20 de setembro de 2014

Devil May Cry 3 Special Edition vs DmC: Devil May Cry


Pois é galera, aconteceu o inevitável...

Muita gente mesmo curtiu o novo DmC apesar dos pesares, muitos o defendem e diz ser superior ao clássico quase inquestionável DMC3 mas vamos ver se tudo faz real sentido nessa joça.

Basicamente, a Capcom fumou um trator de maconha e pediu por um reboot da franquia. Pior ainda, enquanto a Ninja Theory fazia o jogo, a própria Capcom pediu uma reestruturação na personalidade de Dante modificando-o totalmente.

Com isso, nascia Donte. O nosso amigo do reboot, enquanto o antigo Dante permanecia no "limbo".



Existem muitas comparações do Devil May Cry 3 (Special Edition) com o DmC: Devil May Cry (Devil may Cry: Devil may Cry?) e eu farei uma análise comparativa totalmente justa (ou não) dos dois e vamos ver como isso vai rolar.

E aviso, não terei piedade de nenhum dos lados, e se tudo der certo e o famigerado DMC4 for bom, faço uma dele com o DmC também, mas só depois que eu zerar ele né...


A Desculpa


Pra quem não sabe, eu não desconsidero histórias tipicamente simples, mas eu não chamo elas de histórias e sim de desculpas. Hack'n'slash com breves exceções como Darksiders ou Metal Gear Rising: Revengeance raramente tem histórias digamos... boas de acompanhar, mas eu digo boa de verdade, que a gente quer ler e entender tudo que ta rolando.

Devil May Cry nunca foi o caso, o 3 por exemplo tem uma história de bosta, mas é legal de acompanhar, porque é divertido, Dante é terrivelmente engraçado e o jogo não se leva a sério.

Ao menos até os dois últimos capítulos, onde se leva a sério demais e conclui a "história" com um drama danado na morte de Vergil. Pena que não convence, qualquer jogador com um ou dois neurônios sabe que aquilo é uma desculpa das mais esfarrapadas pra se ter um universo onde a gente sai dando tiro e descendo a espada em tudo que se move. E nem é ruim por isso.

E olha que o 3 se resume em uma briga de família.

Mas... DmC segue só uma parte dessa ideia.

A parte do enredo simples e tipicamente ruim, mas ele se leva a sério demais da conta, tentando passar a todo instante uma sensação de seriedade seja em Donte ou na narrativa em si, contando aspectos totalmente desnecessários à torto e à direito, chegando a ser bobo...

...eu nem mesmo conseguia rir pelos motivos errados em algumas situações. Mas quando vi uma Bohemia em casa e bebi jogando, aí eu ri. Ou seja, jogue DmC com uma gelada na mão. Vai ser mais lucrativo.


A "história" é basicamente um cara que se diz Dante, mas na verdade é Donte. Do qual é um fraco que foge dos demônios e agora ao invés de um meio humano e meio demônio, virou meio anjo e meio demônio.

Isso é um clichê ainda pior que o anterior, e num próximo DmC se Donte trocar a parte anjo por vampiro, eu não ficaria surpreso.

E é isso... Um mundo onde demônios e anjos sempre brigam numa "dimensão paralela" ligada à nossa chamada Limbo, onde políticos e celebridades na verdade são demônios disfarçados e por aí vai. A ideia base é até funcional mas além de usar ela mal e da pior forma possível, ainda tentam te fazer levar isso à sério.

Principalmente porque o jogo tem várias coisas bizarras como Vergil ser forte e não lutar antes do Dante aparecer (???), sêmen de esquilo que leva ao Limbo (???), refrigerante que causa lobotomia e controle mental e que nas propagandas ainda dizem emagrecer e aumentar o desempenho sexual (????????????)...

Sério, alguém foi pago pra escrever isso?

Na boa, a "história" do DmC não é só ruim por ser tipicamente americanizada e sim ruim sozinha, mesmo se o DmC tivesse outro nome ela ainda um belo amontoado de estrume.

