22 de setembro de 2014

Ironic Post - DmC: Devil May Cry


Opa. Opa. Opa.

Pra quem não me conhece eu sou o Ranger Irônico e vim aqui hoje defender esse pitelzinho dos games que o Juninho fez o favor de falar mal no post comparativo com o DMC3.

Alguém leu? Alguém lembra?

Aposto que não.

Olha eu, que bonito

Basicamente é o seguinte, quando o Juninho sai de casa e deixa o Mozilla Firefox com o Blogger aberto eu sempre ficava ali olhando, tentando defender as coisas que ele fala mal tipo Final Fantasy VIII por exemplo.

Afinal de contas, ele ta totalmente errado, as pessoas tem o direito de trocar uma marmita de comida por uma sacola cheia de merda e podem sentir o sabor de verdade ali. Correto?

Pois bem. Here We Go!!!!

Ou melhor.

FUCK YOU! HERE WE GO!


Uma Narrativa Impecável


Tameem Antoniades prometeu uma narrativa impecável e que mudaria totalmente os parâmetros de jogos de ação do mercado e cumpriu.

Dante de herói japonês manjado agora se tornou um fodão impecável da justiça americana. E ainda tem mais, aquela peruca japonesamente tosca cai na cabeça dele e ele diz:

"Nem em um milhão de anos que eu ficaria com essa cara de viado"

Isso aí Dante. Esse é o espírito do americano genérico verdadeiro, apesar de ter sido feito por uma equipe britânica e ter um símbolo do Reino Unido na jaqueta. Porque lógica é pros fracos.

Quer mais?

A história conta uma coisa totalmente original de demônios que controlam humanos, negando assim toda e qualquer possibilidade de seres humanos cagarem nas coisas, afinal de contas, tudo que acontece de bom é dos homens e tudo que acontece de ruim é dos capirotos que nunca tiram folga numa tentativa alucinante de nos corromper. É a originalidade americana em ação cada vez mais forte.

E ainda por cima o Juninho vive dizendo que a história é esburacada.

O enredo é maduro, adulto, com uma profundidade que Dante tem e jamais teve em nenhum outro jogo da série. Querem um exemplo?

Dante e Vergil tem suas mentes apagadas por Sparda ao atingir 7 anos de idade. Quem liga pra como Vergil recuperou a memória? Quem liga pro motivo de Dante nunca ter lembrado? Quem liga pra porra de esquilo que eles usam como magia negra no jogo pra levar ao Limbo? Quem liga pro motivo do qual Vergil simplesmente ignora a própria força por boa parte do jogo? Quem liga pro fato de ninguém se importar com a Kat?



Ou mesmo do diálogo inicial dela com Dante falando que se ele atirasse nela, ela morreria, mesmo não estando na mesma dimensão que ele.

Sério. Quem se importa com isso?!?!

A narrativa é tão genialmente bem aplicada que ela não tem buracos e sim possibilidades interpretativas que variam de pessoa pra pessoa. E não vem com essa do jogo se levar a sério demais, porque ele É sério. Por que não seria? Me diga?

Você acha mesmo que Shakespeare teria a ideia genial de um demônio como Succubus produzir um refrigerante que causa controle mental e lobotomia nas pessoas? A reformulação da história é genial. 

Tanto é que o Dante de piadas engraçadas agora manda todos tomar no cu. É o ápice da seriedade. Quantos personagens disseram isso ao longo dos videogames? Quase nenhum. Dante revolucionou o mercado. Lide com isso.

Porque piada boa, é piada com sexo gratuito e desnecessário. O resto é coisa de viadinho.


Jogabilidade Descomplicada Mas Desafiadora Ao EXTREMO


Sinceramente, qual o problema que vocês veem no DmC?

Se algo é forte demais, só não use. Ora pombas. Os programadores são pagos pra fazer o jogo e não pra deixar ele equilibrado. Isso é uma coisa que só uma minoria faz e se no DMC3 ou DMC4 tinham é que na verdade teve muito dinheiro envolvido como pagamento extra. Por isso ficou equilibrado.

Então, como diziam os sábios da internet:

"Se algo é forte demais, basta não usar."

Exato. E pronto, você vai ver que não é tão problemático assim.

Afinal de contas, pensa comigo: Dante agora pode usar tudo de uma vez, é natural que ele atropele tudo que se move sem o menor desafio mesmo nas dificuldades mais altas.

Só por que você pode comprar tudo de roubado com menos de 1 hora de jogo não significa que você precise usar. Logo comprar isso acaba se tornando redundante e os pontos gastos já eram. Burro é você de ter comprado isso.

