28 de outubro de 2014

Final Fantasy XIII... O VIII Não Era Ruim O Suficiente?


Ei, essa capa ta leve demais pro jogo.

Vamos ver se eu acho algo mais sincero. Que tal:


Agradeço ao Phillipe, dono do já falecido blog Scariel pela imagem que representa esse "belíssimo" game.

Mas agora, pra falar desse  jogo...

É... Eu não sei como ou por onde começar.

Sinceramente, eu venho nesse humilde post morder minha língua porque eu disse pra e todos que não havia possibilidade de existir um RPG mais tosco que Final Fantasy VIII...

...sério. Eu vim aqui pra pedir desculpas porque o XIII é INFINITAMENTE pior.

Eu nem sei o que o VIII poderia ter de melhor que o XIII. O VIII perto dele é simplesmente uma masterpiece.

Vamos por partes, se você gosta do VIII a chance de você não ligar pro quão sólido é um sistema ou não se importar tanto com diálogos e narrativa de um RPG são bem altas.

Mas sinceramente, se você gosta do XIII ou você tem um gosto bem inquestionavelmente ruim ou tem um nível de exigência menor que a quantidade de membros do fã-clube do Homem-Formiga.

Vocês tem ideia? Se você jogou você sabe que eu não estou exagerando em nenhum ponto. Toriyama tem o talento inexplicável grande pra fazer merda. Minha nossa, o cara surpreende criando merda à níveis que não estamos acostumados, estamos falando do mais alto e estratosférico talento pra bosta.

Nossa que legal a índia chinesa do fundo. Quem é essa galera na frente dela?

Mas... Tudo havia mal das pernas, Sakaguchi pediu arrego depois do IX, o X dividia opiniões em termos de qualidade e fora feito com um dos colaborados de Sakaguchi e depois deixaram nas mãos da galera do Tactics a função de aproveitar o resto que podia da engine do XI (que era pra ser online HA HA HA) pra criar um novo jogo e bingo. Tiveram o FF mais completo de toda a série que é o XII e eu já até falei dele e expliquei os motivos pelo qual digo isso.

Entre eles veio o X-2 que ninguém lembra e quando lembra só ignora ou odeia. Porque ele é uma piada muito forte viva. E ele foi feito por um cara muito especial que vou falar.

Então, pegaram uma franquia que já estava morta e se arrastava mais do que um zumbi do The Walking Dead e depois de um jogo tipicamente decente rejeitado eles fizeram o que:

"Ah, foda-se essa bosta, vamos pegar aquele cara que matou Parasite Eve, a gente joga o jogo nas costas dele e se a franquia morrer a culpa fica toda pra ele."

Sim, assim nascia a brilhante ideia de usar Motomu Toriyama como diretor de uma franquia ruim que já se arrastava de forma simplesmente bizarra...

Motomu Toriyama, o cara que de tão bom ganhou sua própria placa de trânsito

Como a série andava mal das pernas e o Toriyama  precisava de um emprego, ele tinha um novo jogo pra fazer. Afinal de contas o seu último trabalho era qual?

Final Fantasy X-2. Jogo do qual nem preciso fazer piadas por motivos mais do que óbvios.

E deram pra ele uma coisa super perigosa chamada Carta Branca. Ou seja, ele estava livre pra executar suas ideias idiotas com todo o gás e força possíveis.

Então Toriyama com seu pirulito de Dipirona tiveram a ideia genial de mudar o formato pra algo ainda mais chato, ainda mais arrastado porque com seu gosto bizarro ele acha que todo mundo adora coisas idiotas como meninas com voz de rato, princesas bancando de durona ou mesmo pirulitos de dipirona.

Esperem só pra ver quando chegar na parte da mãe do ano. Não, vocês definitivamente não leram errado.

"História? O Que É Isso?"

Vocês querem meu parecer sobre o jogo e aqui vai ele. Começando de leve, esse jogo é um aborto expelido com tanta velocidade que bateu na parede e desmanchou, e nem os lobos uivantes famintos quiseram comê-lo de tão podre e fedorento que estava.


A história dessa abominação abortiva já começa errado pelo formato. Você deve estar se perguntando o motivo e eu digo, o jogo começa bem "depois do começo", ou seja, o prólogo e tudo mais será contado depois MAS o problema está no Datalog.

Porque o Datalog tem coisas que a história não mostra e só aparece depois que você tá jogando um certo tempo e acaba que não faz sentido.

Em vários e vários momentos você vai ver muita coisa que não fará sentido e depois o Datalog mostra uma coisa que aconteceu entre os eventos incoerentes ou o que rolou antes mas só DEPOIS que você viu uma cena desconexa.

Percebem como isso é totalmente retardado? Esse tipo de coisa deveria ser normalmente pra explicar de forma resumida tudo que você já viu até agora mas ele tenta fazer isso e nesse ponto até funciona mas tem vários e vários elementos e trechos da história que sem ele não farão sentido e o pior de tudo, só são revelados conforme você vai jogando e DEPOIS de ter ficado em dúvida sobre algo.

Isso é, QUANDO MOSTRA.

"Mas eu acabei de dormir 28 horas em seguida, de onde veio tanto sono...?"

Um exemplo bem notável é o fato de Snow ter sido capturado por Fang e do nada os dois aparecem juntos pra te ajudar. O Datalog mostra DEPOIS que eles aparecem que na verdade Fang estava infiltrada esperando alguém pra poder dar o bote e tudo mais. Mas... O jogo simplesmente não mostra e quando aparece no Datalog é consideravelmente pouco depois de ver a cena do jogo do qual os dois chegam e tudo fica no ar, aí você lê o Datalog e tem uma vaga ideia do que rolou porque nem mesmo explicado de forma detalhada ou objetiva....

Um outro exemplo é quando se chega em Gran Pulse, vamos à um lugar onde temos que fazer caçadas com estátuas pra liberar o caminho que passamos mas essas estátuas ganham armas conforme vamos fazendo missões (???), nos ajudam enfraquecendo um chefe cortando o rabo dele (??????), e sequer faz sentido a participação deles na narrativa e eles não estão no Datalog.

Não adianta falar "ah é só gameplay", porque não é, essas cenas tem diálogos e cutscenes e o caralho a quatro, se algo é abordado na narrativa ESSE ALGO TEM MAIS QUE SER EXPLICADO SIM! PORRA!

Oi, eu sou a Lightning e tenho o carisma de uma capa de CD do Nirvana.

Mas apesar do formato desconexo a história é boa...

...pra fogo.

