30 de junho de 2013

Resident Evil: Revelations


Resident Evil, Resident Evil...

Uma série mais do que consagrada, que praticamente "estreou"  o gênero Survival Horror, mas na verdade só fez as coisas andarem, o gênero surgiu mesmo com Alone In The Dark, série que nunca joguei ou sequer tive interesse.

Mas enfim, vamos ao que interessa?

Caso não queira, vamos assim mesmo! Eu hein...

O lance é o seguinte, Resident Evil como eu vivo dizendo desgastou a fórmula de zumbis e infestação na cidade, uma fórmula funcional, boa e o caralho, mas uma hora cansa!


E num ambiente de SOBREVIVÊNCIA é muito mais difícil explorar novidades sem transformar o jogo num mero shooter, coisa que aconteceu no terceiro jogo da série no meu humilde (e majestoso) ponto de vista...

Lembra que antes eu disse que odiava os primeiros? Pois é, vou dar um motivo pra vocês rirem de mim, mas só dessa vez, não se acostumem!

Eu os joguei novamente, e o 1 não desceu, continuo achando uma bosta, mas o 2 e o 3, eu realmente gostei!

Em especial do 2, mas nem de longe os achei mais legais que o 4, 5 e 6... e o 2 sim, achei Survival e tals mas o 3 não achei taaaanto assim, a Jill lá é quase uma super-heroína, pula, anda, corre, atira, tem muita bala e só falta vender produtos Jequiti!

Mas não vejo como problema, juro que não! Até porque eu gosto do formato dos jogos posteriores que deixaram os personagens ainda mais super-heróis!

Chris e seu soco de um megaton, nunca faltam!

Porém, vamos por partes, a série de modo geral nunca teve um bom enredo, sempre foi uma fórmula:

"Infestação zumbi da semana + pessoa ali presente (que deveria ser uma vítima) pra resolver".

E depois, do 4 em diante ficou assim:

"Problema de infestação bioterrorista + super-herói mega fodão enviado por alguém pra resolver".

Tá vendo como eu disse, é um shooter do 3 em diante, e pra mim nunca teve boa história!

"Mas Juninho, por que ta falando isso? Ninguém te perguntou, seu cretino".

Calma jovens, já chego lá! A real é que a série nunca foi profunda e continua não sendo, e eu acho bacana isso, por ela não tentar ser o que ela não é. Se mantendo rasa como sempre e focando em gameplay, coisa que a Capcom já faz há uns bons anos com Street Fighter (exceção de Alpha 3).

Mas eu ressaltei tudo isso, pra dizer que pela primeira vez um Resident Evil teve uma pontinha de roteiro!

E Revelations é essa pontinha, acredito até que por ter sido lançado originalmente pra 3DS, como maioria dos jogos portáteis, eles costumam ter "explicações melhores" para coisas assim, pra prender o jogador, além de normalmente ter modos extras melhores que consoles de modo geral.

Lugares escuros e fechados de volta, quase engana como "terror"...

E o jogo é limitado a não correr, assim como todos os outros da série antes do 6, afinal o jogo foi feito antes desse, inclusive!

O sistema é simples e só teve uma alteração do 3DS pras outras plataformas, que no console portátil, quando se mirava, o jogo virava primeira pessoa, limitações do console, todos nós sabemos disso e entendemos.

Porém, na versão caseira, a Capcom colocou aquilo que fez os fãs vibrarem com RE6, andar e atirar!

Melhor ideia, impossível!

Mas fora isso o sistema é simplíssimo, anda e atira, vira o personagem num movimento rápido, tem um scanner que é bem legal pra achar itens e coisas do tipo, além de escanear inimigos e a cada 100% de escaneamento se ganha um item de cura (mesmo que não faça O MENOR sentido, como eu disse, aspectos de gameplay...), arremesso de granadas e armas do tipo e se pode dar uma ou outra porrada nos inimigos quando eles esão atordoados.


Sem contar a boa e velha faquinha, sempre presente na série!

