12 de setembro de 2014

Ninja Gaiden Sigma - Separando Meninos dos Homens!


É galera... Pois é.

O título ta bem sugestivo, certo?

Tempos atrás, eu vi um vídeo do Zangado contando a história dos Ninja Gaiden, porque certo dia eu lembrei da série e vi que eles eram famosos por terem sido os pioneiros na introdução de cutscenes nos jogos da época do finado Nintendo 8 bits ou conhecido nas esquinas e bares pobres de todo Brasil como Nintendinho...

Com isso comecei a me interessar, e joguei o Trilogy do SNES. Cacete, que treco difícil. O 1 eu terminei com cheats porque é meio ilógico jogar ele normalmente sem muito aviso e o 2 eu acabei largando por jogar RPG's e etc, mas ainda prometo terminar. É uma promessa interna.

Não olha pra mim com essa cara porque eu terminei o NG1 com cheat, eu sei que você PROVAVELMENTE demorou muito ou usou também.

Enfim, vamos prosseguir.

Pra quem não sabe, Ninja Gaiden teve um reboot.

"Nossa Juninho, que novidade."

Pois é, uma novidade com 10 anos de atraso, afinal de contas, o remake é de 2004.

Você pediu um bife? Serve esse que tirei de você?

Depois disso saiu a versão atualizada com novas dificuldades e mais detalhes aqui e ali e era Ninja Gaiden Black, e isso em 2005.

Logo depois, em 2007, saiu o que diz um amigo meu:

"Ninja Gaiden Sigma é o remake, do remake, do reboot (?)"

Sim, isso mesmo. Parece confuso, eu sei, mas vamos lá.

Sabe quando a parada ta com gráfico pronto e eles esticam em HD e foda-se? Nesse caso não foi assim, eles redesenharam alguns lugares, alguns cenários são praticamente outros por conta de brilhos e novas cores de texturas e cenários mas eu honestamente preferia que fosse igual ao Black, mais sóbrio, mas quem sou eu pra reclamar de algo que apesar de diferente, ficou consideravelmente impresisonante, em vista da sua época de lançamento.

Bom, falando francamente, Ninja Gaiden é daqueles jogos mais arcades, voltado pra pontos e passar fases, os primeiros por sinal tinham uma breve historinha que era legal de acompanhar, posso falar por mim mesmo em vista do que joguei do primeiro do Trilogy no SNES mas a verdade é que a história era simplória e boa somente pra sua época.

Considerando tudo isso, é um jogo com um bom enredo, mas nada atemporal.


Em Ninja Gaiden Sigma (ou Black, o de 2004) o enredo agora é algo antes do primeiro jogo, o pai de Ryu não tava morto nem nada e a Espada Negra do MAAAAAAAAAAAALLLLLLLLLLLL havia sido raptada e clamava por socorros imediatos.

Não é literal a parte da espada clamar por socorro, por favor viu...

Em tempos modernos como os nossos, um enredo tão simplório e bobo chega a ser seriamente ofensivo de tão idiota a menos que você tenha padrões de exigência absurdamente baixos.

E é verdade, doa a quem doer, a menos que você veja profundidade num enredo onde você consegue prever cada movimento dele e inacreditável... simplesmente acontece tudo como o previsto.

Eu logo nos primeiros 30 minutos do jogo deduzi quem seria o último chefe, deduzi que a moça que aparecia na abertura (Rachel) seria sequestrada e eu teria de salva-la, deduzi que eu teria muitas coisas totalmente clichês e previsíveis e veja só, o dono do blog é quase uma mãe Dináh.

Ou seja, Ryu morre e ressuscita, busca vingança blá blá blá, Rachel aparece tentando salvar a irmã da maldição e blá blá blá, aí tem um samurai do capeta blá blá blá e no final o último chefe que queria a espada porque sim e mais blá blá blá...


Tem até uns livros no jogo que enriquecem o universo mas a história do jogo que é bom mesmo... NADA! Eu li boa parte deles e simplesmente são absolutamente insignificantes, eu reconheço o capricho deles, não é nem de longe muito difícil perceber que se esforçaram mas é completamente desnecessário.