Antes de mais nada, muitos dos diálogos são completamente mal escritos ou incoerentes com o contexto em que se habitam. É bem fácil rir de como determinadas coisas são terríveis de tão engraçadas pelos motivos errados. Tipo um dos generais que fala pros soldados atirarem em todos, e um soldado fala:

"Mas senhor, não vamos atirar em tudo, e as pessoas?"

E ele diz:

"Mas quem você acha que está amedrontado com os l'Cie de Pulse, não sou eu, nem você, nem Sanctum, e sim as pessoas."

Que jeito inteligente de proteger as pessoas do medo delas: ATIRANDO!!!

Yaag, você é um gênio e merece uma foto em sua homenagem:

Farei um cartaz com a foto desse gênio.

Mas eu perdi o foco em meio à tanta "poesia".

Enredo não é o maior o maior mérito que a Square já teve com Final Fantasy mas o XIII conseguiu ser mais besta colocando milhões de cutscenes e guerras pra ser meramente uma briguinha de deuses contra eles mesmos causada de propósito pra um planeta cair em cima do outro e chamar a atenção do criador.

Não entendeu? Calma aí.

A Square não é de hoje que tenta fazer jogos pra ocidentais ou que os atinja e ela fez uma nova história em 3 capítulos (no caso, 3 jogos) do qual essa bosta conta basicamente algo como um deus maior (Maker) que tava coçando saco do nada criou tudo.

Esse criou outros deuses menores, no caso, os Fal'Cie. Esses Fal'Cie administravam tudo e queriam chamar a atenção do criador. Olha bem, essa ideia já é ruim, mas olha o que fizeram pra chamar a atenção...

Simplesmente criaram a vida, os monstros, a tecnologia e os pastéis de chá de boldo, e do nada criaram uma cidade voadora que é mais ou menos tipo o planeta do senhor Kaioh de tão pequeno e o objetivo era "simples".

"Credo, eu to participando dessa história?"

Criar a vida em ambos, ou seja, no planeta criado (Pulse) e no novo planeta que é basicamente uma metrópole voadora (Cocoon) e o objetivo era simples, marcar pessoas como os l'Cie que viriam a ser os enviados dos Fal'Cie que teriam uma missão, chamada de Focus pra cumprir.

A missão do seu grupo é simples: o Ragnarok, ou seja, destruir Cocoon.

O problema é que essa missão é idiota, destruir Cocoon, de forma que o planeta cairia sobre Pulse gerando uma grande catástrofe pra chamar a atenção do Maker, mas você deve estar se perguntando:

"Se os deuses que criaram tudo querem destruir tudo, por que eles mesmo não destroem?"

Porque tá na ficha deles do Datalog que vai contra a natureza deles destruir tudo que eles criaram, então pra  isso esperaram 1.300 anos, ou seja TREZE séculos (referência obrigatória) pra gerar uma guerra inexistente entre os dois planetas que no fundo era só uma forma de fazer o planeta menor cair no maior pra chamar atenção de um deus que criou tudo e foi coçar saco em outro lugar.

Melhor ainda, o motivo de escolherem humanos pra realizar o Focus é o que o poder dos Fal'Cie seria supostamente limitado e dos humanos seria infinito, porque eles sonham, amam, vivem e... MEU DEUS, ESTOU MORRENDO DE DIABETES COM TANTO AÇÚCAR!

Perceberam como é idiota, é como se o Toriyama falasse que é isso mesmo, e foda-se e no final mandasse aquela pose:


A única ideia interessante por trás de todo o conceito é que os l'Cie tem uma missão e se eles não cumprirem eles viram monstros e se conseguirem eles viram cristais. O fato deles lutando contra o Focus e pra sobreviver em meio à tudo aquilo é uma ideia muitíssimo da boa mas totalmente jogada no lixo porque o foco do jogo acaba por ser inteiramente baseado nos deuses e em toda sua frescura.

Quantas histórias boas poderiam ter sido gerada com essa ideia usada como base...? Mas não, o tal Toriyama chupando seu pirulito de Dipirona acredita mesmo que todo mundo só gosta das coisas bizarras que ele gosta, tipo pimenta malagueta no café da manhã ou pastéis de chá de boldo. E com isso arruinou a única parte boa de todo um universo idiota que ele construiu.

Um universo que como eu disse, tenta pegar os ocidentais por diversos motivos e o mais forte deles é apelar pra "referências" ao cristianismo, como por exemplo o Maker que seria o Deus, Fal'Cie que seriam uma espécie de Jesus e os l'Cie que seriam seus discípulos, OBVIAMENTE não é tudo na cara, mas tem formato de história bíblia em vários tons e basta ver como o formato é transmitido e rapidinho um jogador mais atento pode observar isso. E mais que obviamente não é literalmente copiado, algumas coisas foram levemente modificadas como por exemplo ter mais de um Jesus.

Afinal de contas, o plural de Jesus seria Jesuzes? Enfim. Não importa.

Bestiário ou Fauna Local, como preferir

Geralmente Final Fantasy tem dois tipos de monstros... Os do grupo e os de fora do grupo. O elenco do XIII provavelmente só não é o pior elenco porque o VIII existe, mas perder pro VIII em termos de personagem é totalmente natural mas chegar quase perto como o XIII não é pra qualquer um. Vamos dar nomes aos bois.

Lightning, conhecida como Lampeja ou Squall com buceta


Sabe quando eles tentam repetir um tipo de personagem da franquia e sem nenhum tipo de originalidade misturando milhões e milhões de elementos prontos de fórmula e acaba que o personagem tem o carisma de uma capa de CD do Nirvana.

Lightning ou Lampeja como eu prefiro chamá-lo simplesmente tenta ter o lado frio de Cloud misturado com o lado cretino de Squall.

A verdade é que ela não queria estar naquilo mas ela não luta contra tudo aquilo com força e determinação e sim escondendo seu lado mais doce e açucarado tornando ela basicamente uma Barbie que tenta pagar de Xena, a princesa guerreira.

Misturando tudo isso, ela é na verdade um Squall com buceta, falhando nas partes que tenta ser badass como Cloud... Com tudo isso somado, seu lado cretino grita, seu lado badass falho e no final de tudo ela acaba sendo um péssimo personagem mas em vista de tantos outros ela acaba sendo o máximo porque pelo menos o visual dela não me deu vontade de vomitar um aborto.

Em resumo ela acaba eventualmente sendo ignorada e tratada de forma que estando ali ou não ela nem faz diferença. O que fez essa garota ganhar muitos fãs é o fato dela socar Snow loucamente. Mas convenhamos que isso é um puta ponto positivo.