Ah, e diferente de Resident Evil 6, onde nadar era uma sequencia de QTE (quick time events), agora em determinadas partes do jogo, Jill mostra seu talento pra natação e é possível explorar em pequenas partes do game embaixo d'água.

O que realmente muda nesse game é o uso das ervas, por ter sido um jogo de portátil (vou reforçar isso), somente um brilho verde aparece na tela curando o personagem por completo a cada vez que uma erva é utilizada. Os mais chatos podem achar besta, eu acho que a função é curar, curando pra mim ta de bom tamanho!

Aposto que muitos fãs de jogos com gráficos impressionantes (como o próprio RE6) torcerão o nariz, sempre tem gente que faz isso...

Mas falando em gráficos, os do jogo não são lá grande coisa... se comparados à atual geração dos games, pra ser sincero, mas como todo leitor old school do blog já sabe, eu realmente não ligo, mesmo sabendo que é inferior mesmo à RE5, que no meu ponto de vista teve maior capricho com os modelos 3D que o 6, mesmo este sendo superior, mas Revelations não deixa a desejar, somente se comparado, claro!

Monstros com barras de sangue e um tempo correndo... Raid Mode é assim!

Caso duvidem, basta jogar partes do primeiro capítulo do game na praia e verão os peixes DESENHADOS no chão 3D do jogo...

Mas além da jogabilidade simples e eficiente que todo RE sempre teve, um gráfico mediano e Jill de volta, o que temos mais pra oferecer?

Eu lhes digo!

Agora temos de volta o velho baú, só que dessa vez ele é o "baú de armas" onde só se pode trocar de armas, sendo possível apenas 3 pro personagem carregar e com o acesso ao baú podemos utilizar o que coletamos durante o jogo, as peças costumizáveis que aumenta e eficiência de suas armas, sendo assim possível aprimorar poder de fogo, diminuir recuo, aumentar quantidade de balas e etc...

E além disso...


Resident Evil, como eu disse acima, nunca teve aqueeeeeela história, somente desculpas pra um jogo de sobreviver ou matar monstros... E não é algo ruim, mas Revelations me impressionou além do fato de ser um jogo de gênero híbrido (mistura de ação com survival horror) e foi a presença de um roteiro pouco mais significativo!

Olha, não é NADA demais, mas só o fato de ter personagens não-jogáveis com mais importância que meros soldados do Alpha e Bravo team que morreram pra justificar os eventos do primeiro game, já me deixa mais satisfeito.

E digo mais, Raymond é tosco visualmente, mas é um personagem FODA!

...

Temos inicialmente uma B.S.A.A. recém-fundada, liderada por Clive O'Brain e entre os co-fundadores estão ninguém mais e ninguém menos que Chris Redfield e Jill Valentine! Agindo separados, Chris com Jessica e Jill com Parker, o sistema de parceiros parece ter funcionado muito bem e vem sendo repetito de forma absurda, e eu acho muito bom que isso aconteça.


E existe também outra organização, que é mandado pelo governo, a FBC, essa organização inclusive, quer mostrar seu poder ao mundo, mantendo pessoas e bioterroristas com medo, e pra isso usa até mesmo de coisas sujas, tudo arquitetado pelo Morgan, um personagem legalzinho com cara de poucos amigos e postura nobre.

Tudo começa com Jill e Parker, à mandado de O'Brian indo até o Queen Zenobia para procurar Chris e Jessica que supostamente estão desaparecidos, e depois acabamos descobrindo que não estavam, eles estavam em outra ponta do globo procurando uma possível base secreta, descobrem através da B.S.A.A. que Jill e Parker estão presos no Queen Zenobia sem muita comunicação e vão atrás deles à toda velocidade!!

Falar mais que isso, seria um tremendo spoiler, mas posso assegurar, que apesar de ser uma história fraca, é a melhor da série justamente por ter uma, coisa que antes só havia acontecido em Code Veronica, mas ao meu ver Revelations teve uma pegada que funcionou muito melhor na prática e mais envolvente.

Essa é a medalha que aparece quando se completa uma fase do Raid, olhem pra MEDALHA...

