recluso e a sem sal. Combinação perfeita!

E o único modo de ganhar dinheiro durante o jogo é evoluir seu rank de mercenário e ganhar seu "salário", com um sistema de responder questões de provas dentro do Tutorial do jogo...

Ooooooooh céus... por que ?!?!?!?!?!?!

Outra coisa criativa e não lá muito bem usada é o sistema de armas, cada personagem tem arma específica e somente "aprimora" ela, porém não é algo bem usado e divertido como Chrono Cross (lembra do Zappa, pois é...), é algo massante e que se aprende o que deve ser feito por REVISTAS que se acha ou compra durante o jogo.

REVISTAS!!! SÉRIO!!! PORRA SQUARE!!!

E o pior de tudo que o único jeito de causar dano é ficar buscando os itens malucos e aprimorar as armas e LEVEL NESSE JOGO NÃO QUER DIZER NADA EM DANO.

NADA!!!

Parece filme da sessão da tarde.... Sim ou claro ?

Level te faz ter muito HP e nada mais.

Outra coisa digamos... sinistra! É o fato de que os Guardian Forces, ou GF's como são citados no jogo (que na verdade são os Summons, Aeons, Espers, GF's, tudo a mesma coisa...) são seres vivos do planeta que não se misturam com os humanos mas que se aliam ao seu grupo mais uma vez "por que sim".

Mais estranho que isso é no começo a Quistis falando com Squall pra "pegar os GF's dele".

Assim, Squall tira eles de uma gaveta da sua mesa no começo do jogo, ele deveria ser físico...

E pequeno pra poder ser pegado de uma gavetinha.

O que me leva a crer que os Summons desse jogo são pequenos bonequinhos e que na verdade foram o protótipo da ideia do anime Bakugan.

Se você assistiu Bakugan por curiosidade ou por acidente (meu caso) sabe do que estou falando...

Mas se você não viu essa desgraça universal. Fique sem entender. Vai ser melhor assim!

MAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAASSSS...

O mais bizarro é que você deveria invoca-los de bonecos, porém eles ficam ALOJADOS NO CÉREBRO dos personagens, justificando até mesmo a perda de memória de quase todos os membros do grupo, por ficar alojadado na zona cerebral onde se localizam as lembranças...

PUTA QUE PARIU!!!

ESSA É SEM DÚVIDAS A PIOR DESCULPA QUE EU JÁ VI PRA JUSTIFICAR MEIA DÚZIA DE DESMEMORIADOS!

Educação é o forte desse garoto.

Se tiver duvidando de mim, o que eu sei que está. Em especial os fãs mais alienados do jogo... a prova está exatamente aqui.

Será necessário um pouco de inglês. Mas se tiver uma noção básica ficará de fácil entendimento. E não é necessário ver muito, deixei marcado no ponto que é necessário ler, com mais ou menos 1 minuto do ponto que eu deixei o vídeo será o bastante pra ver que eu digo a verdade.

Porém, se observarmos...

A Square tem algum tipo de tara com personagens principais sem memória, por que foram cinco em sequência... Terra, Cloud, Squall, Zidane e Tidus. Mesmo que os dois primeiros sejam muito mais bem detalhados, explicados e coesos com a situação presente em seus respectivos jogos, a ideia já estaria um tanto quanto gasta pra se usar em mais três jogos seguidos.

Isso sem contar no romance de novela mexicana absurdamente FORÇADO que o jogo mostra e as possessões sem sentido do jogo por parte da última chefe...

Olha, a possessão acontece assim... Ela POSSUIU Edea, e se ela vencesse uma lutra contra OS HERÓIS DA JUSTIÇA QUE LUTAM CONTRA O MAAAAAL, ela "possuiria de vez" o corpo dela, como ela perdeu, ela possui Rinoa como prêmio de consolação..

Sentiu a coerência passando LOOOOOONGE e te dando um tchauzinho ?

Esse é um cientista da cidade de Esthal. SÉRIO, ELE É UM CIENTISTA! EU JURO!

Depois disso, sem nenhuma dedução Squall e Rinoa (possuidinha like a zombie, sério) vão com mais um qualquer do grupo e sem SEQUER imaginar que Ultimecia (ultima chefe, meu deus que nome...) queria o corpo de Adel, coisa que ela mesma fala, eles não deduzem isso e vão somente pra entender o poder de Adel, e num "porque sim" absurdo, a influência do poder de Adel, Ultimecia sai do corpo de Rinoa...

Não estou resumindo, é assim que acontece, sem a menor explicação à respeito por parte do jogo...

Confesso que fiz força pra entender o que se passa, repeti essas partes algumas vezes pra ver se eu tinha perdido algo mas não era. Mas saquem só outra coisa sinistra.

O roteiro é dividido em 4 partes.

Ou seja, 4 cds. Sendo a última parte do quarto cd somente pra enfrentar Ultimecia. Ao invés de um único roteiro centrado e minimamente bem construído como se pede num RPG, não é esse o caso aqui.

Triângulo amoroso em um RPG... Fala sério!

Você novamente deve se perguntar por que eu disse isso...

Olha, o primeiro CD do jogo é algo girando em torno de intrigas adolescentes entre os personagens com discussões entre Zell e Seifer, Squall e Zell, Squall e Rinoa, e por aí vai... E é chato demais, demora pra acabar e quando o segundo CD chega eis que nos deparamos com uma parte mais agressiva da história, algo voltado pra ação e tudo mais.

Do nada vem aquele choque "mas que porra, o foco mudou nessa porra, mas ao menos ta melhor". Assim eu pensei...

E o terceiro CD chega do nada com informações absurdas tipo uma sacerdotisa do futuro possuindo corpos de duas personagens (Edea e Rinoa) e uma outra sacerdotisa selada NO ESPAÇO!

E essa parte DO ESPAÇO ainda tem direito à uma cena íntima entre o casal do game com direito à música romântica de fundo e brincadeiras junto à demonstrações de afeto de ambos principalmente da parte de Squall quando Rinoa senta em seu colo, ele delicadamente diz:

"Senta na sua cadeira."

Sério! E o mais legal é que a influência de Adel (a tal sacerdotisa) fez com que monstros DA LUA se unissem e se jogassem na Terra. Em mais um dos mágicos e gloriosos "por que sim" da história do jogo!


Alucinante, não acha ?

De repente a impressão que temos da Lua é algo como "satélite com furúnculo que jorra monstros no lugar de pus..."

Isso foi nojento, tipo... PRA CARALHO! Vamos avançar com o conteúdo, chega de nojeiras.

*CAHAM*

Isso sem contar as chatíssimas partes que se joga com Laguna, Kyros e Ward. Laguna é o pai de Squall e os outros dois são seus fieis escudeiros sem a menor importância...

A história dos três se passa bem antes do presente do jogo.

E o mais absurdo é que Ellone, irmã de Squall, que tem poderes "porque sim", transporta Squall e quem mais estiver com ele ao passado e eles ficam dentro dos corpos dos três personagens já ditos e Squall fica no corpo de Laguna e os outros dois é por conta da situação, quem tiver por perto fica no controle de ambos. Estranho é que por diversas partes do jogo, Squall sequer sabia da existência de sua irmã...

Kyros, Laguna e Ward.

Mas o que mais me assusta é que Ellone usava os personagens do presente para ser os "olhos" dela e entender o que houve no passado com sei pai Laguna.

É terrível, sem sentido e chato, MUITO CHATO MESMO esses eventos. Não fazem ideia...

Já que a trilha sonora do jogo é simplesmente em muitos casos ruim ou sem graça, não preciso falar muito dela. Ainda mais sabendo que tem duas músicas (até onde eu notei) simplesmente remixadas de seu jogo anterior, e te digo mais...

A música da Edea quando ela aparece é legal pra caramba, mas ela é meio orquestrada, com pegada de ópera e voltada totalmente pra música clássica...

Um leve plágio da música final de Sephiroth! Nem preciso falar o que eu achei disso...

Duvidam de mim de novo? Certo? Confiram aqui então, quem conhece a do Sephiroth sabe do que digo...

Agora, o gameplay é muito bom e ao mesmo tempo muito ruim. E como uma coisa dessas pode acontecer eu tentarei explicar...

Por que basicamente funciona assim:

Dentro de batalha, você tem comandos simples, como ataque, magia, GF (summon's),itens e etc...

No combate não temos problemas, é algo prático e simples. Com um sistema bastante funcional.

Contudo, a parte de status é MEGA confusa, e ainda tem uma imbecilidade atômica nuclear nela presente.

Discutindo a relação.

Simplesmente, a quantidade de magias que se tem, é anexada nos seus status. Por exemplo:

Você pode atribuir valores da sua magia no status de força, defesa, magias e etc... E eu achei bem idiota na verdade.

E só fica mais escroto quando você atribui imunidades ou o status que pode infligir no inimigo de acordo com uma porcentagem que é determinada pela quantidade.