Sazh, o Lionel Murphy ofensivo


Provavelmente você não entendeu porque acabei de chamar Sazh de Lionel Murphy... A verdade é que ele é a cara do Lionel Richie:



...mas tem a personagem de negro babaca bobo e fracassado de qualquer personagem do Ed Murphy..

Então... Eu acabei gerando Lionel Murphy ou Ed Richie e a galera durante uma discussão virtual acabou preferindo a primeira opção. E pra mim tanto faz, ele é tosco o suficiente pra eu nem querer jogar com ele. E enquanto personagem ele também é uma bosta porque nada nada era um cara focado em trabalho que durante um dia com o filho, passa um cometa e ele faz um pedido.

Aí ele pergunta pro filho dele o que ele tinha pedido e o garoto responde:

"Ah pai, você ta sempre com cara de cu, poderia ser mais divertido"

E daquele dia em diante, o mal-humorado Sazh se tornaria o retardado mental fracassado com cara de estuprador que o jogo te apresenta e faz questão de te dar vários e vários momentos do qual se é obrigado à jogar com essa coisa tosca e de personalidade retardada.

O cara é tão panaca, que mesmo sabendo que a Vanille é parcialmente culpada pelo destino trágico de seu filho, ele não tem coragem de matar ela porque sabe que não foi por causa dela, e aí toma uma decisão bem padrão em jogos do tipo, deixar ela viva e dizer que o que ela fez está feito e matar ela não ia trazer o Dajh (filho dele) de volta. Mas precisava mesmo dizer um coisa como:

"Você pensa que morre e tá tudo certo? Você acha mesmo que morrer vai transformar tudo em açúcar e arco-íris?"

Falando francamente, na prática ele é bobo, retardado, fica fazendo poses quando atira e tem um background tosco pra justificar tamanha pegada de personagem fracassado de forma que eu achei um estereótipo totalmente ofensivo de "negão bocó" de filmes genéricos hollywoodianos.

Mas nunca que ele é o pior personagem afinal de contas...


Snow, conhecido como Nevinha ou Saco de Pancadas


...temos Snow. Que é um completo idiota.

Ele até tem uma ideia boa de personagem órfão que quer juntar uma família e superar a velha tristeza clichê de todo órfão seja de filme ou jogo mas ele acaba sendo estúpido porque tem uma coisa que o torna COMPLETAMENTE INSUPORTÁVEL.

Sua personalidade retardada de metido à super-herói sendo que na verdade ele só se fode.

E só apanha. Lightning e Fang deram uma boa surra nele, principalmente a Lightning que deu MUITO soco nele e a Fang deu uns dois chutes e ficou satisfeita.

Não foi por "ah ele num bate em mulher" que ele apanhou, ele apanhou porque é um fracassado que não pensa direito mesmo.

Como se não bastasse o jogo também chama ele de idiota porque ele é o líder de uma organização que tenta parar a guerra mas a guerra é "fictícia", ou seja, ela não existe de verdade e sim como mera ferramenta de deuses pra fazer Cocoon cair em Pulse. Então é como se o jogo também anulasse a proposta dele do jogo inteiro e o chamasse de imbecil.

Acho que a única coisa de super-herói que ele tem é o poder de cair de prédios gigantescos e não morrer. Porque isso acontece duas vezes.

Hope, o menino Esperança e também filho da MÃE DO ANO!


Lembra da mãe do ano? Então. É a mãe do Hope.

Antes de falar dele eu PRECISO falar dela. Porque ela sozinha consegue ser uma das coisas mais estúpidas que eu já na minha humilde e curta vida de 100 e poucos anos.

Vamos imaginar uma situação. Existe uma guerra da qual Snow tenta impedir mas ele acaba sendo obrigado a combater, então ele pede ajuda de voluntários e entre eles a mãe de Hope se oferece. Mas Snow a rejeita mas ela insiste em ir. E diz uma frase "lindamente poética":

"MOM'S ARE TOUGH!"

Mamães são duronas? Sei não hein...

Ela não sabe nem segurar uma vassoura, imagina uma arma de fogo...

E o que rola depois disso? Ela abandona seu filho NO MEIO DA GUERRA e vai ajudar um estranho sendo que ela nunca segurou numa arma de fogo antes. E do nada se sacrifica pra salvar Snow e morre por causa dele. Até falei dela aqui num determinado momento aqui com vídeo e tudo.

Pera, ela abandonou o filho pra se sacrificar por um estranho. Sério?

Fiquei tenso, quase desliguei o meu Xbox 360 quando jogava essa parte e muito mal o jogo tinha acabado de começar, eram parte dos primeiros minutos.

MAS OLHA COMO ESSA MULHER É IDIOTA!

E o Hope é insuportável em boa parte do jogo por causa dela porque mesmo ele tendo visto TUDO de forma muito clara e objetiva, ele simplesmente culpa o Snow por isso e fica com todo ódio do mundo dele.

Mas... Se ele viu ela abandonando ele e depois se matando pelo cara, ele deveria é ter orgulho de ter visto a mulher mais idiota do mundo batendo as botas mas ao invés disso fica lá chorando as pitangas falando que é culpa do Snow.

E não vou mentir que ele melhora um pouco mas o "progresso" do Hope é simplesmente perceber o óbvio e acaba sendo tão idiota como quase qualquer outra coisa do jogo. Espera só até eu falar do gameplay que vão ter certeza do que eu to falando.

Vanille, conhecida como "Menina Retardada da Voz de Rato" ou Baunilha


Vamos começar pelo nome, quem teve a brilhante ideia de botar o nome dela de Baunilha em francês? Só porque ela é a menina kawaii açucarada e retardada do jogo? Precisava de algo além do visual retardado e do andar de patricinha de Beverly Hills pra isso? Mas não, botaram o nome e uma voz forçada e irritante que parece os ratinhos de qualquer episódio do Tom e Jerry.

Vamos pegar como base um outro jogo, então... Que tal The Legend of Dragoon?

Meru é uma personagem kawaii, fofinha, que fica toda serelepe e pululante e... Ela não é chata. Mas sabe por que ela não é chata? Porque independente da excelente backstory dela, ela NÃO é forçada, NÃO é um saco e se tivesse dublagem provavelmente não teria uma voz de rato ou do Tico (sim, do Tico e Teco).

A dubladora da Baunilha deveria ter sofrido de um GRAVE retardo mental ou seria uma interpretação de uma personagem já assim em japonês? Porque não faz sentido ninguém ter esse tipo de voz. E digo mais, ela precisa MESMO rebolar em batalha? Andar com braços balançando feito uma maluca que não tomou o remedinho na hora certa? E também precisa gemer quando bate ou apanha.

Se você não jogou e acha que é exagero ou jogou e acha que eu to mentindo... Que tal isso?