Dante vs Donte

Morra Donte, você tem o carisma de uma joelheira

Eis que vejo o motivo pelo qual a maioria odeia o jogo, mas vamos ser sinceros... Só um pouquinho mesmo?

Que diferença faz o personagem que a gente joga num jogo onde nem tem história direito? Nenhuma!

Correto?

Mas a verdade é que o Dante é um clichê de animes shounen, exagerado, bobo, que faz piadas do nível do Homem Aranha (ta, eu sei que exagerei, as piadas do Dante são melhores) e ele é engraçado de um jeito meio maluco, e dentro de vários e vários jogos do gênero onde todo mundo é um padrão tipo Kratos de herói com cara de cu intocável, Dante era um intocável divertido, fazia a diferença e a gente poderia facilmente ignorar todo o enredo de bosta pra se divertir nas cenas que ele fazia, nos diálogos bobos e altamente debochados.

Enquanto Donte...

...é só uma versão a lá Kratos do Dante. Kratos é legal por si só, mas Donte não, ele só é a versão ocidental do clichê de Dante e pior de tudo... UMA VERSÃO FRACA!!!!

Trocaram o clichê de shounen por um clichê americanizado, de galã sarado que pega todo mundo, que come todo mundo, que diz "fuck you" a cada cinco segundos, que não se importa com nada metido a lobo solitário e que se gaba por isso à pontos ridículos.

Poético

Sério, Donte é difícil de engolir, difícil de tolerar, mesmo levando em conta o quanto hack'n'slash tem personagens que a gente poderia simplesmente ignorar e facilmente nos esquecer deles.

Quer mais? Ele como eu disse é um fraco, que se ocupa comendo todo mundo pra simplesmente ignorar os demônios do mundo, afinal de contas lá ele não caça e sim é caçado, tanto é que o Limbo vem até ele numa tentativa de mata-lo e etc.

Sinceramente, o problema de Donte não é meramente visual e sim a descaracterização de Dante e pra algo totalmente ridículo, o que a Capcom não entendeu é que mesmo fora do Japão, as pessoas curtiam o Dante pelo que ele era, não meramente por questões visuais. Tá certo que o visual é ruim mas não é SÓ por isso.

Dante é memorável por seu bom humor, seu carisma gritante e seu imenso sarcasmo, enquanto Donté é um personagem que dificilmente vou esquecer mas por motivos completamente errados.


Ambientação


Esse é um ponto onde inacreditavelmente DmC supera DMC3.

Porque DMC3 é simplesmente alguns cenários que se repetem, dão um cansaço visual e aquela sensação de "to aqui de novo..." porque é tudo muito "cinza", muito sem graça... E além de tudo cansa, tá certo que tem seus inimigos legais e tudo mas acaba não saindo muito do mesmo feeling em diversas partes.

E ironicamente DmC é um lugar colorido, bonito, com bastante diferença de um lugar (e nas cutscenes ainda meio cinzento demais...) pro outro e com monstros mais genéricos porém melhores no meu humilde e supremo ponto de vista.

Em DmC as coisas nesse sentido funcionam melhor, dão mais ar de "coisa nova" a cada fase que se passa ao invés de uma repetição.

DMC3 nesse ponto é um saco viu, voltar naquela torre mil vezes... Blergh.

Acho que a coisa mais realmente engraçada nessa situação é que o DMC3 é tipicamente um jogo japonês e tem poucas cores, por ser com foco em algo mais cinzento enquanto o DmC que é um jogo feito pra atingir  o público ocidental é extremamente colorido e variado.

Sério, chega a ser engraçado essa contradição.

Mas falando francamente, nunca vi nada parecido na franquia com  o que tem em DmC, o cenário começa a fechar, querendo te matar, distorcendo a ambientação local, tentando te prender e passa uma sensação de perigo muito legal mesmo. É muito foda!