Precisa de mais exemplos né? Eu sei que é confuso!

Vamos imaginar que você queira se tornar imune a trovão e causar silêncio nos inimigos.

Vai ter que equipar Thunder, Thundara ou Thundaga na parte de imunidade e na parte que causa status terás de anexar Silence. PORÉM...


A porcentagem de acerto desse status é de acordo com a quantidade de magias presentes. Se tiver 100 magias Silence, terás 100% de causar status Silcence nos inimigos.

Compreende o quanto isso é idiota e apelão ?

E só pra constar, os personagens aprendem como lutar na "escola de mercenários", mas não aprendem nada de mágico a não ser o uso de GF's, magias nesse jogo são adquiridas com o comando "Draw" que se anexa no personagem pelo menu.

O personagem olha o inimigo, vê as magias que ele tem, e simplesmente faz uma "cópia" delas, até aí tudo bem.

Porém, como os personagens do jogo são aptos para usarem magias é algo TOTALMENTE INEXISTENTE!

E você se pergunta se na parte de magia alguma coisa pode piorar... Mas é claro que pode! Afinal de contas estamos falando da OITAVA FANTASIA FINAL!!!

Está andando, encontra um inimigo, que pode ser sei lá... um TIRANOSSAURO!

Temos que pegar eu sei... pega-los eu tentarei...

E ele tem Firaga. Você rouba dele e pode usar logo em seguida. Por que roubar magias de animais irracionais que normalmente agiriam por instinto faz todo sentido, não acham?

Ou seja, resumindo... Roubou, usou e pronto!

PRATICIDADE TOTAL!

SENTIDO NENHUM!

Honestamente, pra que isso? Não seria mais prático evoluir naturalmente, ganhar dano nem que seja considerável e usando acessórios pra causar status ou ter imunidades?

Por que não ter itens que permitem ao usuário ter acesso à magias assim como as matérias do 7 ou magicites do 6?


Tentaram inovar e complicaram de forma desnecessário. Causando certa frustração aos jogadores.

Em um comentário que fiz em um blog, falando que odiei FF8 e FF9 me falaram que só quem era bom zerava esse jogo, e eu concordo hoje em dia.

Tem que ter uma BOA DOSE de paciência pra explorar o chatíssimo mundo sem nome do jogo. Muita paciência pra tolerar essa história de merda e personagens sem um sequer pingo de carisma.

Falando deles... Ótimo! Irei dizer quem e como são, preparem-se para a sessão desgosto:


Squall Leonheart


Squall é um emo enrustido e cretino de marca maior, definitivamente. Ele tem seus problemas pessoais e não suporta a opinião alheia, de forma que se tranca numa casca e fica nela recluso com ar de superioridade sendo que na verdade não passa de um COITADO!

Isso acontece no jogo, durante a cena que Rinoa esta mais morta que viva, ele a carrega nas costas e numa determinada parte ele para pra descansar e conversa com ela, MESMO SABENDO QUE ELA ESTÁ INCONSCIENTE e diz tudo o que sente e o que verdadeiramente é...

Já viu isso em algum lugar? Em algum dos milhões de filmes de romance que já passaram na Sessão da Tarde?

Como sei que vai ter fã putinha falando que é mentira minha, eis a prova:


Squall como cara frio que inicialmente começa assim como tantos outros personagens, tinha tanto potencial pra ser um personagem legal mas usaram da forma mais idiota clichê possível deixando a história dele totalmente sem graça.

Ele fica tão manjado com seus dizerem e com o uso constante da palavra "Whatever" que até mesmo Quistis e Rinoa "decoram" seus padrões e começam a caçoar dele falando antes dele, se tornando altamente previsível...

ATÉ MESMO PRA RINOA!!!

Triste viu... Muito triste! Eu no começo tive certa simpatia por ele mas depois veio a frustração.

Realmente tive esperança que ele fosse um cara que não gosta de ninguém mas que é bem resolvido, sendo que na verdade é um coitadinho...

Como se não bastasse o visual de integrande de banda de J-pop...


Zell Dincht

Zell não merecia uma ilustração dessas, mas o mundo não é justo mesmo...

Ele é o estudante que tenta ser descolado, engraçado e não passa de um cara bobo, maluco e ao invés de fazer as piadas, ele SE TORNA a própria...

Tal afirmação sobre ele é tão verdade que ao se formar na escola de mercenários (ainda não me conformo com escola pra isso) o diretor vira pra ele e diz com todas as letras:

"Parabéns Zell, mas tenho um aviso: controle suas emoções"

Afinal de contas, pode ser constrangedor ver alguém fazendo ISSO, afinal de contas não transmite muita dignidade:

Comemoração de Zell ao se formar...

E ele é visto como idiota de tal forma que ao chegar em sua cidade, o povo diz:

"Meu filho se tornará um SeeD, eu tenho todas as esperanças do mundo. Por que se até Zell se formou, qualquer um pode se formar lá tranquilamente."

Contrangedor ter um cara desses no grupo, eu sei!

Ele é legal mesmo assim, o que eu menos detestei no jogo pra falar a verdade e nem por isso ele é legal, mas pensa bem, onde um personagem bobo que vira a própria piada é o menos ofensivo de um jogo...

Sinal que tem ALGUMA coisa errada.


Quistis Trepe


Eis de longe a personagem com melhor personalidade do grupo. Ela no primeiro CG aparece com ar de durona, imponente. Mulher firme!!!

Primeiramente, ela é professora de Squall, Zell e Seifer, e apesar de ser somente dois anos mais velha, já é formada e instrutora dos SeeD, e claro, dos personagens da história... Porque conveniência não tem limites mesmo.

Mas apesar desse ar de durona, ela esconde um lado...

FRU-FRU!

Pois é... tanto que no começo, ela pede pra que Squall vá com ela num local onde só se encontram casais de Balamb Gardem (o tal lugar dos SeeD aprendendo a arte de ser mercenário...) e logo se deleita, falando que nem sempre o ar de durona dela é real, que ele deveria fazer como ela e ceder mesmo que às vezes.

Depois de tudo, ela se recompõe, volta a ser a durona de sempre e numa cena onde se esclarece a perda de memória do grupo, ela cita que confundia o amor de irmã que sente por Squall com amor de verdade...


"Eu pensei que era... amor.
Eu tinha que esconder meus sentimentos por que eu era uma instrutora, mas eu agora percebi que não era."

...

Ela pode ter esquecido do cara, mas não saber o que sente por ele depois de tanto tempo convivendo e justo uma explicação sobre os summons do jogo decidir tudo...

E ainda deixa claro que depois que Rinoa apareceu, mesmo se ela gostasse dele deixaria espaço pra ela.

Parece que todo mundo já sabia que eles seriam o casal da jogada mesmo...

Pensem junto comigo, ela nunca viu Rinoa inicialmente, não teria por que abrir mão do tal amor por Squall só por questões da "princesinha" do jogo ter dado as caras.

É... vamos pro próximo!

Selphie Tilmitt


Sabe a garota fofinha super kawaii de cada jogo?

Pois é... Aqui esse é o trabalho de Selphie. Ser a personagem extremamente chata e açucarada que poderia te matar de diabetes.

Apesar de que uma primeira impressão dela é tremendamente positiva, ela chega com seu vestidinho amarelo ridículo e na luta tira um nunchaku do bolso pra lutar e eu pensei:

"Nossa, que legal, uma garota com aparência delicadinha que bate com nunchaku, não tem como ela ser ridícula..."

E minha nossa como me enganei... Puta merda!!!

Como eu disse, fofinha, kawaii, e isso remete à retardada, desajeitada, e com palavras de amor e carinho pra cada 5 segundos de jogo nos momentos de diálogo onde ela está presente.

Ela é um SACO!

O único momento do jogo onde se controla ela e temos uma leve impressão de que ela vai amadurecer e se tornar um personagem interessante...

Sagakuchi te dá um tiro no cu com uma surpresa gratificante deixando ela AINDA mais retardada... Honestamente. Me perdoem os fãs dela, mas o que essa personagem sem carisma pode ter?

E como foi difícil achar uma imagem dela que ela não tivesse com peitos enormes ou bunda da Mulher Melancia. Essa pobre coitada nem corpo tem.

Que bando de tarados do inferno na pobre magrela. Puta que pariu!


Irvine Kinneas


De repente, está seu grupo com 5 personagens e chega em uma cidade próxima. Onde os caras de lá chegam e falam:

"Tá vendo esse retardado aqui? Levem ele com vocês, ele vai ser nosso... representante."

*E DE REPENTE SAEM CORRENDO*

Mais ou menos assim que Irvine entra no grupo. Mas pelo menos, ele não ofende.

De fato. Ele não tem nenhuma importância no grupo, e tão pouco pro jogo. O evento principal afinal de contas é ligado ao romance de Rinoa com Squall, Zell mal aparece e Selphie menos ainda. Porém eles ainda aparecem assim como Quistis.