 
Parece que a garota anda com um vibrador... Bem posicionado. Se é que me entende. Porque não tem cabimento ela ter uma voz tão forçada à ponto dela parecer uma retardada quando fala e uma atriz pornô quando luta.

Aposto que se você acha ela sexy, nesse momento se sente um pouquinho pedófilo. Nem que  seja um pouquinho.

Vanille é tão insuportável e açucarada que não sei como Lightning não deu o mesmo murro nela que deu em Snow. E ela merecia pelo mero tom de sua voz.

Ela fala com um chocobo também, não tem como levar essa retardada á sério.

Fang, a sem graça que ironicamente se beneficia com isso...


Literalmente, é assim que dá pra definir ela.

Sério? Não acredita. Ela assim como Vanille é uma l'Cie de Pulse. Ou seja, que veio pra fazer Cocoon cair em Pulse, foder tudo e finalmente se libertar dessa merda que vive. Tanto ela como Baunilha falharam em suas missões e foram cristalizadas.

A missão delas no passado foi cumprida? Elas voltaram com algum motivo realmente decente?

O que você espera como resposta vindo do cara que escreveu um jogo num ritmo pior e mais sem graça que o Sakaguchi? Você literalmente esperava isso?

Sinto muito...

E no final de tudo, ela acaba por ser uma personagem meh, totalmente sem graça e que não tem muito o que contar pra atrapalhar, ela não oferece grande coisa além de um visual realmente sóbrio e genialmente bem feito.

Num mundo de personagens sem nada a oferecer como Lightning e Hope ou personagens ofensivamente idiotas como Sazh e Snow ser sóbrio e sem graça é uma vantagem tremenda. Afinal, ela pelo menos não ofende.

Tanto é que eu jogava com ela no meu grupo. Ao lado de Lightning e Hope mas não era porque eu gostei deles e sim porque eram os que menos me ofendiam.

Ela não é mesmo apaixonante? Olha como ela maltrata o Snow. É lindo.

Lightning é sem graça mas é útil, Hope é risível mas ofende menos que Sazh, Snow é patético mas irrita menos que Vanille e a Fang é legal visualmente pelo menos. Pronto. Temos um JRPG onde um grupo foi formado meramente por eliminação.

Ah, e a Fang morrre no final com a Vanille e não vai aparecer nos jogos seguintes. Porque o único personagem visualmente decente dessa abominação abortiva vai e morre logo de cara no primeiro jogo sem chance de retorno nos outros.

Parabéns Toriyama, você erra até quando acerta. Você tem o "Toriyama" no nome não é à toa. Ao menos a Fang deu uns bons chutes no Snow. Ao menos nisso você merece crédito.

E as músic..... ZZZZZZzzzzzZZZZZzzzZZZzzzZZZZZ

Que fique bem claro, não sou fã do Uematsu, PORÉM as músicas dele não ofendem.

Exceto pelo FF VIII e X. São bem tediosas em ambos os casos. Então nesses casos ofende mesmo.

Mas... ele faz muitas "musiquinhas". Ou seja, tá lá, não incomoda mas não me chama atenção. Eu sou um cara super ligado à músicas e Donkey Kong Country 2 foi o primeiro jogo que me fez parar pra apreciar o som lá quando eu ainda era um garoto...

Uematsu tem sua meia dúzia de músicas decentes, tem a de batalha do VII e IX, a de chefe do VI e mais uma ou duas das quais não me lembro.

Caralho, até os monstros dormem com o Hamauzu.

Mas... Hitoshi Sakimoto que fez a OST de FF Tactics e XII não me empolga, pelo contrário, dormi 3 vezes jogando FF XII como eu disse no meu post mas as músicas dele são indutoras de coma total. Eu recomendo fortemente porque curou minha insônia.

E quando eu penso: "Ah, nada pode ser mais tedioso que o Sakimoto"... Me aparece os "trabalhos" de Masashi Hamauzu, que por sinal fez algumas músicas do X.

Agora sim, estou começando a entender como funciona o esquema de chatice... O X fora feito pelo Toriyama em boa parte, e isso já é um  péssimo sinal. Esse era só mais um sinal que eu realmente num deveria mas eu fui abrir a boca pra prometer que ia jogar essa bosta...

E sério, eu demorei 4 semanas pra terminar o jogo, o ritmo é um saco e digo e repito, músicas são importantes em jogos longos, principalmente quanto mais longo ele for, mais importante será as músicas pra que você não enjoe delas e boa parte dela te atinja, tipo Mass Effect 3 que boa parte das missões repetitivamente chatas são salvas pela FANTÁSTICA OST do jogo. É assustadora de tão boa enquanto essa do FF XIII conseguiu ser ainda mais chata que os padrões de Uematsu e Sakimoto.

"SE QUER ANDAR COMIGO, TIRA LOGO ESSE SOM DO HAMAUZU, SEU BOSTA"

Muito mais MESMO! Eu dormi 3 vezes jogando FF XII numa campanha que durou em torno de umas 60 horas e eu em menos de 20 no XIII já tinha dormido jogando inúmeras vezes.

Sério. Literalidade total nesse aspecto. Cheguei ao ponto de dormir sentado e acordar com a porra do controle caindo no chão. Maldito seja essa Hamauzu, me fez quase perder um controle de Xbox 360. Maldito seja.

Depois fui ver o cara é super conceituado. Mesmo com músicas super bregas cantadas à cada dez segundos e uma música de batalha que consegue transmitir tédio sendo chata e feita com violino.

Mas... O problema não está no violino, quem pega e faz direito tem uma ou duas coisas pra ensinar.

Quer um exemplo claro? Aprende com o mestre Motoi Sakuraba. Olha o que é uma música de violino que é tema de batalha mas ao mesmo tempo é linda e nada tediosa.

Droga, eu tenho Tales of Xillia em casa original e to me torturando com esse lixo que só me faz dormir.

E A Direção Artística...

...sério que acham boa?

Me digam, personagens com cara de porcelana não são legais e me digam abertamente, vocês não acham ridículo um visual mangá esdrúxulo exagerado no físico de um personagem realista, humano e com cara de louça?

Muita gente diz da direção de arte e eu considero super sem graça. Vamos combinar que um cara loiro, alto, com barba aparecendo de leve usando um sobretudo gigante gritando que é um herói não colabora com isso.

Mas Final Fantasy sempre teve monstros bem legais, e alguns até são como esse:


Não é a melhor coisa do mundo, mas tem alguns melhores e outros piores, mas no geral esse jogo tem bem menos monstros legais, porque a maioria é totalmente retardada e idiota.


...tipo isso.