Mas ironicamente... O jogo apesar do enredo RUIM é divertidão de acompanhar, provavelmente porque eu, Juninho da Silva Sauro, gosto muito de enredos de Ninja, mesmo os mais puramente clichês.

Antes clichê que algo próximo à Final Fantasy VIII. Kami-sama que me proteja daquilo.

E sim, eu prefiro o "enredo" do Ninja Gaiden Sigma do que o do Final Fantasy VIII, e isso não foi uma piada.

Mas essa é provavelmente a pior parte, então vamos pra próxima.

A trilha sonora do game é simplesmente SOBERBA! Caralho, que trilha sonora bem colocada foi essa, PQP!

As músicas variam do rock ao eletrônico passando por músicas puramente nipônicas, as que não são totalmente japas tem ao menos parte da essência japonesa com uma ou duas excessões. Simplesmente sensacional, boa parte delas passa o clima certo, seja exploração, batalhas, chefes, ou mesmo aquele clima de aventura de ir de um local ao outro pra descobrir o que diabos vai rolar. A direção musical do jogo foi totalmente impecável.

"Sinta o poder ninja da sola do meu sapato"

Eu poderia dizer claramente que não é perfeita, mas é marcante, principalmente pelas músicas combinarem exatamente com cada situação de forma brilhante.

Caso queiram ouvir, saca só que foda. Basta clicar nesse link.

Enquanto escrevo isso, to bem de boa ouvindo no celular a trilha sonora do jogo num período tranquilo do trabalho.

Não, eu não sou vagabundo, apenas tenho tempo livre pra jogar e escrever... Eu hein.

O gráfico do jogo é bem bonito, considerando um jogo de 2007 e o fato de ser um port do primeiro Xbox pro console da Sony, é realmente de impressionar, ta certo que como eu já falei acima, eu prefiro o gráfico mais sóbrio do primeiro Xbox, mas nem de longe acho esse ruim, eu não sou fresco, se eu tivesse como jogar as duas versões, eu faria isso sem sombra de dúvidas.

O que achei de problema no gráfico do jogo nem foi totalmente isso...

Efeitos de sangue do NG remake original ou do Black eram de sangue digamos... mais líquido, eu observei em vários e vários vídeos do YouTube que apesar de sumirem MUITO rápido, eles são bem feitos e tinham a impressão certa de sangue jorrando.


No Sigma não... é um efeito de sangue "pronto" e até meio feio, mas ao menos está lá, o foda de tudo é que além de ser consideravelmente menos sangue (pouco, mas é menos) é um efeito em 3D que muitas vezes não "encaixa" com o cenário, dando a impressão que o sangue ta "voando" muitas vezes. Em algumas situações é bem bizarro.

Chega a ser engraçado em alguns casos, eu nem creio que seja um problema grave...

Grave mesmo seria a câmera de bosta, que é ruim, lerda e segundo dizem corrigiram bastante do original e do Black mas porra, ela ainda é uma grande e estúpida merda de elefante muitíssimo bem cagada.

Sinceramente, se não fosse o R1 pra ajustar ela automaticamente, eu não sei como seria a progressão do jogo, é realmente bem retardada a câmera e provavelmente um aspecto sério como esse seria o único motivo pra não dizer com todas as letras que é um jogo PERFEITO!

A história é ruim, eu sei, mas ela me desce, apesar de tudo, mesmo eu tendo total consciência que os 3 do NES eram melhores. Mesmo que isso pareça piada...

Agora... a cereja do bolo. Vamos falar da JOGABILIDADE!

Sério, jogar Ninja Gaiden é quase uma experiência de tão divertido, é uma imersão ao mundo sem nexo do jogo onde demônios brotam do chão literalmente sem o menor sentido à mandado de um humano que era pra ser o primeiro chefe mas na verdade é o grande vilão ultra previsível e clichê.

Sério, é divertido apesar de ruim. Notando que dá pra se divertir pelos motivos certos e errados com o jogo? Pois é.

A jogabilidade do game é basicamente um jogo de luta em 3D.