Entretanto, Irvine não tem participação no jogo, e não tem nada à ser desvendado sobre seu passado e menos ainda sobre seu presente. O máximo que acontece é um evento que o "apresenta".
 
Conhecido como "evento que te obriga a jogar com o personagem novato". Entendem?

Pois é, só mostra duas pequenas partes onde ele entra pro grupo obrigatoriamente e sem nenhuma importância no roteiro (se jogar, prestem atenção, quem jogou sabe do que falo) e o máximo que acontece é umas batalhas onde mostra ele fazendo muitas poses e atirando com sua escopeta.

Irvine tem uma personalidade de pegador, do galanteador romântico e de quebra usa frases de efeito como:

"Não tenho por que estar aqui mas estou, e vou ajudar a todos a fazer a COISA CERTA, POR QUE É MEU DEVER. PORQUE SIIIIIIIIIIM"

Isso logo após o evento que eles descobrem que Ultimecia é a verdadeira ameaça...

Chato né ? Eu sei...


Rinoa Heartilly


Pois é, o que se espera de uma garota que tem "coração" no nome ?

Rinoa começa interessante, filha de um general militar que faz opressão em seu povo, e ela se vê contra ele e se junta à uma resistência que vai contra o governo que o próprio papai está.

Isso é uma ideia manjada e sim, muito interessante. Ao menos nas primeiras horas do jogo...

Por que como eu falei acima, o roteiro meio que se perde e essa parte do jogo não se resolve completamente e ela entra pro grupo contra algo que nem sequer tem a ver com ela e muito menos sem resolver o problema que antes fazia sentido com sua existência no jogo.

Depois disso sua presença no jogo dedica-se a inteiramente trazer o personagem principal calado e introvertdo para a luz com seu amor e carinho...

Acho que vou morrer de diabetes com tanto açucar.

Mas me perdoe quem curte, mas romance num RPG se não for muito bem escrito fica chato e se for totalmente focado numa novela eletrônica como é o caso desse jogo fica algo semelhante à novela mexicana.

Por que afinal de contas, ela é o par de Squall e pouco importa o background dela, e sim a hora que ela esteja pronta pra dar uma chave de xavasca em Squall.

E ela é possuída, vira zumbi, vira feiticeira e se ela me falar que vende Avon não ficaria nada surpreso.

Carne... cérebro... Resi... dent... E... viiilll...

Honestamente, essa parte da Rinoa é o cúmulo, força a barra demais da conta, confesso que na hora fiquei exatamente assim:


Com tudo isso, Rinoa é uma personagem bizarra, patética e possivelmente a pior personagem da série Final Fantasy.

Ou pelo menos uma das piores.

Chegando ao ponto de usar uma arma imbecil no braço que nem sou louco de tentar descobrir o que é, mas num dos limits dela ela atira o próprio cachorro!

Não sei se fico puto pela ideia idiota ou pela covardia com o pobre Angelo.

Sim, Angelo é o nome do cachorro

Além de ridícula,  sem graça e sem uma história decente, ela é a personagem mais sem carisma DO JOGO. Não tem como torcer por ela, ou querer ela no grupo. Definitivamente, a pior personagem do jogo é uma donzela que faz par romântico com o par principal.

Quando eu comecei a jogar num imaginei que teria personagem pior que a Selphie mas de repente ela parece interessante...


Seifer Almasy


Seifer inicialmente tem uma importância crua e ridícula, que é de ser o personagem que tem inveja do principal e de caçoar o idiota do grupo, no caso Zell.

Sinceramente, ele é um tosco visualmente falando, e em história ele é um cretino. Se você gosta dele na história você é tão cretino quanto ele, e se você se identifica, está no mesmo nível de pessoas que ficariam do lado do Escad em Legend of Mana, como o Dipaula já disse nesse post.

Por que Seifer é um cretino de marca maior. Muito superior ao nível de Squall ou qualquer outro do jogo e ainda bem que essa bosta não entra pro grupo definitivamente, só um evento e depois ele começa a ter o  contexto de "rival" do herói...

Ele é um idiota. Como deu pra notar!

Tão idiota, que é facilmente corrompido por Edea que simplesmente disse pra ele:

"Quer deixar de ser um garoto, venha comigo e serás um homem de valor..."

E ele numa boa aceita e vai pra lá, virando o GUARDIÃO DA SACERDOTISA...

Ui que moral, ele virou cachorrinho de madame.


Laguna Loire


Laguna é o personagem do passado que tem seus dois fieis escudeiros.

Mais ou menos "Dona Flor e seus dois Maridos"...

Mentira, essa parte é mentira, Laguna é um tímido good guy que sente sua perna endurecer (literalmente, e não... não é uma piada) quando a timidez toma conta.

Isso eu não vou deixar link, é ridículo demais e contrangedor. Essa eu vou deixar por conta de vocês leitores verem no jogo ou procurarem no youtube. Na verdade isso acontece na primeira vez que se joga com ele.

E ele...

Na verdade é o presidente de Balamb Garden, o Cid!

Tá certo, ele não é. Mas ninguém faria a menor diferença pro Cid ainda assim. Laguna anida tem uma parte de aventura minimamente legal e TALVEZ isso deixaria o Cid um pouco menor retardado. Afinal de contas Laguna é digamos, do jogo, o personagem menos...

Deprimente!

Ao menos ele e seus amigos são legais visualmente, Laguna e Kyros são muito fodas! Kyros é mais legal que Laguna e ainda usa uma Katar como arma. Pena que esses dois tem participação quase nula e Laguna é um bobo (e divertido) que não tem muito carisma assim como a esmagadora maioria do elenco.

Mas saca a moral, pelo menos jogando no passado com ele, você pode jogar com uma música de batalha diferente.

Mas PELO MENOS, a música de batalha de quando jogamos com ele é algo agradável de ouvir, e se querem saber, parece música de fase do Power Rangers de SNES... diferente da canção de indução ao coma usado em terapias contra insônia que é o tema de batalha normal.


Edea Kramer


Só pra constar, ela foi criada pelos desenhistas do jogo antes mesmo do projeto do mesmo ser iniciado. Acho que isso justifica tamanho deslocamento visual dela para com os outros presentes.

Edea na verdade é a "primeira grande vilã" do jogo.

Depois de vencida no final do primeiro cd, ela simplesmente... perde boa parte do foco e depois tudo volta pra ela como o fato dela ser sacerdotisa, passar os poderes pra alguém (Rinoa, mas é claro) e ainda aparece como personagem jogável por um curto período de tempo.

Também é revelado, que ela deveria ser assassinada, a mandado do seu próprio marido, Cid! Que provavelmente queria uma mulher mais bonita e jovem de Balamb e por isso decidiu chutar o balde com sua esposa de visual um tanto quanto...

Exótico!

Por que ninguém seria louco de se casar com uma mulher que anda com ESSE tipo de visual pra cima e pra baixo ou de andar com ela, então por isso ela ta num lugar e ele em outro. Agora fez sentido...

Porém, depois ele se junta à ela, alegando que ela estava possuída pelos poderes de Ultimecia...

Honestamente, essa parte do jogo que abrange ela, faz tão pouco sentido!

Por que não conta como ela virou sacerdotisa, uma vez que ela foi a pessoa que cuidou de todos os personagens do grupo quando crianças antes de perderem a memória... E ela era conhecida como "Matron".

Só pra constar, ela mesma chega a falar que nessa época ela era normal, não usava poderes e não tinha um visual que seria digno pro apelido da Dona Clotilde.

Ela depois que passa os poderes pra Rinoa, sem nenhuma causa, motivo, razão ou circustância... Ela simplesmente some do jogo.

Depois de tudo ainda é dito pra Rinoa:

"Edea perdeu seus poderes, você é a nova sacerdotisa"

Ela questiona:

"Como vocês sabem disso ?"

Os guardiões de Esthal:

"Ela tentou usar seus poderes e simplesmente não conseguiu, eles foram transferidos para sua sucessora, que é você. Você deve vir conosco."

Com isso, Rinoa aceita numa boa.

E depois disso Edea desaparece do jogo perdendo toda a sua pouca importância.

Perder espaço pra Rinoa é sinal que as coisas andam mal...


Ultimecia


Ainda mais bizarra que Edea, essa merda é a última chefe do jogo.

Honestamente, com exceções como Sephiroth e Golbez, Final Fantasy parece insistir muito com vilões andrógenos como Kuja (que é uma diva) e Seymour e vilãs peruas como Ultimecia e Cloud of Darkness.

Minha nossa, olha o nome da vilã: "NUVEM DAS TREEEEEEEVAS".

UUUIIIII QUE MEDO! ESTOU TREMENDO DE MEDO!