Os monstros de fora do grupo em geral melhoraram muito depois do VII, principalmente no X e XII, e do nada aparece isso. O melhor que podem fazer é isso?

Nomura, o que você tem na cabeça? Uma viga de construção que faz barulho de sirene?

Vai me desculpar quem gostou, mas visualmente todos os personagens são sem graça ou ruim. Nenhum além da Fang foi meramente satisfatório pra mim. A Lightning foi meh, Snow, Vanille, Sazh, são toscos e o Hope lembra visualmente o Leo do Tekken numa versão adolescente e isso definitivamente não é um bom sinal.

O Leo bate legal. Mas é tosco de doer visualmente.

Mas aí você descobre que "o" Leo é "A" Leo. Sim, é uma mulher.

Minha nossa, que combo. Leo e Hope de repente parecem ainda piores.

"Sistema": Esmagando Botões Com IA Ruim


Pode parecer um bocado de exagero mas METADE do jogo é batalha e a outra metade é assistir cutscenes.

Mas aí você me diz:

"Poxa Juninho, o jogo não tem cidades, nem NPC's, nem muita história, nem narrativa, o Datalog é uma bosta, as músicas causam sono mas PELO MENOS as batalhas prestam né?"

E eu digo:

"Não, é uma bosta muito da mal cagada com hemorragias de uma hemorróida mal curada."

Aí você vira e me diz que eu to exagerando e que o sistema só é descomplicado e eu reajo assim:


Sinceramente, o sistema desse jogo é (mais) um dos motivos pelo qual odeiam esse jogo.

Vamos por partes, o que temos à disposição.

Inicialmente personagens com diferenças notáveis, Lightning é equilibrada, Vanille e Hope são melhores com magias e curas, Sazh é equilibrado mas voltado pros buffs e Fang e Snow são os "sentinels" do jogo, ou seja, eles são praticamente força bruta com umas características de defesa elevada.

O sistema consistem em Paradigm Shifts, e eles são estratégias prontas, e as estratégias são variáveis em Commando (ataque físico), Ravager (magias de ataque), Medic (Magias de cura), Saboteour (status negativo nos inimigos), Sentinel (são os "alvos" pra que os inimigos ataquem neles e deixem o resto do grupo se curando enquanto eles aumentam a defesa gigantescamente) e Synergist (buff nos aliados).

O conceito por trás de montar estratégias com essa variedade é interessante, se bem usado. Mas TUDO além da mera ideia do sistema é ruim.

Literalmente tudo.

Existe uma barra de Stagger em todos os inimigos e serve pra que? Pra deixar o inimigo enfraquecido, essa barra só aumenta com danos físicos pra que ela não caia rápido demais e com magias (que aumentam e muito a porcentagem) mas com elas a barra enche mais fácil, ou seja, misturar dano físico e mágico combinado. Algo como RAV/RAV/COM resolve.

Porém... Depois que o inimigo é enfraquecido, você vai lá e usa COM/COM/COM e bingo. Matou os inimigos.

Sabe o que é ruim nisso tudo? O jogo é INTEIRAMENTE baseado nisso. Totalmente MESMO baseado nisso. Tudo que você enfrenta é com base em:

"Magia + Ataque físico = Stagger e depois ataque físico de novo"

Stagger again, and again, and again...

Isso é a fórmula da jogabilidade inteira do FF XIII. Tudo se resume à isso. E é monótono pra cacete. Mesmo que no começo você acha que não é, eventualmente vai se tornar porque tudo é com base nisso. As magias praticamente perderam a sua importância como algo que gasta MP pra causar um dano maior, aqui não tem nada te limitando, você vai usando magias como se não houvesse amanhã e depois aumenta o status de Stagger usando ainda mais e depois fecha a luta com dano físico ridiculamente aumentado.

E a IA do jogo é uma outra bosta problemática que acentua ainda mais os problemas desse gameplay.

Pelo motivo mais óbvio, quando se começa o jogo e pega um trio, o jogo deixa bem claro que o sistema é baseado em "ordens", ou seja, você controla um líder que dá ordens pro grupo, quando você muda de estratégia você tá dando uma ordem e quando você mira em um inimigo é pra todos fazerem o que suas estratégias dizem em relação à ele. Ou seja, se for um buff vai ser pra se proteger dele, se for um status negativo, vai ser um que afete ele e se for magia e ataque físico, obviamente voltado pra acertar ele.

Mas.... Por que seria um problema?

Porque em MUITAS (eu disse muitas, no sentido mais forte da palavra) você vai lá, acerta os inimigos e quando você causa o Stagger, que é o momento onde você pode enfiar o World Trade Center na bunda dos inimigos... O terceiro aliado especificamente começa a fazer algo totalmente random. Como usar outra coisa de outro paradigma ou usar o paradigma que você escolheu em outro inimigo.

MAS PORRA! E A LÓGICA QUE O SISTEMA ME APRESENTOU SERVE PRA QUE??????? PORRA!!!!!!!!!!!!!!!!!

VANILLE, SUA RETARDADA, É PRA BATER NO INIMIGO COM STAGGER AQUIIII! AQUIIIIIIIIIIII!!!!!!!!!

Vários e vários momentos do jogo se tornam difíceis pelos motivos errados, como a batalha de Lampeja e Esperança contra um monstro que muda de característica toda hora, ou seja, se ele é forte a trovão e fraco à gelo, ele do nada muda pra forte a fogo e vulnerável à trovão. E mesmo na sua troca, o Esperança vai lá e usa uma magia que não deveria e acaba por causar nenhum dano ou pior, dar HP ao inimigo porque ele absorve os danos do qual é forte naquele momento convertendo em HP.

Isso é uma falha absurdamente ridícula, uma vez que a habilidade Libra (ou o item Librascope) faz o Scam e ao trocar de estratégia o jogo mesmo já bota a mais adequada no "auto-battle" do jogo.

Isso torna as batalhas longas porque o chefe tem HP demais pra você naquele momento e ainda por cima tem que se preocupar com a falha da IA do jogo em beneficiar ele. No caso, você luta contra o chefe e contra o jogo por esmagadora parte do tempo, tal como a luta com Barthandelus onde tem várias partes do corpo dele a ao causar Stagger o terceiro aliado começa a atacar uma outra parte dele, atrasando a batalha.

Mas aí você fala:

"Ah, é só treinar que fica tudo certo."

Errado. O jogo te limita no Crystarium, que é tipo a Sphere Grid do X. Mas diferente de lá, que você escolhe como vai evoluir e o que vai evoluir e principalmente o quanto vai evoluir, no XIII não é assim.