Tipo as batalhas com os chefes, agora mais do que nunca temos um show de efeitos, cenas, cutscenes com desafio altíssimo de usar Demon Evade e Devil Trigger mas como isso é um recurso de emergência use só quando sua Health Bar estiver bem vazia. Mas provavelmente não vai precisar. Porque você pode mostrar toda a força de Dante tirando caminhões de energia dos chefes com poucos golpes.

É a mistura perfeita da força de Dante com a sua habilidade de metralhar botões. Nada de "jogo fácil demais" que todos insistem em dizer. Tão verdade que como eu disse acima, a Ninja Theory mandou patches pro jogo e não corrigiu isso, deixando bem claro que o novo parâmetro era você mesmo montar um equilíbrio da gigantesca força de Dante in game.

E outra, agora todo mundo pode fazer tudo cara, sem o menor esforço.

Sair da tela ficou tão complexo e acessível.

Sabe por que? Porque a melhor jogabilidade é que a que você mesmo equilibra ela. Afinal de contas, como eu disse, equilibrar é coisa de grana por fora, se o jogo te deixar matar o gigante desafio com Demon Evade e Devil Trigger, basta simplesmente não usar. Tenha em mente, eles SÃO recursos de emergência. Coisas que só se deve usar em casos extremíssimos.

Dizem que se pode usar toda hora, mas é mentira. Onde já se viu possibilidade de usar o mesmo recurso duas vezes num intervalo gigante de 30 segundos ser algo rápido? Nada mais que intriga da oposição. Daqui a pouco vão alegar que é coisa do PT.

Vocês fãs são uns chatos isso sim. Quer coisa melhor que você mesmo equilibrar o jogo? É uma oportunidade única que só a Ninja Theory poderia te oferecer. E pensa bem, mesmo com patches ela sequer tirou a essência do equilíbrio ser montado por você mesmo.

Genial.


Ver Ainda É Melhor Que Jogar

Muita gente diz que só a ambientação do jogo é foda e eu discordo.

Não, não foi só ela que melhorou, agora eu posso metralhar botões como se não houvesse amanhã e ganhar Ranks altíssimos porque... por que não?

Antes dava trabalho, era muito o que jogar. Tinha que ficar sendo estiloso e tals... Blergh! Balela! Quem se importa com essas bobagens?

Eu quero mais é ter um rank alto metralhando botões e falar Fuck You a cada cinco segundos igual meu herói renovado, Dante.

Mas me empolguei me melando pro novo Dante, voltemos aos gráficos.

Olha que linda homenagem ao DmC.

Basicamente o cenário quer te matar e tals, tem elementos de plataforma daora pra caramba... E as cenas são totalmente geniais, várias e várias cenas com pouco enredo sendo contado deixando notáveis espaços pra sua livre interpretação e não é só isso, muita coisa ficou melhor de ver, afinal o gráfico é melhor e isso com toda certeza faz com que esse jogo seja tranquilamente melhor que o terceiro ou quarto jogo da franquia.

Agora você pode também ver mais que joga. Por exemplo: os Jump Cancels.

O que antes era uma coisa de nerdão fazer, agora é simplesmente uma coisa mais que acessível. Mantendo totalmente o parâmetro do desafio altíssimo com a jogabilidade totalmente descomplicada. Dizem que é porque a maioria dos gamers atuais são bundões pra cacete, preguiçoso e gostar mais de metralhar botões e ver cenas do que jogar, mas é uma mentira. Acontece que só não queremos algo que dê muito trabalho. É bem diferente.

Mas veja como Jump Cancel ficou desafiador no ponto certo. Agora basta pular e usar a foice, pular de novo, usar a foice, pular de novo, usar a foice... E uau. Isso é tão difícil. Apertar os botões com cerca de 2 segundos de intervalo é algo pra qualquer um? É tão complexo e desafiador só que agora de forma descomplicada enquanto o 3 era aquela coisa de nerdão virjão.

Tão verdade que agora Rank SSS é a coisa mais hardcore desse mundo, basta levantar mil inimigos com a foice a fase inteira e bingo. Terá vários rank SSS. Tá vendo como tá difícil ainda só que na medida certa?


Povo Odeia Dubstep É Tudo Hater

...afinal de contas, Dubstep é o que há de mais de moderno pra complementar uma OST regada de rock e metal pesados. Não é mesmo?

Se antes era um techno agradável, agora temos dubstep. Até o Juninho gostou disso gente, tá vendo como é perfeito?