*Me recompondo...*

Porém, falando de Ultimecia, basicamente ela é uma sacerdotisa do futuro, que busca a compreensão do tempo.

Em vista do seu objetivo ela possuiu Edea, Rinoa e fez um cadinho de coisas em OUTRA realidade num futuro um tanto quanto distante do presente do jogo.

O mais bizarro de tudo, é que ela quer a "Compreensão do Tempo", sendo que na verdade ela quer é fundir todas as épocas, e eliminar todos os seres vivos de forma que ela se tornasse uma deusa onipotente.

Concordo que essa "busca pelo poder" de últimos chefes é sempre clichê, e eles tentaram inovar até nisso, porém deram desculpas idiotas e que não fazem sentido, gerando MAIS UMA incoerência!

Por que compreender o tempo daria poder? A menos que algo místico, mágico ou coisa do tipo fizesse tal compreensão, aí sim faria sentido!

Só que não tem nada do tipo. Ela diz e procura por uma coisa, sendo que quer outra...

Puta que pariu! Esse jogo não nem sequer um vilão decente!!!

Depois que tudo acaba no terceiro cd, num desespero de Sagakuchi pra acabar com o jogo, Ellone  tem a brilhante ideia de enfrentar ela lá, no tempo dela.

MAS ESSA NÃO SOLUÇÃO ERA A MAIS ÓBVIA DESDE O COMEÇO?

E por último fechando com chave de ouro, à respeito de Ultimecia, não preciso dizer o quanto é tosco uma feiticeira do futuro que usa uma máquina pra possuir pessoas de tempos passados.

Preciso?

-----------------------------------------------------------------

Finalizando, antes de mais nada, quero deixar claro que joguei e entendi a história do jogo, pros fãs putinhas alienados que levantaram os machados e foices lendo esse post.

Se bobiar os metidos a cult vão chegar falando do final profundo e maduro sendo que na verdade é uma merda e sem sentido!

Odiei tudo presente nele, se quiserem, procurem a cláusula que permita me processar por odiar um jogo visto como clássico!

Mas ops, eu disse que odiei tudo...

Eu me enganei!

Esse jogo tem uma coisa foda!

Os summons...

Tá vendo alguém legal ? Eu também não. O meu favorito ta logo ali em outro jogo.

Eu sei que são GF's, não precisa me corrigir. Summon, GF, Aeon, Esper. Tudo a mesma coisa!

Mas na moral, as INVOCAÇÕES desse jogo são muito legais, apesar de também ilógicas como eu já disse e com argumentos de sobra. Isso se você considerar o fato de além de ilógicas ela não terem sequer uma penalidade para serem usadas, é literalmente infinito, e se tiver boost vai esmagar o botão quadrado como se não houvesse amanhã...

Mesmo assim tem muitos legais como Queatzacolt, Pandemona, Cerberus, Alexander, e sem contar os clássicos como Odin, Shiva, Bahamut e Ifrit que são ainda mais legal que suas versões anteriores presentes nos jogos antigos.

Ifrit desse jogo é o mais foda que já vi, assim como Leviathan que também faz sua melhor aparição da série nesse jogo.

Shiva pra mim nesse jogo, só perde pra Shiva do X e Bahamuth é sempre foda. Sempre sempre foda! E não é que ele também faz sua aparição mais impresisonante nesse jogo de merda.

Mas sempre tem summons idiotas como Carbuncle, Brothers ou Siren. Sendo Siren uma das invocações mais idiotas que eu já vi.

Porém. Esse jogo tem um pingo de moral comigo... E você deve estar achando que é algo incrível pra eu dar um pingo de moral depois de tanto estardalhaço!

ESSA COISA É O SUMMON "DIABLOS".


Podem me chamar de ateu do capeta, mas esse GF é incrível. Muito muito irado mesmo!

Quem fez esse summon, merece um prêmio por que pra mim é disparado a invocação mais foda que eu já vi na série Final Fantasy.

Ainda mais se levar em conta o quanto é raro um aliado de trevas no grupo, seja como summon ou personagem, é quase sempre elementos da natureza ou guerreiros da luz e etc...

Originalidade pra cacete nesse GF. Ousadia e sem contar na eficiência, ele chega, aparece numa pose foda, dispara sua "BOOOOLA DE RANCÔÔÔÔR" e depois simplesmente desaparece da mesma forma improvável que apareceu.


Parece que não, mas Diablos é de fato a única coisa MUITO FODA nesse jogo.

O resto que presta é legal ou mediano. Porque a esmagadora maioria do conteúdo presente no jogo é lixo, uma história de romance forçada com direito a ignorar boa parte dos personagens principais, uma aventura no passado sem sentido e personagens sem um maldito pingo de carisma.

Tudo isso num jogo que tem sérios problemas com os ângulos da câmera.

Puta que pariu Square.

Só pra concluir, quero deixar um desabafo pessoal.

Apesar de odiar o jogo, e deixar claro o quanto acho ele um lixo, eu entendo que  foi tudo uma jogada de experimentos na franquia. Mas é aí que entra o que eu queria questionar.

Square antes mesmo e durante Final Fantasy VIII já tinha Xenogears, Parasite Eve, Chrono Cross, Legend of Mana e tantos outros jogos lançados quase na mesma época ou antes, mas a pergunta geral é:

Por que ela nunca experimentou isso nos jogos que são franquias secundárias dela ao invés de apostar tudo na franquia principal que demorou anos pra decolar da maneira devida e se tornar uma referência no gênero de RPG's ?

Honestamente, era só fazer o mesmo que fez com Parasite Eve 2 por exemplo, uma tentativa diferente da primeira e que poderia dar tanto certo quanto errado, mas apostar tudo na franquia principal foi um tanto quanto burrice. E exatamente por isso que no meu ponto de vista a série afundou exatamente nesse jogo.

Melhor cena. Sem dúvidas. Todos garantem.
E depois no desespero de usar tudo que é clássico no IX pra só então tentar algo novo no X. E algo mais ousado ainda no XII. Mas entendem o que eu quero dizer?

Capcom pegou tudo que deu certo no Darkstalkers e usou em Street Fighter Alpha. Foi uma jogada inteligente pra não arriscar uma franquia principal.

Com isso, a Square só afasta mais e mais seus fãs, desiludidos de um novo clássico como o sétimo jogo da franquia e ainda mais depois que ela se recusou à fazer o remake do FF7 e anunciou publicamente que só tentaria mais e mais com jogos novos.

Pena que ela já criou um padrão idiota pra roteiro nos jogos de modo geral, mas isso eu deixarei pro post que o Dipaula já fez e só estamos esperando a oportunidade certa de lançar!

Pra quem curtiu o post, também pode conferir esse aqui no qual dou uma zuada legal numa cena desse jogo.

E NÃO, NÃO RECOMENDO ESSA MERDA DE JOGO!

Há menos que você seja masoquista ou jogue esse título somente pra rir! Por que o jogo não tem condições de ser levado à sério!


*BÔNUS GAME*

Fuçando na internet por acaso encontrei essa imagem... Acredite, transmite exatamente como me senti com esse game.

54 comentários:

lucas freitas disse...

Não preciso comentar mais nada, parece que você simplesmente sugou meus pensamentos cara, tudo que tenho contra o FF8 ta aí estampado na cara da sociedade, vai para o inferno Malhação dos game.

Junior disse...

Nem li tudo, mas já descartei a ideia de jogar esse jogo rsrsrsr.. divulgando

Laura disse...

Nossa, kkkkkkkkkkkkkk
Mas a carinha de cera até que é legal[?]

Laura disse...

The Walking Fantasy, a gente vê por aqui!

André disse...

Prefiro o FF VII, hehe.

Anônimo disse...

"ateu do capeta" sahsuahsaushashuauasuahau, sinceramente , o Diablos parece ser a unica coisa foda dessa merda de jogo uahsausahhsash

Leroy disse...

Falou tudo sobre o FF8... até hoje eu não consigo entender como é q o FF8 tem mais fãs do que o FF9...

Ah, sim... Só discordo de uma coisa do seu post, eu também considero o Sephiroth como mais um vilão andrógeno da serie.

Leroy disse...

Só dando uma idéia para um post, vc poderia fazer um top 5 ou 10 de melhores vilões da serie Final Fantasy.

Juninho! disse...

Sephiroth não é andrógeno por que você olha pra ele, você não tem aquela dúvida de:

"Que porra é essa ? Homem ou mulher ?"

Tipo a dúvida que até os maiores fãs de Final Fantasy IX já tiveram ao menos uma vez na vida...

Você olha pra ele e entende que ele é um homem e ele nem de longe tem sequer comportamento afeminado, coisa que podemos verificar no jogo, filme e Final Fantasy VII: Crisis Core para PSP onde sua participação é um tanto quanto longa.