O jogo expande o Crystarium após cada chefe mas isso impede meu treino, ou seja, o jogo sempre vai me barrar com um número máximo de características e me obrigar a usar upgrades inúteis nas armas  ou contar com a sorte por causa da IA retardada do jogo. E isso faz o que?

Esse limitador torna as batalhas difíceis por motivos errados, torna as batalhas longas porque o jogo não te permite evoluir como bem entender como em todo e qualquer RPG normal.


 
Vou usar como exemplo o recém falado aqui: Tales of Eternia.

Quando você chega num lugar estando no nível normal ou fraco, você ganha um determinado número de experiência. Então, quando você vai ficando forte e mais forte e mais forte... Chega um ponto que você tá atropelando tudo daquela dungeon sem o menor  desafio e a sua experiência cai pela metade.

Isso é uma manobra inteligente do jogo estufar o peito, bater no seu ombro de forma amiga e dizer:

"Olha parceiro, você já tá muito forte... Tipo... PRA CARALHO e você é meu orgulho. Mas agora pode ir em frente"

Lembrando que você não é impedido de continuar ali, caso queira a experiência só vai diminuir, e seu treino será menos recompensado porque exige muito menos esforço. Isso é uma boa lógica aplicada.

Mas "polimento" e "Final Fantasy XIII" na mesma frase só pode ser algum tipo de piada...

Primeiro de tudo, por  70% do jogo você ficará focado apenas nos Paradigm Shift que o jogo quer e do nada eles te dão todos à disposição, cometendo assim o mesmo (grave) erro de Final Fantasy XII onde mesmo que não fossem 100% iguais, todo mundo poderia ter tudo e ficariam EXTREMAMENTE parecidos.

Isso é um saco. Principalmente quando o sistema te apresenta eles de formas diferentes, e do nada muda pra algo que me permite deixar todos iguais. Isso é tosco viu Square, TOSCO!

E depois de tudo isso, a execução do gameplay é basicamente isso:


BUTTON SMASHER!!!!!!

Imagina um RPG baseado em "auto-battle". Ou seja, você troca o paradigma e soca o botão como se não houvesse amanhã, aí feriu, troca o paradigma e soca de novo, aí deu stagger, troca o paradigma e faz o que?

METRALHA O BOTÃO DE NOVO! SANTA ESTRATÉGIA!

É só isso. Não existe muita estratégia envolvida na prática, só na teoria, mas como tudo é Stagger + ataque. Então acaba ficando chato.

Bizarro é que o jogo é tão retardado que às vezes o próprio jogo scaneia o inimigo pra você e te entrega tudo que precisa, logo nem precisa experimentar magias diferentes e o pior de tudo, as magias vulneráveis só causam mais stagger, não há muito dano envolvido. Por isso o sistema INTEIRO é baseado nessa ideia que se bem usada, poderia ser boa. Mas só ficou repetitivo e monótono pra diabo.

E tem o sistema de Upgrades nas armas. Mas... Por que é idiota? Porque o jogo te dá dinheiro NENHUM.

Ou seja, existe loot. Aqueles itens que você compra pra vender. Mas esses itens causam os upgrades das armas. Então... Ou eu fico com grana ou fico com armas upadas. E o sistema não tende à um lado ou outro e sim os dois, e acaba que ou você vai ter que escolher.

Pior ainda, o upgrade é completamente aleatório, não existe NENHUM (literalmente) tipo de pista nos itens que usamos pra isso possa nem que seja brevemente ajudar em algo como:

"Ah, se eu usar o item que tem fogo na descrição, vai me dar resistência ao fogo"

Não. Não tem nada e acaba por ser puramente tentativa e erro da forma mais retardada possível e com isso as armas passam de nível mas o dano delas só é executado no Stagger, então o dano normal delas acaba sendo inútil e favorecendo ainda mais pro jogo ficar 100% FOCADO NA PORRA DO STAGGER.

E o mais bizarro é que nesses upgrades eu sem nem tentar fiz um que reduz o life dos inimigo pela metade. Não é frequente mas foi um upgrade da arma que fez isso no capítulo 10 e durou por MUITO tempo. E não é bug do jogo e sim um upgrade possível.

A prova:


Caso você diga:

"Ah, mas é só uma foto, não tem vídeo"

Bingo, Juninho pensou nisso e fez esse lindo vídeo provando o que digo. É diretamente do meu celular.

Como se não bastasse, o jogo é um button smasher até em torno do capítulo 10, quando vamos pra Gran Pulse, chegando lá as batalhas ficam consideravelmente difíceis e alguns inimigos nem podem mesmo ser enfrentados.

Até aí, tudo certo, mas os que podemos enfrentar nos recompensa com MUITA experiência, mas olha que retardado...

...você vai chegando aos eventos finais, as batalhas ficam muito mais difíceis, exige uma estratégia que você mal usou por cerca de 70% de toda a campanha e quando você vence as batalhas elas te dão certa de 3 a 4 vezes MENOS experiência do que as batalhas de Gran Pulse.

Sabe o que é isso? É UM LIXO! UM LIXO MAL PROGRAMADO!

Onde já se viu isso? Qual o sentido dessa bosta. Dá pra ver MUITO NA CARA que foi jogado de última hora, o capítulo final é um lugar vermelho que parece mal acabado e não me surpreenderia se tivesse sido feito de última hora, incluindo as batalhas e detalhes, não me surpreenderia MESMO. É inacreditável como a dificuldade sobe do nada e ainda por cima valendo menos experiência do que antes. Isso não é nem de longe algo coerente. Gran Pulse não é uma dungeon secreta e os eventos finais são os mais difíceis de toda a campanha valendo menos experiência... Minha reação foi exatamente essa:


Mesmo o gameplay do VIII sendo quebrado por coisas que podíamos fazer com os Junctions, agora aqui é só assistir e metralhar botões. Porque ver as batalhas é legal, mas um jogo que tem como único ponto forte a parte visual, principalmente se tratando de um RPG... É sinal que tem alguma coisa errada.

Ou algumas coisas.

Ou tudo.

E quando você pensa que não pode piorar, você se lembra que o jogo é literalmente uma linha reta de andar pra frente. Somente pra frente. Não há muita exploração e nem muito o que ser feito além de andar pra frente, batalhar e assistir cutscenes. É literalmente uma reta mais bizarra que uma rodovia americana.

Poderia ser pior?

Sim. Temos summons em forma de transformers que são a beira do patético e eles sempre se transformam em veículos das formas mais patéticas e engraçadas possíveis.