Isso é sensacional mesmo, de tirar o chapéu e se curvar.


Trilha Sonora


Eis um ponto onde não vejo nada além de um empate, a diferença básica mesmo seria que no DMC3 o som é regado a metal e techno e o metal ainda por cima é de uma maneira meio arranhada, distorcido mesmo.

Acaba combinando bastante com o clima do jogo.

E  no DmC não fica muito diferente, o metal tem mais ou menos a mesma pegada e ao invés de techno botaram uma coisa mais atual, o dubstep.

Nas mesmas partes onde normalmente teria uma parte mais eletrônica ou umas distorções, colocaram uns remix muito dos bons de dubstep que acabou casando direitinho e não tem muito o que debater.

Nesse ponto, os dois pra mim são diferentes mas no mesmo nível, eu poderia ouvir a OST inteira de ambos sem o menor dos problemas.

Mas qual eu prefiro? A do 3. Tem mais a ver com o que eu curto, mas a do DmC é igualmente boa.

Gameplay de Forma Geral


O terceiro jogo simplesmente pega tudo que tinha no primeiro com o upgrade do segundo, junta as duas coisas e monta um gameplay simplesmente fantástico, soberbo, variado e com 4 estilos iniciais e mais 2 durante a campanha ainda vem de brinde.

Essa variedade não só aumenta a longevidade como também te limita em vários aspectos, propositalmente, claro.

Você usa duas armas de fogo e duas brancas, só com isso já se pode criar leques gigantes de possibilidades associados à um dos estilos que você escolha, com tudo isso, se cria uma possibilidade gigante de jogatinas variadas dentro do mesmo jogo.

E é aquela velha fórmula, se leva porrada, você dropa o combo, tem que começar tudo de novo, além do fato jogo te punir se repetir o mesmo combo, você tem quatro armas nas mãos, tem mais que variar mesmo.

Já em DmC aquela frase dos marombas de academia não faz efeito.

Sim, me refiro à "no pain, no gain" porque aqui não há o menor esforço envolvido pra se ter recompensa. A sensação de recompensa existe mais nas partes de explorar o jogo pegando uma chave e abrindo uma porta do que nos combos em si.

Por motivos um tanto quanto ridículos, o primeiro de tudo, você jogador pouco atento vai notar que mesmo apanhando o combo não dropa, porque ele é inteiramente baseado em quanto dano você pode causar, e o jogo te pune muito pouco por repetir o combo só diminuindo o quanto de rank você ganha (que já é muito) e tudo só fica mais fácil com o uso da Demon Evade, que por sinal o jogo te permite comprar com minutos.

A Demon Evade se usada corretamente, o que é uma coisa de timing e ridiculamente fácil (afinal, os inimigos ficam parados e quando atacam, atacam devagar e você pode facilmente pegar o tempo) e quando feita com sucesso, Dante ganha um pequeno período onde TODOS os seus golpes são simplesmente com dano DOBRADO!!!!!

DOBRADO!!!!

Ou seja, Demon Evde + Stinger = Rank SSS.

E o Devil Trigger, enquanto está sendo usado também dobra o dano. Se combinar com o Demon Evade... O dano é multiplicado por 4. É muita mamata.

E se for em boss battles: Demon Evade + Devil Trigger. E o desafio do jogo morre por inteiro.

Como por exemplo esse vídeo numa das dificuldades mais altas.



No DMC3 por exemplo, pegar orbs, evoluir o Dante e etc, era uma coisa trabalhosa? Sim. Mas não menos divertido porque era você que tinha que se desdobrar, achar as coisas, fazer combos variados e devastadores e mesmo o que você compra não é tão roubado quanto em DmC, afinal de contas no reboot (que agora é oficialmente spin-off, graças à Kami-Sama) basta fazer combo de SSS que não é nada difícil, ganhar pontos de melhorias e comprar tudo de mais roubado logo nos primeiros momentos do jogo.