Itagaki, o idiota que produz os jogos (idiota porque é um babaca que se acha o ocidental, curte a cultura ocidental e cria jogos com base em peitos como Dead Or Alive que apesar de bom, só tem peitos) deixou bem claro no desenvolvimento do primeiro remake:

"Ninja Gaiden é um jogo de pura ação frenética, não tem puzzles, se quiser pensar, vai ter que pensar dentro da batalha."

Nisso o cara foi GÊNIO. Conseguiu fazer isso com total maestria.

O jogo te permite evoluir as armas com dinheiro, mas o dinheiro é a coisa mais sem nexo possível, que é um orb amarelo obtido ao matar inimigos, é praticamente a alma dos caras, e isso é o dinheiro.

Vocês nem imaginam como eu ri quando me dei conta disso.

Enfim, você pode evoluir e vai pegando armas no decorrer do jogo. Maaaaas não são NADA de graça, você tem de acha-las, e em alguns casos vai ser necessário ter armas como bastão ou arco e flecha pra passar, e isso em termos te força a ser um excelente explorador.

Conforme a evolução de cada arma, ela ganha novos visuais (ficando sempre mais bonitas e perigosas) e com isso também novos combos, que em seus últimos níveis são destruidores.

Quando se domina o jogo, fazer isso se torna parte da graça.

Mas a enorme graça além de tudo isso, é COMO se joga, como se aplica tudo isso.

Jogadores de God of War ou similares jamais se darão bem inicialmente com Ninja Gaiden, que apesar de ser um Hack'n'Slash, é dos mais táticos possíveis, você é um Ninja, você é FODA, mas os outros ninjas também são. E você ainda é uma pessoa, um corte bem dado pode significar num hitstun seguido de morte.

Será necessário aprender a atacar, defender, esquivar, usar Nippos (jutsus) e a bagaça toda, tudo está a seu favor, mas nada é de graça, você terá de fazer TUDO!

A inteligência artificial do jogo é tão "humana" que parece que você ta jogando online contra outros ninjas, porque eles analisam sua situação, ou seja, sua arma e alcance, o seu meio de atacar e se você é mais defensivo ou ofensivo, tudo isso é visto por eles e eles SEMPRE mudam o meio de te atacar, de forma que se você enfrenta por exemplo, 20 inimigos, os 10 que vierem depois, já terão visto os 10 primeiros se ferrando no meio que você joga e eles vão tentar uma estratégia alternativa.

De forma que até mesmo um game over pode resetar essa situação, nenhuma parte do jogo será igual, nem se você nunca morrer ou mesmo que morra mil vezes, a IA do jogo sempre vai ser imprevisível, e isso até faz muitas pessoas verem esse jogo como um dos poucos mais difíceis que Demon's/Dark Souls.


O mais impressionante é que há comandos de jogos de luta em alguns casos, como girar o direcional e apertar o  botão ou pra cima e pra baixo do analógico com o botão pra variações de golpes e sem falar nos jutsus tipo Izuna Drops ou mesmo combos aéreos e extremamente impressionantes, porque Ryu Hayabusa bate DE FORMA FODA PRA CARALHO! COMO ELE BATE FODA!

Isso se aplica à todas as armas, antes que eu me esqueça.

O gameplay do jogo é extremamente complexo e exige a maldita combinação de raciocínio e velocidade, sem se aplicar à um button masher, porque sair apertando botões não vai te trazer nada além de uma morte patética e frustrante...

Com isso. Ninja Gaiden Sigma separa os meninos dos homens, e o primeiro do NES separa os homens dos semi-deuses.

Se eu só usei na última fase (na parte final mesmo, dos últimos chefes) do 1 do NES, isso me torna um "quase semi-deus"? Bom, acho que não. Mas acho que to no meio do caminho pelo menos.


*COF COF* - Voltei meu ego pro lugar.

Continuando...

Apesar dos chorões de plantão alegando que o NG original ou o Black são melhores que o Sigma, infelizmente eu discordo.

Esse é um dos jutsus do Ryu. E não, não parece com nada do Naruto.