Imagine minha alegria depois de jogar vários títulos da série, e me impressionar pela simples presença de um pequeno enredo, foi mágico! Não é piada, fiquei feliz de ver a série com pouco mais que o velho motivo pra matar ou sobreviver!

Mas uma coisa que Resident Evil aprendeu a ter foi modos extras!

Sinceramente, falando calmamente, tudo começou a andar de forma mais interessante com o Mercenaries do 4, que era legal mas não tinha muitos atrativos, o do 5 é fantástico, do 6 ainda melhor e assim foi até o ponto que o jogador conhece o Raid Mode! O modo extra de Revelations!

Os outros, eram shooters (ainda mais) com objetivo de matança, e isso é sempre bom e mega divertido!

Mas Raid, além de um mero shooter, consiste em alguns objetivos, seja fugir de um lugar que ta vindo água até até do cu dos monstros, ou então passar pela fase (que são partes do navio) até o final. Realmente, o nível de diversão é MUITO maior que qualquer Mercenaries.

Principalmente porque além da matança, e dos objetivos dentro da fase, temos alguns objetivos que são os de passar a fase com level abaixo do recomendado, passar a fase sem levar um mísero dano e matar todos os inimigos, e caso faça os três de uma vez ainda recebe o bônus da trindade.

Mas você deve ta se perguntando...

"Level, sério?"

Os monstros mais legais da série, alguém da Capcom andou pegando aulas...

Sim, leveis, o jogo te dá experiência no melhor estilo RPG que aumenta o level do personagem e assim melhora mira, dano e etc, sem contar no sistema de escolha de personagens que é bem vasta por sinal, porém temos pouquíssimos disponíveis de cara e o restante é desbloqueável com o passar das fases, aumentando ainda mais a vida útil do game!

Raid Mode é a prova de que não são só as drogas que viciam, porque esse modo é SUPER VICIANTE! PUTA QUE PARIU!!!

A única parte "chata" (pros preguiçosos) é o fato de que tem que ficar repondo estoque de balas, comprando itens que aumentam sua capacidade de ter mais balas, carregar mais ervas, mais bombas e etc.

Eu particularmente achei MUITO foda! Muito mesmo! Porém é subjetivo...

Enfim, Resident Evil nunca teve um jogo tão bom em sua franquia, talvez o 6 seja o único à altura (como eu disse, meus pontos de vida, sai pra lá fãs putinhas) mas ainda vou rejogar todos e prometo fazer um post sobre os melhores jogos dessa série fantástica que nada nada é a segunda maior da Capcom (ou a maior, sei lá, Street Fighter é mais antigo, mas não sei qual vende mais).

Agora podemos fazer Jill nadar, muito massa esass partes, inclusive!

E pra finalizar...

Agora, eu fiz post do Resident Evil 5 certo tempo atrás e prometi do 4 e 6, e vocês provavelmente devem estar se perguntando porque fiz do mais novo e não fiz dos outros.

Falta de tempo, e eu peguei o 4 HD há pouquíssimo tempo, ainda falo dele por aqui e o 6 a verdade é que foi preguiça de falar dele, uma vez que sei que geral fala mal dele sem nem ter jogado ele como game de ação que é, e sem falar das DLC's que eu comprei os pacotes com todas mas ainda não as joguei por conta de trabalho e outros jogos (novos) pra jogar.

Acho que eu fui a única pessoa do planeta que sentiu falta de Sheva no 6 mas deixa baixo...


Mas prometo falar! E quem sabe falo do Super Street Fighter IV: Arcade Edition quando sair a atualização do patch de 2013 que provavelmente sai depois da Evo2013...

Não sabia dessa? De nada, te informei de graça! XD

Comentários são logo abaixo, nunca se esqueçam deles, eles motivam nós blogueiros à continuar com isso!