E sobre a postagem de vilões da série... acho difícil. Por que a maioria é sem graça ou profundidade, de todos que eu vi, só curti Sephiroth e o Golbez no conceito de cavaleiro negro DO MAAAALL funciona muito bem, sem nunca me esquecer de Kefka que problemas à parte ainda é o vilão mais cruel de todos.

Já o resto...

Bia Chun-li disse...

Ri muito com esse teu artigo!!! é sério!! xD Porém, sei de amigos que iriam querer o teu coração numa bandeja... =P

Quero aproveitar e dizer que amei os outros dois posts, o de MK e, principalmente o de parasite Eve. Me deu até vontade de jogar de novo, pena que o meu PS 3 ainda esteja ruim... =/

Mestre Ryu Kanzuki disse...

Muito bom o post. Não sou um cultuado entendedor ou jogador de RPGs, mas esse é o episódio que mais me chamou a atenção, pelos personagens e a trama. É complicado compreender o universo de Final Fantasy como se fosse a nossa realidade, onde tudo tem que ser coerente e fazer o devido sentido.

Acredito que FF VIII segue um ritmo a exemplo de outras sagas cults (Guerra nas Estrelas, Jornadas nas Estrelas e 007 por exemplo). Onde as mudanças são radicais para pegar um público novo. Mesmo que isso acabe irritando o público mais velho e mais conservador, por que não humanizar a história e trazer os personagens mais próximos ao nosso mundo ? Romance e adolescentes (ou "aborrescentes") em um conto (ainda mais interativo) de ficção é raro de se ver.

Tudo bem que essa reinvenção acaba se saturando com o tempo, quando não se tem mais idéias e começam a copiar tudo de novo. Porém, nunca é pecado se reinventar e achei muito válido. Esse e Metal Gear Solid se tornaram um dos motivos que me fariam comprar um Playstation na época.

FF VII é adorado por muitos, mas é como o FF VI. Seu ambiente é super tradicional e não ousa em expandir seu público.

Cara, FF VIII poderia render um filme melhor até do que aquela infeliz adaptação da franquia realizada em 2001, nas mãos de um bom roteirista e de produtores pensando grande. É impossível ignorar a grandiosidade da sua produção. Sucesso merecido. Desculpe quem não gostou.

Anônimo disse...

Dipaula:
Cara, foi uma ótima descrição dessa abominação patética que é FF8. Uma historinha rasa cheia de clichês românticos que só agrada gente muito pouco exigente... E tem gente que acha o enredo profundo... O público geral é burro, mesmo...

Scariel disse...

Não fale mal da Selphie. Ela é fofa e linda. ela que deveria ser a princesa desse jogo. E sem contar que ela tem o limit mais foda do jogo q mata qualquer coisa xD

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

Juninho...

veio, li o seu post. tudo bem que FF8 não é cultuado como FF7.....argh! mas cara, você não falou NADA de bom no jogo? só escurraçou. tipo, no máximo falasse bem de Bahamut e Diablos...

concordo que Squall é um babaca e que Rinoa é insuportável. mas zoar o Zell? o cara é o alívio cômico do grupo, todo rpg tem um tipo desses.

e ele bate melhor nos inimigos que a tal da Tifa nas batalhas, eu lhe digo

a Selphie tem o jeito dela, e ela não é Kawaii, embora pareça. tem momentos que ela fica deprimida pela sua infância e é ela que faz o Squall acordar para a realidade numa parte do game.

e Quistis é a segunda no comando depois de Squall e ela me lembra a Nicole Kidman...se a atriz fosse num jogo e Irvine...

bom...esse não tem salvação mesmo.

e a Edea e Ultimecia são gostosas cara, acho que no final do game, Edea fica com uma roupa mais normal, aquela roupa preta e a maquiagem e trecos no cabelo, é só pose. mas eu pegava assim mesmo e Ultimecia, só o decote do vestido dela, minha nossa! o marido queria mata-la justamente porque achava que as maldades que ela fazia era vontade dela

olha, sobre o enredo, não me lembro com todos os detalhes, mas na culminação da parte da Rinoa, e chega em Edea e para sim, Ultimecia, há ligações. o enredo não é épico como FF6. mas é esforçado.

o amor entre Squall e Rinoa é meio ilógico, mas é bem mais crível que a Tifa babar pelo Cloud, quando esse mesmo a maltrata, como um saco de estrume. qualquer garota normal no minimo teria mandado ele tomar no....e arrumava outro para xavecar.


tudo bem que o jogo não é a obra prima, mas você só criticou? o jogo não tem UMA só qualidade?

Juninho, te respeito e tal, você me lembra o Amer/Grande Nerd nos post. mas rapaz, tá meio critica de fanboy...mas concordo com algumas coisas que você falou.

se falar do FF7......(meu deus) espero que seja justo e não idolatre tanto o jogo.


Juninho! disse...

Leandro... se tivesse lido tudo, veria que eu falei que os summons são super legais no jogo saca, e são mesmo. Mas infelizmente é só isso...

Zell cara, é tão ridicularizado que fica foda querer jogar com ele, Legend of Mana é a prova viva de que RPG's podem ter personagens bem feito, bem construídos, sérios e quase te causar uma parada cardiorespiratória de tanto rir, como muitos fizeram comigo.

Mas Zell não dá, ele é digno de pena em muitas partes.

E melhor que Tifa... A realidade discorda xD

Sephie chega a dizer "Ele vai aparecer na tv pra falar sobre amor e luz pra todos, eu sei que vai, eu adoro isso, todos adoram".

Isso é coisa de personagem fofinha Kawaii, e é chato pra cacete...

Edea e Ultimecia gostosas ? Sério ?

E o enredo eu joguei essa abominação à pouco tempo, sério, não jogue se você tem mais de 15 anos de idade por que o jogo é infantil demais da conta com romance de novela mexicana, talvez pior. E a Tifa gosta do Cloud pelo passado vivido pelos dois e não do nada como Squall e Rinoa, sinceramente achei o FF8 TODO FORÇADO!

E agradeço o respeito acima de tudo, mas cara, FF8 eu joguei e achei ridículo no geral mesmo, fraco, chato e sem personagens carismáticos.

Quanto a FF7, sinceramente eu acho merecido o posto dele saca, é o melhor jogo da série, tem um enredo brilhante, personagens altamente carsmáticos mas também apresenta falhas, mas essas falhas são parte da "fórmula" que o meu amigo Dipaula (postador esporádico daqui) já fez mas em breve vai sair, e vocÊ vai entender o porque de um modo geral Final Fantasy é uma bosta com raras exceções como 6 e 7 que são os únicos que prestam em meu ponto de vista.

Vitor Santos disse...

Sinceramente, eu nem acho o VIII tão ruim, na verdade eu acho que a pior coisa para o VIII, foi justamente o VII. O jogo era tão bom que eu imagino o trabalho que a Square teve para criar um jogo tão bom quanto, e bem, nós sabemos que, infelizmente, isso o VIII não conseguiu. Mas não acho que ele seja uma coisa horrível ou um péssimo jogo, eu diria que ele é "regular".
Pra mim, o IX conseguiu ser um pouquinho mais chato que o VIII, mas nenhum desses conseguiu ser tão chato quanto o X-2, sério, tem que ser doente pra gostar desse jogo. Depois de tudo isso eu realmente achava que Final Fantasy não tinha mais salvação, mas eis que um certo dia, a Square (que nessa época já era Square Enix), lança Final Fantasy XII e conquista de novo meu amor pela série xD
Mas tipo, eu nem ligo muito pra Final Fantasy. Na minha opinião, existem coisas bem melhores no mundo "RPG", como a franquia Persona, que se mostra cada vez melhor.
Enfim, é só.

Juninho! disse...

Vitor Santos. Você joga Persona. Só isso basta pra ganhar credibilidade e sair do mainstream conhecido como Final Fantasy. Isso é muito bom, os jogadores de RPG precisam aprender uma coisa ou outra com empresas como a Atlus que mesmo tendo gameplays estranhos (Devil Survivor ou Demon's Soul) ainda sim tem EXCELENTES histórias...

Mostrando pra Square que mesmo o 7 que é o melhor de todos de Final Fantasy, ainda tem melhores que ele. Mesmo sendo poucos!

Ryu1908 disse...

E eu pensava que eu era negativo demais com esse jogo. lol

Ótima postagem.

M.N® disse...

Cara, foi mal, MAS O SEPHIROTH TAMBÉM É ANDRÓGENO...


E não, os personagens de FFVII não são tão carismáticos assim, ao menos não mais que o VI... Quanto ao roteiro mais maduro, deixei escapar uma risada aqui...

Quanto à sua análise de FFVIII, eu já desconfiava que esse jogo era uma joça, mas tão lixo assim, foi nova pra mim... E tem tanta gente que fala que esse bagulho é o melhor já feito... dá vontade de dar risada...

Anônimo disse...

Nunca li tanta bosta num lugar só mas respeito a sua opinião.

Juninho! disse...