A desculpa que os fãs do DmC usam é "descomplicaram o sistema", e na boa. Pra mim é só preguiça da Ninja Theory, afinal de contas, o gamer atual é muito bundão e gosta mais de assistir o jogo fazer tudo do que pegar e jogar por si só.

Nem ao menos botaram o maldito Lock-On no jogo, faz uma falta do cacete. Porque eu quero saber onde estou direcionando o personagem e em qual inimigo eu quero bater. Ora cuecas.

Pelo menos o DmC consertou em praticamente 100% as poucas partes de plataforma e câmera do jogo em si, esses dois elementos nunca foram muito bons na franquia e eles consertaram muito bem, e ainda usando a Unreal Engine com muito polimento de forma que o jogo é muitíssimo fluído, esse mérito o DmC tem, mas perde na parte mais importante do jogo, que é o combate... Ele falha.

Não existe muito o que se pensar e fazer, basta metralhar botões. Enquanto no DMC3 é uma questão de simplesmente usar sabiamente todos os botões do controle à todo vapor.


Conclusão:

JACKPOT!!!

Apesar da câmera horrenda DMC3 vence tranquilamente por vários motivos, não tem uma narrativa forçada tentando pagar de séria, em 90% do jogo você entende ele se "assumindo" como algo simples e tentando ser divertido. E ainda por cima consegue, porque Dante é extremamente sarcástico e isso é boa parte da graça do personagem.

E olha que ele é raso feito uma poça d'água.

DmC tem seus méritos, a parte de plataforma está melhor do que nunca, a trilha sonora é igualmente fantástica, a câmera nunca foi tão boa mas a tentativa absurdamente ridícula de te fazer levar o jogo a sério com um enredo de bosta desses e a mecânica não somente simplificada pra algo quase próximo de um button smasher mas também um tanto quanto quebradas mancham em boa parte o jogo.

Muita gente usa como argumento que o DmC "descomplicou" o sistema de DMC3 e DMC4, mas na verdade só pegou o sistema e o deixou pra bundões. Ainda me fizeram o favor de remover o Lock-On, deixar o jogo ridículo de tão fácil mesmo nas dificuldades mais altas, deixaram o Dante no ápice do clichê e ele deixa de ser só irritante pra ser insuportável ao longo de poucos minutos de jogo. Enquanto o Dante antigo era legal ou mesmo ignóbil.

O jogo era mais gameplay, DmC peca da mesma forma que Castlevania Lord of Shadows peca, tentando te forçar a barra pra que você veja de forma crível uma história que beira o retardado. Pois vejam, o jogo poderia ter tudo, mas de forma satírica ou mesmo descompromissada tal como os antigos mas não, ele tenta te forçar a todo custo que aquilo é sério, que você jogador deveria acreditar e na boa, é sem dúvidas uma das piores histórias que eu já vi.

Ok, eu poderia ignorar dos antigos que são ruins, mas à partir do momento que o jogo me empurra a ver uma narrativa eu tenho que considerar a existência dela como algo trivial pra um veredito. E ela é uma bela duma bosta.

Deixando bem claro que o tal do Tameem da Ninja Theory disse que o DmC revolucionaria o mercado de narrativas em jogos, que o novo DmC teria a história boa e complexa que nenhum outro jogo da série teve.

Sério, não consigo lembrar disso sem deixar escapar uma boa gargalhada.

Com tudo isso, DmC acaba não sendo necessariamente um jogo ruim, mas acaba sendo um jogo meh sozinho e um péssimo Devil May Cry, e ao invés de DmC poderia muito bem se chamar Devil MEH Cry.

Definitivamente, o problema desse jogo ta longe de ser "apenas um Dante de cabelo preto".

Ei Ninja Theory:


Mas... Quer saber, vou complementar:

"It's gonna be a hell of party"

Agora sim, ficou lindo.