4 comentários:

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

té qui fim ein junin?

ou o Dipaula, estou vesgo de tanto jogar Megaman Zero(culpa do post de vocês), não estou enxergando direito aqui.

rapaz, vendo os monstros desse jogo, me fez lembrar um pouco os de Silent Hill misturados com os de Dead Space..mas acho que é só impressão....nah, até parece que a Capcom está com a imaginação tão em alta assim.

ainda vou ter a minha versão Pc, (porque saí mais em conta) e vejo como o jogo está, mas pelos gameplay que tenho visto, impressiona. quase chega a sensação dos RE antigos...e...você acha o RE3 um shooter??? 0_0

"Infestação zumbi da semana + pessoa ali presente (que deveria ser uma vítima) pra resolver".

"E depois, do 4 em diante ficou assim:

"Problema de infestação bioterrorista + super-herói mega fodão enviado por alguém pra resolver".

é, pior que está assim mesmo junin/Diapaula. nem criar novos personagens que tipo, são sobreviventes nesses desastres se tem mais, como a Claire por exemplo, ela é a unica civil dos herois. com esses ataques no mundo inteiros, a Capcom podia bolar histórias com outros sobreviventes...

não como no RE Outbreak, mas criar novos protagonistas, tão carismáticos quanto e sem fodisse tipo Chuck Norris...exemplo o Leon, um tira novato em RE 2 a virar quase um Jedai não me desce. só a parte dos Lasers em RE4 me fez questionar se aquilo era para ser um game de terror mesmo

parece que esse game meio que desafogou a série do limbo que a afogava. quem sabe no tal RE7, os jogos sejam como o Revelations? não custa sonhar certo?

ao menos ainda é de graça, né Capcom?????

Juninho! disse...

Salve Leandro!!!

Sou eu mesmo, Juninho! Vale citar que Dipaula tem certa repulsa por jogos como Resident Evil, porque ele curte terror, shooters não é a praia dele, em nenhum aspecto, e acho que Revelations só agradou ele nos monstros e nada mais.

E rapaz, tive a mesma impressão sobre os monstros, uma mistura de Silent Hill com Dead Space, sai da minha mente seu seguidor de satanás! E vale citar que o Revelations foi criado por outro cara, o que faz a série normalmente tava ocupado com o desenvolvimento do RE6, saca? Então é justificável a criatividade...

E velho, sobre RE3, tipo, ele tem chaves, ambientação e etc, mas eu digo pela Jill mesmo saca, ela pula, anda, rodopia, faz balé e carrega no bolso uma quantidade exorbitante de balas de metralhadora, shotgun e handgun que joguei há pouquíssimo tempo, compara o 2 com o 3 nesses aspectos e vai me entender, mas curti ambos, de formas diferentes claro, mas preferindo o 2...

E concordo que RE precisa de personagens novos, mas discordo da parte do Leon, é mais sobrevivente no 2 e etc mas prefiro ele quase Jedi no 4 mesmo, e o 4 não é terror... a galera achava que era na época que me lembro bem mas sempre foi ação com toques de suspense.

E tipo, não acho que a série estivesse no Limbo, ela meio que "trocou" de público em suma maioria, porque ainda tem fãs que curtem os dois modos de jogo... e saiu um cartaz com algo assim:

"Resident Evil 7: The War Ends Now"

Pros fãs de survival horror, esse título de filme de ação hollywoodiano deve dar medo...

Claire de volta não seria uma má ideia, mesmo em jogos de ação, mas LEMBRE-SE...

Capcom alegou em 2012 que se houvessem muitos fãs pedindo por um remake do RE2 e até saiu um abaixo-assinado oficial, eu acho... Se algum dia você ver o Zero ou 1 saindo na PSN/Xbox Live... pode ser a hora certa da chegada do Remake! XD

Rondnelly Moura disse...

Olá amigão q show seu post. Vc sabe algo sobre as partes lendárias do modo Raid? Se puder coloca detalhes pra nós q na web ta foda de achar alguns detalhes. VALEW

Juninho! disse...

Sei não cara, eu joguei muito mas não sou do tipo que liga pra pegar tudo, saca? xD

Mas vou ver com alguns amigos, eu sabendo te falo.