Pois é cara. A bosta toda que você leu se chama Final Fantasy 8.

Vinícius disse...

Caramba quanto mimimi. Tipico de fanboy do FF7. O 8 é realmente o pior game da série, mas num tem nada haver com o início da queda. Tanto que o sucesso do 9, 10 e 12 provam isso.
Final fantasy sempre mudou muito de um pro outro o que torna difícil agradar todo mundo, mas não vi critica realista nenhuma. Se acha o inicio da queda, jogue o FF 12 prestando atenção, se conseguir claro, e verá o marco épico daquele game. Parece que uma parte prefere ficar presa em FF7 pro resto da vida.

Ivan disse...

A única coisa que eu lembro de FVIII, é que eu só jogava com os GF's nas batalhas pq eu não tinha saco pra evoluir os personagens do jeito que foi proposto

Anônimo disse...

Vc não entende nada de RPG mano, Final fantasy 8 foi o melhor FF da serie

Guihhx Vianna disse...

Você já leu a teoria que Rinoa é a ultimecia? tipo é muito estranho ultimecia ter feito o GF mais poderoso Griver a partir do anel do squal que ele tinha dado pra Rinoa, a teoria diz que Ultimecia é a rinoa do futuro, pois como rinoa é feiticeira ela não envelhece e é mais demorado pra ela morrer, com isso squall e seus amigos morrem e ela fica sozinha sendo perseguida por todos, ai com o constante uso das GF ela esquece dos amigos e surta, a square disse que essa teoria não é verdade mas não explica as incoerências no jogo que só essa teoria resolve, é pq teria um final infeliz e a square não quis isso, não foi essa a intenção, mas esse jogo é uma merda só seria bom se essa teoria fosse verdade

Juninho! disse...

Guilherme... Esse jogo não precisa de teoria fora do jogo pra ser ruim. Ele é totalmente ruim em tudo...

Coisas que o tornam ruim, veja bem.

Sistema falho, fácil de quebrar, músicas mais chatas que as que tocam em elevadores, personagens de bosta, desenvolvimento da narrativa é totalmente ridículo e com muitas falhas e coisas totalmente sem nexo, e a própria Square assumiu na época que alguns personagens já estavam prontos antes do jogo começar a ser desenvolvido e um deles é Edea, tanto é que visualmente ela é absurdamente deslocada dentro do "contexto" do game e nem preciso falar do cientista com roupa de palhaço, né?

Esse jogo eu esperei muito dele e acabei tomando um mega tombo, um jogo ridículo, tosco, totalmente desconexo e que nem é um jogo ok como a maioria dos FF, ele tenta ser maduro e profundo e falha em tudo desse aspecto assim como nos outros.

Por isso que eu falei, ele não precisa dessa teoria pra ser ruim, se você já jogou mais de 3 jogos de RPG fora de Final Fantasy, tem mais de 20 anos e jogou Final Fantasy VIII você vai ver como ele é fraco, falho e absolutamente MEDÍOCRE.

Juninho! disse...

Caro anônimo, eu não entendo nada de RPG mesmo. E se pra gostar de RPG eu preciso mesmo gostar de Final Fantasy VIII eu prefiro continuar sem entender.

Porque jogo ruim, a gente dispensa mesmo.

Anônimo disse...

Eu tenho uma opinião quase que completamente divergente da sua (tanto em relação a esse game, quanto em relação a toda série), porém apesar de ter argumentos suficientemente plausíveis para defender minha opinião, de nada faria sentido expressá-los de maneira a tentar convencê-lo a ir contra sua própria, tendo em vista que ambos já temos nossas opiniões formadas a respeito desse game, eu apenas gostaria de ilustrar de maneira simples (ou nem tanto) a forma como eu o vejo e para isso usarei como exemplo o clássico dos filmes de ficção científica que influenciou (e influencia) inúmeras obras (inclusive Final Fantasy VIII, que faz algumas referências claras a obra), "2001 A Space Odyssey (1968)" co-escrita e dirigida pelo mestre das artes cênicas, Stanley Kubrick! "2001" é um longa que visualmente utiliza-se de bastante linguagem poética, sua narrativa é simples, direta, porém pouco conclusiva (ou explicativa), mais ou menos no estilo, desculpe a expressão, "Foda-se, é isso mesmo e já era, se entendeu entendeu, se não, pau no seu cu, e, o resto é teoria!!!"; Mesmo com sua narrativa e enredo simples, o longa é considerado por muitos um épico (como seu próprio nome sugere), porém há aqueles que não o vêem de tal forma (uns por acharem a narrativa muito lenta ou monótona, outros por não gostarem da trilha sonora composta por músicas clássicas famosas e "psicodélicas bizarras", e, por aí vai...), nesse ponto FFVIII (sim, com todos os seus defeitos) e "2001" (idem), se assemelham, claro que com suas devidas proporções ("2001" é muito, mas muito mais importante para o universo da ficção do que toda a série Final Fantasy, seria o mesmo que comparar a importância de qualquer RPG ou épico de fantasia mediante às obras de J.R.R. Tolkien ou Star Wars!!!), pois tanto um quanto outro não há meio termo, ou você ama ou você odeia, e, simplesmente isso tudo é apenas questão de gosto ("2001" por exemplo não desenvolve quase nenhum de seus personagens durante a história, isso ocorre de forma até proposital, os próprios primatas do início e o supercomputador HAL se mostram mais "humanos" que os próprios humanos no decorrer da trama, contudo, apesar de serem tratados superficialmente, esses personagens não perdem sua "profundidade" no contexto geral que o filme nos sugere, tendo vital importância para a trama, porém muitos apontam isso como uma grave falha de Kubrick, pois não há um "sentido" ou uma motivação própria evidente para os personagens em questão, o mesmo vale para FFVIII, novamente com suas devidas proporções), o que eu quis dizer é que analisando como um todo, FFVIII de fato cumpre bem aquilo que ele se propõe, fato que foi do agrado de uns e desagrado de outros, o que também é normal, tendo em vista como o título ganhou evidência em seus dois últimos capítulos até então (FFVI e VII), o mesmo ocorreu com o X e XII porém eu respeito a opinião de todos, tendo em vista que vários jogos de diversos gêneros (principalmente de franquias famosas) passam ou já passaram por algo semelhante, sem contar que o próprio gênero, o JRPG, já está drasticamente desgastado, e, futuramente teremos muitos, mais muitos jogos tão polêmicos e divisores de opinião quanto esse (FFXIII já é um deles)!!! Rsrsrs
Na questão do design dos personagens ou questões gráficas, é completamente irrelevante do meu ponto de vista para se afirmar se um jogo é bom ou ruim, logo não me importo se o game segue um estilo mais realista, SD ou mangá...

Anônimo disse...

Nilmar: Esse foi sem dúvidas o comentário mais inteligente que eu li até agora, muito justo também pelo que o game propõe.....

Juninho! disse...

Caro anônimo fã do game.

Bom, muito digno o seu comentário, eu realmente fiquei impressionado com a sua análise e de fato faz todo sentido.

A diferença é que eu discordo completamente do que você pensa à respeito do jogo por razões bem simplórias.

Hironobu Sakaguchi, diferente de outros produtores de outros JRPG's não queria trabalhar com Final Fantasy, ele já tinha feito vários jogos e do nada no PS1 (anteriormente N64) ele teve uma nova equipe INTEIRA a dispôr dele pro FF7 porém dá pra notar determinados problemas no desenvolvimento do próprio VII como final ser totalmente aberto mas por questões de cortes na reta final da produção.

O VIII, diferente do que pensa, não é profundo ou qualquer coisa parecida por UM motivo. O Sakaguchi tava de saco cheio, ele não queria trabalhar com a série e menos de 1 ano depois do VII ele já tava pronto pra se envolver em outro projeto gigante e altamente desgastante. Isso mostra em vários aspectos do game como a profundidade ainda menor dos personagens em relação aos outros da série e elementos "jogados" do nada ou mesmo uma vilã sem muita razão de ser ou significado pro enredo, mas eu digo significado no sentido de ter presença e tudo dela fazer sentido total no final. E não faz.

Quando veio o IX, ele (Sakaguchi)tava se despedindo da série, o IX é totalmente cheio de clichês e referências justamente por isso, e no X de repente ele foi forçado e saiu aquele enredo totalmente desconexo e ruim porém bem menos esburacado que o VIII e com um sistema bem fluído, coisa que até isso era ruim no VIII.

Tanto é que depois dele, ele saiu da série, ele deixou claro em vários momentos que NÃO QUERIA trabalhar nos jogos da série Final Fantasy justamente por serem uma série com elementos extremamente repetitivos de forma que até ele tava cansado daquilo, e nisso ele fez jogos como The Last Story e Lost Odyssey que sequer tem algo parecido.