Eu prefiro o gráfico sóbrio do Black, mas a verdade é que apesar do leve efeito de plástico do Sigma, ele é graficamente melhor, mais bonito e os cenários tem uma diferença enorme em detalhamento, e o motivo maior do Sigma ser melhor é que há a possibilidade de jogar com Rachel, aumentando assim de 16 pra 19 capítulos.

A Rachel, meio que "quebra" o ritmo, porque jogar com ela exige outro sistema e é menos tático, bem mais agressivo e até lembra vagamento os hack'n'slashes normais, essa quebra de ritmo ajuda muito no jogo pra não ficar cansativo, sem falar que segundo os próprios jogadores, não havia tanto sentido assim na presença de Rachel nas versões anteriores. O Sigma meio que conta isso.

Esse choro todo é porque a Tecmo acabou quebrando o contrato de exclusividade com a Microsoft e deixou os jogos multiplataforma.... Mas agora vamos falar de peitos.

"Ei Ryu, por que não olha nos meus olhos?"

E é engraçado como os peitos da Rachel balançam sem a menor lógica, muitas vezes eu estava com ela totalmente parada e ela balançava os peitos e o mesmo aconteceu numa cena dela DEITADA, totalmente imóvel, onde ela parou de balançar totalmente, mas os peitos estavam ali com vida própria, pra loucura dos punheteiros de plantão.

Causando também algum contrangimento em pessoas que acham fan service um tanto quanto desnecessário, como eu não curto fan service mas eu adoro peitos, tive um mix de sensações que quase me virou do avesso mas eu sobrevivi de forma que me sinto ainda puro.

Ei!!!!! Não me olha com essa cara, eu to falando sério!

Vamos finalizar isso logo, antes que todos pensem que eu joguei esse jogo com uma mão só...

Em todo caso, Ninja Gaiden Sigma é exatamente como o meu chegado disse, é o remake do remake do reboot... Um puta jogo com praticamente tudo melhorado e uns acréscimos extremamente positivos e entre eles até algumas armas, e apesar de retroceder em determinados aspectos como o sangue, ele ainda assim na balança se mostra extremamente positivo.

Enfrente inimigos super originais como o samurai negro genérico do MAL.

Sem falar no leve rebalanceamento dos inimigos e o modo Mission incluso agora nessa nova versão.

Cada chefe, cada fase, cada novo combo, cada coisa que aprendemos em Ninja Gaiden é eternamente recompensador. é gratificante e nem é injusto como a maioria dos chorões costuma dizer que é, porque diferente de jogos como Dark Souls, o jogo não te limita em NENHUM aspecto, tudo é de acordo com o que você tem e pode fazer naquele momento, mas a IA não vai te perdoar em nenhum segundo e isso se aplica à todo e qualquer aspecto.

Ninja Gaiden é absurdamente recomendado pelo dono do blog, que tem uma opinião bem ninja sobre o assunto.

E como um bom ninja, abandono esse post sem dar uma palavra.

Mesmo que isso não faça o menor sentido.


Sim, essa é uma fumaça ninja de uma bomba de fumaça ninja. Espero que ela transmita credibilidade. 

5 comentários:

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

bacana a analise Juninho. tenho inveja da onde você mora aonde pode conseguir jogar esse Ninja Gaiden. e é praticamente o melhor da franquia atual, segundo dizem. e sobre os peitos da Rachel...o criador de Dead or Alive deve respirar revista Hentai no café, almoço e jantar. não é possível

quem sabe nessa nova geração apareçam mais Ninja Gaidens? é questão de tempo.

Gutembergue Lucas Vila Nova disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Juninho! disse...

Ok, ele fala besteira, mas esse vídeo dele tá impecável. Não vejo problemas.

bruno pereira disse...

cara eu gosto desse jogo, mas, a única coisa que me incomoda muito é justamente a jogabilidade em questão de combate, se fosse mais fluida e e tals eu acho que iria gosta mais do jogo, e pra você ter uma ideia do que eu estou falando, não existe action cancel nesse jogo.

Juninho! disse...

Mas é de propósito, pra fazer as coisas certas e com frames contados. Eu particularmente até prefiro assim.