O Dubstep é tão forte que tem uma cena própria no game. Genial.

Ninja Theory atendeu aos pedidos de ocidentalização do jogo como um todo, mudando não somente o Dante com toda a sua japonezice mas também os sons do jogo pra algo mais moderno. E quanto mais atual e moderno melhor. Nada de essência, quem se importa com isso.

Eles entenderam que nós do ocidente seguimos a moda do mundo, o dia que o Samba for destaque nas raves mundiais, teremos um possível DmC 20 com metal e samba acoplado em sua sonoridade e até lá, o Dubstep será uma coisa velha e ultrapassada, tal como Techno hoje em dia.


Conclusões Conclusivas Que Concluem

Realmente, DmC é uma evolução aos limitados DMC3 e DMC4 que só tiveram equilíbrio por causa de investimento extra direto da Capcom nos programadores, enquanto DmC supera eles em tudo.

Principalmente na parte da narrativa que é impecável, mostrando como a Ninja Theory realmente foi suprema e nos mostrou versões mais atuais e melhores de personagens de fantasia. Foda-se os fãs idiotas que não entendem a nova proposta do jogo, ela não é ruim por ser nova, ela é na verdade tudo que as outras nunca foram.

Ou seja, uma proposta que te permite ver mais do que joga, que te dá um gameplay totalmente sem frescura onde você metralha os botões e faz combos sem o menor estilo, porque estilo é pros fracos ou viados.

E tem mais, a proposta atual é totalmente profunda, madura, inteligente e com um plot twist genial no final de Vergil querer dominar os humanos obrigando os irmãos a lutarem, uma coisa jamais vista na série antes.

Se você odeia, saiba que foi uma evolução. Lide com isso.



Sem falar no gameplay que de tão bom, você que molda o equilíbrio dele. Quer coisa melhor do que se sentir um programador do jogo sem nunca ter programado?

Ele vendeu um milhão e meio e a Capcom afirma isso como fracasso comercial. Onde já se viu uma franquia de nome que vendeu horrores em gerações passadas ter vendido mal com 1 milhão e meio? Eu nunca vi.

DmC é um clássico injustiçado que a mídia especializada deu notas altíssimas e não foi nada ligado ao fato de talvez terem sido pagos pra isso e nem pelo fato do gamer atual ser um bundão e sim porque eles são os reais entendidos do assunto. Quem se importa com os fãs de uma coisa ultrapassada como a antiga proposta de Devil May Cry?

Se você considera o antigo melhor, sabe o que eu tenho a dizer sobre o DmC ser melhor em tudo:

MEU PINTO É MAIOR QUE O SEU!!!!!

2 comentários:

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

mas um post do Junin....ahhh, você não é ele, certo?

porque logo o Change Red é o irônico da turma? deveria ser o metido do Gokaiger vermelho, que só assisti a série inteiro devido a Gokaiger Yellow/Luka que é gostosa pra cacete, enfim...

"Porque piada boa, é piada com sexo gratuito e desnecessário. O resto é coisa de viadinho."


pfft...já vi que tu gosta do humor estilo Zorra Total. mas, gosto é gosto.

""Se algo é forte demais, basta não usar."

e quando o problema, Ranger, é o personagem inteiro??? o Donteeh em si já é forte demais


"Não, não foi só ela que melhorou, agora eu posso metralhar botões como se não houvesse amanhã e ganhar Ranks altíssimos porque... por que não?
Antes dava trabalho, era muito o que jogar. Tinha que ficar sendo estiloso e tals... Blergh! Balela! Quem se importa com essas bobagens?"

essa geração regada a God of War com Ovomaltine.tsc,tsc,tsc. já vi que esse Ranger nem aguenta com desafios. se você jogar um Dark Souls, tu vai chorar para mamãe ou jogar o game fora. num é possível

Donteeh pelado!!! AAAAARRRRRGGGHHH!!!!!!!! meus olhos!!!!

prefiro Rock a Dubstep #CHUPARANGER!!

e você é japonês, nem venha comparar o seu P#$#$# com os leitores brasileiros. JAHAHAHAHAJAJAJAHAHAH!!!

que o Dono do Blog, Junin, te mande pra PQP!! hehehe.


tchulanguero disse...

Hwa hwa hwa, boa. O fato é, hack 'n' slash bom são os feitos no Japão mesmo, se não for aquela dificuldade absurda com zilhões de coisas acontecendo na tela ao ponto de você dizer "espero que seja eu quem esteja batendo", não tem graça.