Tudo isso somado à um jogo quebrado, desequilibrado e com enredo esburacado e momentos dignos de sentir vergonha dentro do FF8 só me fizeram entender ainda melhor o que levou o cara a criar esse jogo ruim porém pra mim não interessam as razões e sim o produto final, ou seja, o jogo, e ele é absolutamente ruim, quebrado, bugado e com falhas mais do que notáveis em todos os seus aspectos, sejam eles no gameplay, na história ou na câmera que muitas vezes fica perto demais ou longe demais. Levando em conta que se eu jogasse esse lixo de novo eu poderia fazer um post 3 vezes maior com suas falhas.

Acho válida a sua opinião não somente por ser bem construída mas também por ser muito educada diferente de uns chorões que eu ando vendo por aqui por causa desse jogo, e te respeito por isso. Obrigado pelo comentário respeitoso e volte sempre.

Nilmar: Eu concordo, dos que defendem o jogo, ele foi o mais inteligente mesmo.

Angela Caldas disse...

Adorei o comentário do Anônimo-Fã-De-FFVIII. Não que eu goste de FFVIII, mas pela educação e pela inteligência do comentário. Geralmente as pessoas chegam aqui apenas pra xingar e amaldiçoar as próximas gerações do escritor, e esse cara foi um diferencial.

Anônimo disse...

Se o jogo ff VIII fosse ruim ele não teria sido um sucesso,, vendeu muito, o jogo é fantástico o gráfico é muito melhor que l do ff7, summons muito fodas, a historia faz sentido pena q com seu inglês meia boca vc não conseguiu entender a historia, se ta difícil baixa a versão em português do ff8 pra pc ai vc vai entender melhor e vera que a historia é muito bem construída e a ultimecia é uma vilã muito bem construída e com motivos fortes para querer acabar com a humanidade , vc q é ridículo típico invejoso de merda, eles lucraram ganharam muita grana com esse jogo e foi muito bem elogiado, vc é tão burro que diz que o cid é o laguna, vc diz que aquele gordo é o laguna, ridículo o laguna morreu vai jogar mais uma vez ja que fica inventando mentiras, , críticas Sem nexo como a sua não fazem diferença os números de vendas falarão da qualidade do jogo por mim

Juninho! disse...

Ah não? Me prove que o Cid não é o Laguna, alguém aí precisa URGENTE de um dicionário de inglês hein...

E se vendas determinam algo, ok, todo jogo bem vendido é automaticamente bom e todo mal vendido é automaticamente ruim. Obrigado pelo seu esclarecimento digno de um prêmio Nobel.

Anônimo disse...

Sinceramente, FF7 é o melhor, mas o meu favorito é o 8. Acho a história super bacana e bem montada, com bons vilões. Esse rage do post é apenas a opinião do dono e cada um tem a sua. Tanto o juninho não é o dono da verdade porque acha o jogo um lixo, tanto os que glorificam como o melhor de todos. Um excelente jogo de rpg e que marcou época. E clichê por clichê, todo jogo tem um pouco disso. FF8 é o considerado o segundo melhor jogo da franquia até hoje. E desculpe juninho, FF7 é o maior RPG feito e foi eleito pela Famitsu o segundo maior jogo de todos os tempos, perdendo apenas para super mario. Mas repito, cada um tem sua opinião, agora não jogar o jogo porque leu o post e acha que não vai valer a pena, sinto muito, deixe de ser maria vai com as outras e jogue e tire suas próprias conclusões.

Anônimo disse...

Santo pai, CId é o Laguna? WTF cara?
Cid é o presidente da balamb e esposo da Edea. Laguna é o presidente de ESTHAR. Aposto que tu não jogou o jogo inteiro. Acha que Laguna virou Cid? Sugiro jogar o game inteiro e verá que no final Cid fica na casa de Edea enquanto Laguna comanda a missão para derrubar a feiticeira Adel.

Juninho! disse...

Caro anônimo...

Finalmente alguém entendeu que um rage post é feito de forma cômica pra mostrar o desgosto por algo.

Poxa vida, quase 2 anos desse post e demorou bastante pra alguém entender. Admiro sua inteligência por isso. E não foi ironia nem nada do tipo, pode ficar tranquilo.

E você falou uma coisa que acho que ninguém tinha percebido antes de você, eu falei pra NÃO JOGAR baseado no meu conceito, of course, não era pra IMPOR até porque eu não posso isso (e nem faria se pudesse), é mais uma forma divertida e furiosa de mostrar o quanto odiei o jogo.

Porém, discordo TOTALMENTE de você no sentido à Famitsu e etc... Vendas e superproduções não significam nada pra mim, e honestamente, FF é a franquia mais pobre de todas as famosas no JRPG porque ela é feita pra "todos" e com isso são as que tem melhores gameplay e piores histórias. O público alvo de FF é justamente a massa, se você analisar os devoradores de JRPG como é o meu caso, veremos que tivemos experiências mais agradáveis com outros jogos como por exemplo, meu favorito ainda é Persona 2 Eternal Punishment mas eu admito que o melhor dos muitos JRPG's que eu joguei foi sem dúvidas Tales of the Abyss. Justamente porque é um pacote melhor em todos os aspectos.

Eu não ligo pra números e vendas ou coisas do tipo, isso não significa nada. Só mostra o quanto eu falei sobre "massa", justamente porque FF é um jogo pra massa, porque vai olhar na comunidade gamer pra ver... Os únicos FF respeitados por enredo MESMO são o VII e o Tactics. O resto é considerado bom jogo casual porque a história é simples demais e quase nunca exige muito raciocínio envolvido, coisa que num Legend of Mana ou Chrono Cross da vida seria totalmente o oposto.

Assim como em vários outros jogos de outros gêneros, Call of Duty ou Battlefield por exemplo nem de longe tem a grandiosidade de enredo de Homefront ou mesmo Resident Evil (de ação) tem um enredo tão profundo e maduro como Spec Ops - The Line.

Assim como God of War é dos mais vendidos do Hack'n'slash e é um jogo absurdamente fácil e nem se compara com Ninja Gaiden Sigma que tem um bom desafio.

Mas o que vende mais? O nome, a franquia, o que é feito pra massa. Porém é necessário saber diferenciar as coisas. Porque usar um argumento desses só significa uma coisa: que atinge mais gente e vende mais. E só. Porque a qualidade é totalmente subjetiva.

Sem falar, que como eu falei, muitos jogos são feitos com esse intuito.

Mas novamente concordo contigo no final do comentário pra não usar o que eu falo como base pra "verdade absoluta" porque isso não existe. Se não curtiu a ideia, não tem porque jogar, se acha válido assim mesmo, é só jogar. Eu deixei bem claro a ideia do jogo.

Agora sobre Laguna, eu verifiquei e de fato, eu tava errado, e corrigi o texto com outra piada sobre ele, acho que o estresse e desgosto de jogar essa porra me deixou puto o suficiente pra confundir. Mas desde já agradeço.

Anônimo disse...

Olha eu aqui de novo Juninho. Valeu pelo elogio. Claro entendo teus pontos de vista. Eu amo a franquia FF, mas obviamente também adoro outros RPGS como Legend of Dragoon, Legaia e etc. Claro que teu post é mais pro lado cômico, mas sempre tem gente que vai levar a sério. A moral é cada ter a sua opinião. Tu acha ruim, eu acho bom. É claro que uma franquia tende a vender mais, e nem por isso outros jogos deixam de serem ruins. Concordo também que essa coisa de revistas e notas não me representam muito. Prefiro testar por mim mesmo.
Se tem algo que eu concorde contigo no rage post, é que sim, embora eu adore FF8 os personagens secundários ficam muito abaixo, apesar de eu achar o Zell o interessante. Sim a Rinoa é muito sem sal e a Square mesmo poderia ter dado um trabalho maior nisso. Mas mesmo assim eu curti a história e o enredo. Acho o Squall um baita protagonista, embora clichê. Mas é que FF7 teve um padrão tão alto que qualquer outro FF comparado a ele fica parecendo um lixo, mas claro que não é. Muitos são bons, outros nem tanto.
Mas cada um cada. Se eu pudesse faria um rage post sobre o FF13 também. hehe.
Uma pena que a franquia tenha deixado de ser tão boa. Hoje ela realmente está péssima, mas isso na minha opinião. Alguém pode achar os novos ótimos.
De resto, vida que segue. Abraço.

Juninho! disse...

O ideal é sempre testar por nós mesmos sempre, eu por exemplo com o passar dos anos me tornei mais exigente e FF simplesmente deixou de funcionar pra mim, até o meu amigo esporádico Dipaula fez um post sobre a Fórmula da série e de fato tudo ali funciona de forma clichê/simplória e ainda por cima repetitiva e me cansou demais.

Sobre os personagens do FF8 eu falei de forma cômica mas boa parte daquilo ali é só uma forma "rage" de mostrar o que realmente penso deles, eu realmente fiquei desapontado.