Ah, e como eu já disse, não tem MP, você pode usar tudo que tem à vontade, exceto por algumas habilidades como Quake que só se podem usar gastando a barra de TP mas a maioria das habilidades de lá podem ser substituídas por qualquer outra. Como por exemplo Quake, eu posso usar Fira. Dá no mesmo já que só muda o tanto de Stagger que o inimigo toma.

Ou então pra que eu vou usar Renew que gasta uma barra de TP se eu posso usar Raise e dar um Cure em seguida. Vai dar no mesmo e nem vou usar uma porra de uma barra extra que é praticamente inútil.

Vou ganhar força na parte de magia do Criystarium... Parece tão retardado... PORQUE É RETARDADO!

Qual o motivo de eliminarem o MP? E qual o motivo pra seu HP sempre regenerar ao máximo depois de cada luta? Pra deixar o jogo AINDA MAIS FÁCIL!

Também tem a bosta do sistema de Ranks que é inconsistente ao extremo, muitas vezes eu peguei duas batalhas literalmente iguais, os mesmos inimigos e a mesma quantidade, matava rápido e sem dano e recebia 3 estrelas e do nada fazia o mesmo e dava 5 estrelas.

E muitas vezes quase morria e me fodia, demorava pra caralho, gastava tudo que tinha naquele momento e pensei: "Porra vou receber nem meia estrela"

E vinha 3 ou 4. Isso faz sentido pra vocês? Porque comigo foi TOTALMENTE aleatório. Mais uma "belíssima" falha do game, mas o que é um peido pra quem ta na merda?

Conclusão:

Falando francamente, eu nunca imaginei que eu diria isso mas o conceito por trás de personagens lutando pra sobreviver é muito bom e daria excelentes histórias mas PORRA. USARAM ISSO DA PIOR E MAIS RETARDADA FORMA POSSÍVEL!

Inacreditável o quão ruim esse jogo pode ser, um chute nas bolas vindo do Roberto Carlos (sim, aquele Roberto Carlos) ou suicídio parecem mais interessantes que isso. E na boa, nem DmC não é tão tedioso.

Na verdade nem FF VIII é tão tedioso apesar da história dele em si ser mais idiota. Mas porra, FF XIII é o pior JRPG que eu já assisti.

Porque a gente mal joga nessa bosta.

Eu nunca vi tanta falha ridícula num só jogo em um período tão curto de tempo, Final Fantasy exceto pelo VI e VII só me desagradam (por enredo) e isso porque não acho os dois que eu gosto isso tudo hoje em dia, apesar de ainda que não pareça, eu gostar deles.

O XIII é tão incompetente que exige em determinados momentos estratégias ridiculamente especificas como por exemplo ser mais rápido que o chefe, então você precisa usar Haste, e em todo caso vai ter que jogar com o Sazh mesmo não gostando dele porque ele é o único naquele momento que pode ter Haste, se você não gosta dele, o jogo ignora a sua opinião e te dá uma banana.

Todo qualquer RPG decente que se preze, permite a estratégia ao gosto do jogador e não te obriga a usar personagens que não gosta, isso é o ápice do mal feito e se foi feito de propósito não torna as coisas melhores, só ainda piores porque eles ignoraram a possibilidade de você desgostar daquele personagem.



O VIII de repente parece uma obra de arte perto do XIII. Os personagens do VIII são piores e de vomitar mas os do XIII são quase do mesmo nível, e isso é muito. O jogo é horrendo em cada mero detalhe de sua existência ao longo dos 5 anos de produção.

Confesso, estou tão mas tão surpreso negativamente que ele me ofendeu ao ponto de eu não xingar o jogo o tanto que ele merecia tanto aqui ou enquanto jogava porque eu de verdade, transcendi o estado da ofensa e de verdade... Fiquei com pena. Fiquei triste de verdade por quem é fã da franquia e MUITÍSSIMO PROVAVELMENTE se frustrou com as piores coisas possíveis num RPG.

Isso é, até chegar em Gran Pulse e TUDO DO JOGO FICAR AINDA PIOR E MAIS MAL FEITO!

Aí o ódio veio com tudo!

Personagens ruins, história ruim, música ruim, sistema ruim e linearidade total, toda história caminha de forma linear mas não à ponto de SOMENTE ir pra frente em corredores. Porque é isso que FF XIII é. Um corredor de 13 capítulos com um lugar mais ou menos aberto tentando se maquiar de menos linear mas o caminho é um só: pra frente.

Final Fantasy XIII é definitivamente o pior JRPG que eu já tive contato e tá pra nascer algo pior que esse aborto que mais parece ter sido cuspido à 400 KM/H e que acerta te acerta com toda a doçura de um feto morto explodindo em sua face.

Sabe o motivo pelo qual o VIII e o XIII venderam? Gráficos. Ou você acha mesmo que alguém jogaria o XIII se ele fosse assim:

Duvido que o jogo teria 10% dos fãs se fosse exatamente o mesmo jogo com esse gráfico.

Isso mostra o quão pouco exigente é o gamer atual, não acho nem minimamente coerente tanto esse quanto o VIII terem aceitações tão altas pra tão pouca qualidade, mas o XIII consegue descer ainda mais um poço já cavado pelo VIII. Ele é um jogo ruim, disfuncional, pra gente pouquíssimo exigente que só se importa com gráficos e não consegue enxergar o nível de falhas que o jogo carrega por estar distraindo babando ovo pra um gráfico que parece uma CG.

Honestamente, não da pra culpar quem não teve interesse em jogar o XIII-2 ou o Lightning Returns, porque o primeiro jogo dessa trilogia é absolutamente medíocre. Mas como eu ganhei os jogos, quem sabe não venham os próximos reviews?

Mas vou precisar de muito estômago... E paciência. Principalmente paciência.

19 comentários:

Scariel disse...

Como assim se a Meru FOSSE dublada? Acho que esse jogo destruiu uns neuronios seus assim como os GFs do FFVIII.

Juninho! disse...

Porrada do meio das lutas não vale.

Vinícius de Pádua disse...

O que dizer da análise....... Incrível! Resumiu em muitas palavras quase todos os defeitos desse jogo
! Triste é só pensar que esperei 5 anos por ele. Juninho, pega leve com o rebolado da Vanille, foi o motivo de eu conseguir finalizar o jogo.

Lucas Assunção disse...

Só tenho uma coisa a dizer desse jogo

http://media.alvanista.com/uploads/timeline_image/2014/10/24/medium_1298_2545907250.jpg

Anônimo disse...