21 comentários:

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

vendo esse post, me fez voltar aos antigos sites de notícias para ver a matéria onde esse DMC estava prestes a ser lançado. comentários de ódio e repúdio (e com razão) a aqueles fanboys cegos da franquia aos gamers que ao menos dariam uma chance ao jogo. já que a critica estava elogiando o DMC como se não houvesse amanhã...

bem, o tempo já passou e mostrou que mesmo o game vendendo...não foi o que a Capcom queria. eu já zerei todos os Devil May Crys, talvez eu pegue esse game na Steam só para xingar mesmo e julgar os pontos apontados aqui.

eu preferia muito mais a versão que esse game se passava antes do Devil May Cry 3 ( o que seria DMC 0) e que Dante ainda não tinha um objetivo na vida e estava aprendendo a usar os poderes de demônio.

Carlos Henrique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Henrique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Henrique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Resumindo: Você é casual e não aguenta os controles complexos dos DMCs antigos. Por isso se agrada com jogos como DmC e God of War que entregam tudo de bandeja sem exigir nenhum esforço da parte do jogador.

Um exemplo de gamer, senhoras e senhores.

Juninho! disse...

Melhor hack'n'slash? Já jogou os Ninja Gaiden atuais ou mesmo Metal Gear Rising? Porque vai me desculpar, o problema do DmC não é o Dante...

...obviamente a história se levar a sério demais e cortar as partes de gameplay pra ficar contando uma narrativa tipicamente idiota são um problema e dos graves, mas pensa, a história dos outros era ruim e inofensiva mas a do novo é idiota e ruim, porque um refrigerante com nome de Virilidade não pode ser uma boa ideia, principalmente levando em conta que ele é um refrigerante que causa controle mental e feito no estômago de um demônio.

E o problema maior é o Gameplay. Quem acha que God of War revolucionou no gameplay se engana, ele revolucionou na parte de diminuir loadings e cutscenes. Porque o gameplay é absolutamente casual e se você acha DMC3 ou DMC4 duros é o mais total sinal que não sabe jogar ou nunca tentou aprender porque o DmC não é só "mais fácil". Ele é de graça mesmo.

Demon Evade + Devil Trigger e mais nada.

E sobre o desafio, eu vou dar duas risadas. Uma por você dizer que um dos jogos mais quebrados da sétima geração em todos os aspectos é desafiador e o outro por ter tirado o texto daqui:

http://regames.wordpress.com/2013/02/08/melhores-de-2013-dmc-devil-may-cry-pcps3x360/

Sinceramente. Ter uma opinião sua é uma coisa, copiar e colar de outra pessoa é beeeeeeeem patético.

Carlos Henrique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Henrique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Henrique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Henrique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Juninho! disse...

Calma meu rapaz, eu comentei com o meu nome. Eu jamais comento no anonimato porque não tenho motivo suficiente pra esconder minha cara uma vez que meus textos tem meu nome. Sequer faria sentido.

E eu nunca falei que DmC é ruim, falei que falta desafio e a história é um lixo completo. Desafio falta sim, e falta totalmente em todos os aspectos. Porque existem 2 ferramentas que quebram o jogo. Aliás, sem elas o jogo também não é difícil. E nem é necessário entender muito bem do sistema pra isso.

E eu já zerei Ninja Gaiden, acha mesmo qe God of War é desafio? Sério? Porque se for o caso. Não é. E eu já zerei sim.

E gamer não é o cara que joga coisa difícil e sim quem JOGA ao invés de ficar metralhando botões e achar que isso é uma vantagem, God of War é um puto dum bom exemplo de jogo bom que é um esmaga botões desenfreados, dá pra zerar a maioria dos jogos só no quadrado. Vai negar?

E zerar Dark Souls pra pagar de fodão nesse caso não teria o mesmíssimo peso do cara que zera DMC3 no DMD na sua humilde opinião?

Carlos Henrique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Henrique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Henrique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Henrique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Henrique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Henrique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Henrique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Henrique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Henrique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Henrique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.