O Squall poderia ser ao meu ver um dos melhores protagonistas da série e só não é o pior porque o Tidus existe, deus me livre daquele retardado.

E olha, hoje em dia pra mim FF7 é só um marco da história e muito forte mas como JRPG, como jogo isoladamente falando eu acho ele de mediano pra bom, e eu até fiz post dele por aqui, nem faz muito tempo até, falei que ele tem problemas gravíssimos como um final nada conclusivo e não há coisa boa que cubra um péssimo final num jogo onde o enredo é o mais importante...

E sobre o 13, já tenho os 3 no meu Xbox 360, só vou terminar Mass Effect e em muito breve começarei ele e vamos ver o que ele me aguarda, eu ainda duvido que seja pior que o VIII, muitos dizem que é, muitos dizem que não. Eu ainda não acredito.

E eu honestamente, sobre FF, curti o XII mais do que os outros exceto VI e VII que foram os dois que eu realmente curti apesar de achar eles bem overrated XD

E de fato, tem gosto pra tudo, vai saber né, tem gente que acha Resident Evil (antigo) terror até hoje haha.

Abração!

Anônimo disse...

Percebi a sua rage nessa pagina, e posso dizer que foram bons seus comentários, porque realmente esse jogo abusou de clichés e ficou realmente parecendo uma novelinha barata de anime em um jogo. Também gostaria de aproveitar e pedir um post de criticas a franquia Kingdom Hearts, que apesar de ser fã, gosto de saber os defeitos dos mesmos comentados por terceiros.

sitedaturma disse...

Um cara que dedica uma página inteira desse tamanho pra falar mal de um jogo tem sérios problemas psicológicos. Você é muito fudido, cara, kkkk, vai se tratar

Juninho! disse...

Não me lembro de ter obrigado alguém a ler. O botão de fechar a janela é logo ali no canto superior direito.

Então...

Anônimo disse...

Pois eu curti o VIII e é claro que tinham que ter cara de porcelana, pois no VII não tinham ainda conseguido explorar toda a potencia gráfica do Playstation, o que só foram tentar com o VIII. Então querer que continuassem quadrados é melhor voltar a jogar as primeiras plataformas...

Juninho! disse...

Se o problema do VIII fosse gráfico...

Kogama extreme disse...

Isso aí é tudo baboseira de gente burra que escreve bosta só pra ter cliques, ffviii é um dos melhores da série e com certeza absoluta vc não entende nada de RPG. Eu não consigo nem acreditar q vc considera a série ruim, Final fantasy é a franquia de rpg mais famosa e bem sucedida da história dos games, e considerada por 97% dos fãs de rpg a melhor série. (os outros 3% preferem phantasy star ou dragon quest). Mas eu to falando de fã de verdade, e não gente como você. Parece até que este post foi escrito por um gordinho de 9 anos que zoa o super mario world porcausa dos gráficos. E antes de deletar ( e eu sei que vai pq vc é um OTÁRIO), leia isso e guarde na sua cabeça pra tentar mudar de opinião e apagar esse post. Ah, e eu espero que todos os seus filhos, netos, e bisnetos naçam com HIV no sangue :)! Tchau.

Juninho! disse...

Nossa, estou surpreso com quanta educação nesse comentário.

Eu realmente não devo saber nada de RPG's e nem ter jogado uma boa parte deles mesmo, afinal eu não tenho a opinião da maioria, já que esta é a CERTA, afinal o que vende mais é automaticamente bom, não é mesmo?

Eu realmente devo ter 9 anos, ainda que eu tenha nascido em 91, ou seja gordo mesmo tendo um peso normal e não vou deletar seu comentário, vá por mim, muita gente merece rir desse seu hilário português que escreve "naçam" de uma forma tão inovadora e surpreendente.

Espero você mais vezes por aqui, educado amigo Kogama.

timewillcome disse...

Eu gosto de FFVIII, gosto mesmo. Até hoje tenho a versão de PC e umas revistas dedicadas 100% a ele que comprei na época. Mas, por diversos motivos, ele tá bem longe de ser o melhor da franquia.
Agora, o amiguinho aí é dotado de um vasto vocabulário hateriano e possui uma áurea completamente desenvolvida e treinada para a estupidez. O fraco dele é as pessoas discordarem da verdade única e absoluta do universo, já que sua vida é repleta de honra e dedicação ao sagrado. Ou seja: É um verdadeiro bosta.

Anônimo disse...

Esse é meu final fantasy favorito, respeito sua opnião... até achei engraçado o que você escreveu, muito bom!

Fëanor disse...

Li o artigo e depois nos comentários constatei que o cara é só mais um que quer pagar de super entendedor e critica o que é famoso, ficou bem claro isso quando mandou:

"se você já jogou mais de 3 jogos de RPG fora de Final Fantasy, tem mais de 20 anos e jogou Final Fantasy VIII você vai ver como ele é fraco, falho e absolutamente MEDÍOCRE."

Pois é, tenho 18 anos (não vejo em que 18 ou 20 faria diferença), joguei mais de 3 RPGs fora Final Fantasy (Chrono Trigger, Xenogears, Earthbound, Chrono Cross, Secret of Mana, Legend of Legaia, Breath of Fire, entre outros) e joguei Final Fantasy VIII, olha, ta bem longe de ser o melhor da saga realmente, mas passa longe de ser um lixo, é um jogo legal até

Juninho! disse...

Se você acredita que uma opinião embasada com um jogo concluído do começo ao fim, apresentando as falhas e conceitos furados é um mero "pagar de fodão crítico", direito seu.

Eu realmente entendo o seu lado, mas pode ter certeza, que eu jamais vou concordar com isso.

Eu dei vários argumentos e tem vários jogos usando as mesmas ideias que fazem tudo isso bem melhor, e FF pode até ser divertido se souber mesmo como quebrar o sistema, o que não é nada difícil também.

Afinal, Triple Triad FTW.

Anônimo disse...

Eu n acredito q estou em 2017 lendo uma merda de uma postagem de 2013, de uma pessoa totalmente fora de sí, que, por algum motivo fica comparando oq a mesma produtora fez em um outro jogo mas de forma diferente, e q pelo meu ver n deu nenhuma forma de melhorar o q estava criticando, ou seja, n entende bulhufaz do q estava fazendo. O jogo é sim muito bom, um dos melhores e foi produzido para pessoas com capacidade de refletir o real motivo da história e suas motivações, parece q vc copiou e colou essa merda de texto. Vc tem boas palavras para convencer pessoas q nunca jogaram o jogo, mas n são palavras q explicam o porque vc n gosta do jogo e sim apenas pegando partes por partes e criticando de forma totalmente idiota e fora de contexto. Antes de criticar alguma coisa sem saber oq é: seja filmes, jogos, e outros, eu penso se eu posso fazer melhor, pq eu tenho certeza q na época q vc escreveu esse lixo, provavelmente n pensou nisso. Se eu fosse responsável pelo jogo e tivesse lido essa "coisa" q vc postou, eu daria á vc a oportunidade de escrever um roteiro, só pra ver a merda q ia sair, pq criticar todo mundo critica, mas fazer melhor ou ter opniões validas é pra poucos, e vc n é um deles. N sei qual é a sua situação em relação á crítica, mas espero q seja melhor do que á 4 anos atrás...

Anônimo disse...

E outra, a série n afundou só pq vc gosta de dois jogos da série apenas, tanto é q já está no 15, e eu esqueci de perguntar se vc tem alguma franquia de jogos ou algo parecido, pq eu também quero fazer uma "crítica"...

Juninho! disse...

Ui, só posso criticar se eu for um designer/produtor/programador de games.

Lógica nota 10.

Anônimo disse...

Não, vc pode sim fazer críticas,apenas se souber...

Douglas disse...

Olha kara eu amo esse ff, e sua critica foi e é muito boa ri muito aqui e vou sitar o que eu mais gostei no jogo na época fiquei impressionado com a qualidade gráfica e CGIs do jogo,a aquela abertura e encerramento puts até hoje eu admiro muito,GFS Com as melhores apresentações que ja vi,Limits ótimos o ultimo do Squal pra mim é o melhor limit Break "ñ sei se é realmente assim que se escreve" que ja vi,e a historia do jogo realmente é um clichê barato que no inicio do game até antes do final parece até boa mas acaba se perdendo em uma paixão melódica sem sentido e depois ir para o espaço pra que ! puts,As junctions que vc odiou foi o que eu mas adorei no jogo juntante com o jogo de cartas horas horas e mais horas nisso kkkk,o draw magic tb achei interessante para desenvolver os personagens,obs ná época eu ~]n sabia nada de inglês e continuo ñ sabendo rsrsrs só que foi até bom pois alguns anos depois vi em uma revista que os diálogos eram péssimos mesmo kkkk,resumindo adorei a critica mas continuo amando o jogo e pra min continua sendo o melhor ff que detonei.