O pior RPG de todos os tempos se chama Beyond The Beyond

Mas o FF13 é bem sem sal mesmo

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

bacana o post, mas tem RPG piores.

mas entre jogar entre algo ruim sendo o FFXIII e algo péssimo que é o Last Remnant, que miseralvelmente fundiu dois jogos da franquia e não deu certo...prefiro o ruim.

e não gosto da Serah e Baunilha. nunca gostei de menina fofinha

Knoha Knotoa disse...

a quanto tempo não jogo FF, mas quando vejo esses gráficos me da vontade de parar tudo e jogar.

http://mestreknoha.blogspot.com.br/

Lenneth Valkyrie disse...

O post ficou muito engraçado juninho! Ri muito

O mais engraçado é que praticamente tudo que você disse nesse post me foi resumido antes, num pequeno diálogo sobre ff13,
que ouvi num podcast que uns rapazes lá do fórum participam. Isso foi em junho de 2013 e eles estavam falando do Xenoblade Chronicles e acabaram comparando com FF13 , eram 3 caras do fórum e um convidado e foi mais ou menos assim:

rapaz 1: FF13 foi o pior jogo que joguei na minha vida!

rapaz 2: Eu joguei umas 5 horas e depois parei, não consegui. personagens chatos pra caralho...

rapaz 1: Puta que pariu! Nem me fale!

rapaz 3: Você não torce pelos personagens nem nada. Muito sem graça.

convidado retardado: É que vcs não foram longe no jogo. A história é bem cagadinha, vcs podem falar o que for, mas a jogabilidade é inovadora e vai ficando, tipo, muuuito estratégica. Se vc usarem paradigm shift, no lugar errado e na hora errada, acabou. Vc perde a luta.

rapaz 2: Disso eu não sei, eu só apertava X!

rapaz 1: É. Eu não me lembro dessa inovação toda não, só lembro que andava num corredorzinho e lutava, andava num corredorzinho e lutava, diálogo, diálogo, diálogo, andava num corredorzinho e lutava.

Incrível é ler o que vc disse e ver que praticamente é isso. E olhe que nem cheguei perto desse jogo! E que o convidado é um retardado, porque eu ri de vc descrevendo o gameplay lembrando da seriedade dele ao defender isso. Ri pra kct!! Eu não entendo pessoas que se dizem tão ¨entendidas de games" confundir dificuldade retardada como algo complexo que necessita de estratégia. Acredito eu, que ele deve ter usado muita estratégia pra vencer um boss de KOF... Enfim, deixa pra lá!

Beijinhos!! ><

Anônimo disse...

Não se trata de novidade Final Fantasy lixo e jogado, mas a Square joga historias meia boca em FF para melhorar os gráficos, e lucrar com os acordos com outras empresas de jogos, e com estúdios de Hollywood, e não há o que negar isso, pois tenho amigos que só tão na expectativa para o FF15 por causa dos gráficos, e credo, eu acho que foi inteligente a SquareEnix dar uma retardada no FF15, para se focar no Kingdom Hearts 3.

Thiago Lima disse...

Concordo muito contigo em diversos pontos. A ideia de ter os personagens "amaldiçoados" com um focus, e viverem uma encruzilhada de poderem virar um monstro ou um cristal a qualquer momento, foi muito boa e me empolgou bastante, mas infelizmente foi muito mal aproveitada pois o restante do roteiro lixo estragou as possibilidades dessa ideia.

De tudo o pior foi a motivação do todo jogo. Essa história dos fal'Cie usarem os humanos para criar guerras e mortes, só para chamar a atenção do criador, é estúpida demais. E a desculpa de que "não faz parte da natureza deles se envolver", para eles mesmo não fazerem o trabalho sujo, foi difícil de engolir.

Você não citou um problema muito grave que o jogo tem: temos a liberdade de escolher os personagens e o time que queremos apenas muito próximo do final do jogo. Em quase todo o jogo, somos obrigados a nos virar com os personagens e suas limitações que têm limites para evoluir.

E se somarmos isso as lojas online que são inúteis, pois nunca temos dinheiro suficiente (Eu não evolui as armas em nenhuma parte do jogo), o que sobra é algo bem distante de um Final Fantasy. FF13 foi um grande retrocesso em relação a FF12, que apontava para um RPG de mundo aberto.

Mas discordo de você em relação aos personagens. Achei eles carismáticos e com uma boa história pessoal. Personagens ruins eram os de FF12, pois eram totalmente genéricos, sem história para contar.

Anônimo disse...

Não foi Toriyama que escreveu essa versão que é p 13!!!

V.L

Anônimo disse...

O seu idiota babaca se vc não gosta
Tanto assim do jogo pq vc fez essa post? Vc fala mau assim do jogo pq não faz um melhor? Tá que esse jogo
Mas n presisava fazer esse post

Juninho! disse...

Precisou do anonimato pra jogar a raivinha fora. Ui, poderosa.

Galomortalbr disse...

Por que ele não é uma mega corporação multi millionaria

Unknown disse...

Ff 13 foi a maior. Bosta total que já joguei, aliás cada vez sinto mais que os ff e actuais em vez d me darem vontade de jogar tenho que ter paciência para jogar. Ff só ganha em gráficos para fans que apenas exigem isso a nível historia, ainds n vi nenhum com uma história bem concebida com pés e cabeça mas pronto cá está e é por isso que chamam fantasia final cada fantasia com a suas incoerências

Unknown disse...

Ff 13 foi a maior. Bosta total que já joguei, aliás cada vez sinto mais que os ff e actuais em vez d me darem vontade de jogar tenho que ter paciência para jogar. Ff só ganha em gráficos para fans que apenas exigem isso a nível historia, ainds n vi nenhum com uma história bem concebida com pés e cabeça mas pronto cá está e é por isso que chamam fantasia final cada fantasia com a suas incoerências

Unknown disse...

Ff 13 foi a pior bosta que já joguei cada vez sinto menos vontade d apostar nos novos ff em vez d me darem vontade d jogar tenho que ter paciência. Os ff so ganham pelos gráficos para fans pouco exigentes, nível d história ainds n vi nenhum. Bem concebido com pés e cabeça. Apesar d fã tenho coerência total que os jogos não são perfeitos. Mas pronto há uns melhores que outros e os da geração antiga ainda ultrapassam os actuais

Unknown disse...

Ff 13 foi a pior bosta que já joguei cada vez sinto menos vontade d apostar nos novos ff em vez d me darem vontade d jogar tenho que ter paciência. Os ff so ganham pelos gráficos para fans pouco exigentes, nível d história ainds n vi nenhum. Bem concebido com pés e cabeça. Apesar d fã tenho coerência total que os jogos não são perfeitos. Mas pronto há uns melhores que outros e os da geração antiga ainda ultrapassam os actuais

Buckethead disse...

Eu devia ter lido esse post antes de comprar .. ;-; agora vou ter que jogar esta merda ....... :'(