14 de dezembro de 2014

Kratosvania - Lords of War


Era uma vez, uma bela camponesa que cuidava de seus amados anões.

Seu nome, era Konami.

Ela de repente, teve a ideia de dar um tiro em um dos seus 3 anões durante mais um de seus surtos psicóticos. O nome desse anão era Silent Hill.

Ela tentou dar o tiro no segundo, um tal de Metal Gear Solid mas esse tinha um santo forte, o seu protetor sagrado chamado Hideo Kojima, esse ser místico do além alegava que esse era seu corpo e seu sangue e que o protegeria como um bom Jesus 2.0 que é para os games.

Então sobrou o terceiro anão, um anão que havia crescido e se desenvolvido bastante, estava bem gordinho, afinal vivia se alimentando de coisas boas na sua franquia, seu nome... Castlevania.

De repente, Konami acordou, bateu o dedão na quina do móvel da cozinha e ficou puta de ódio, pegou seu espingardão e saiu em busca de alguém pra atirar, como já havia matado um de seus três anões e o outro não podia morrer, então sobrou somente o gordinho Castlevania, então ela deu um mega tiro nele. E o matou.

Assim surgia Lords of Shadow, jogo que me recuso de todas as formas a chamar de Castlevania.

Porque durante uma pesquisa, Konami descobriu uma coisa chamada alquimia, e com isso conseguiu ressuscitar Silent Hill (Downpour) e agora ele cresce rápido e forte porque o santo protetor de Metal Gear Solid ficou com pena dele e decidiu que dividiria sua sagrada bênção com ele, mas Konami tentou de novo, e falhou. Por isso nasceu Kratosvania ao invés de Castlevania, usando o corpo de seu antecessor, um novo ser nasceu, um ser maligno e deformado.


Mas... Por que tanta piada? Por que tanto deboche? O jogo é ruim?

SIM! EU VOS DIGO!

Sim! Ele é e muito ruim! Mas os motivos de tanto ódio não são meramente gratuitos. Se você acha que não curti por ser um outro tipo de jogo, engano seu. E como se enganou.

Debaixo dos caracóis... Dos seus cabelos...

O jogo não precisa de coisas como comparações pra ser ruim. Não é como Silent Hill Downpour que é bom mas se comparado aos clássicos poderia ser visto como ruim. Lords of Shadow é um jogo ruim sozinho, sem nenhum tipo de esforço envolvido. Vou mostrar tudo que penso depois de terminar esse abordo mal passado.

Me digam, qual é o foco de todo e qualquer Castlevania? Mecânica. Simples e pura mecânica, seja nas fases side-scrolling ou então na exploração dos metroidvanias usando seus gimmicks jogo a jogo e aprimorando tudo que temos em mãos pra assim perdermos horas, dias, meses e anos das nossas vidas e por causa disso que jogos como Symphony of the Night, Aria of Sorrow, Circle of the Moon e Order of Ecclesia são exemplos de jogos da série que são vivos até hoje, que vendem digital até hoje, que são bem aceitos e muito jogados mesmo em tempos atuais com o passar de tantos anos.

Não, isso NÃO É NOSTALGIA. Isso se chama jogo ATEMPORAL. Ele supera a barreira do tempo e fica preso entre o antigo e o novo, nunca perdendo a graça. Isso é um bom Castlevania e tem mais uma porrada de jogos da franquia tão bons quanto funcionando da mesma exata maneira.

E o que é Lords of Shadow? Uma verdadeira aberração genérica. Somente isso.

Imagine o seguinte, você ta numa mesa com seus colaboradores e todos dizem:

"Olha, por que não fazemos como sempre, a gente bota um castelo gigante, mil upgrades, um personagem qualquer e bota muita exploração pra nego perder no mínimo uns 3 anos da vida dele jogando de novo e de novo"

"Vou bicar esse viadinho só de zoa"

E aí um fala:

"Não, vamos INOVAR, vamos deixar exatamente igual à God of War porém pior"

E todos aplaudem de pé falando que é uma ideia genial. É só isso que rolou.

Me digam, é fácil fazer um Castlevania novo? Não! Não é, tem Castlevania com chicote, com espada, com mago, com criador de armas... Por que é difícil pegar e criar uma ideia simples e nova dentro de um contexto funcional?

Eles fizeram simplesmente o contrário, pegaram a ideia base de hack'n'slash sem refinamento (já explico o por que), botaram um personagem tão sem carisma quanto quase qualquer outro e simplesmente enfiaram você, o jogador, numa linha reta de vinte horas. E... Só!

Mas o que torna tudo tão ruim? God of War é uma linha reta e é divertido, por que Lords of Shadow não seria?

Começando pela parte que mais me ofende. Castlevania sempre teve histórias tipicamente ruins, é um cara qualquer do bem, seja ele humano, meio vampiro ou meio vendedor Jequiti, tanto faz. Contra um ser do mal que é ninguém mais e ninguém menos que Drácula, o conde dos vampiros por qualquer motivo que seja. Isso é o background básico de qualquer jogo da série e que é totalmente simples e honesto consigo mesmo. Sem tentar parecer profundo ou maduro.

"Por favor, me agarre e me possua, afinal sou a personagem demônio feminino fan service que TEM que cantar o protagonista."

Lords of Shadow vai justamente pela linha oposta, sendo um jogo com a mesma ideia, um cara do bem que perdeu a esposa por ele mesmo (fracote manipulado) enquanto era controlado (viu, eu falei que era fracote) por um cara que não sei como ele não percebeu que era o famoso "vilão disfarçado de amigo", nisso tudo, Kratos Gabriel Belmont, vai em busca de uma máscara que daria a ele poderes pra ressuscitar sua amada... Quando na verdade era manipulado pelo amigo genérico do mal. Que só esperou a hora de lhe passar a perna.

Pra chegar lá, ele matou todos os SENHORES DAS SOMBRAS (meu deus que nome ridículo) e assim que chega lá, Zobek, o amigo do mau e narrador do jogo nas horas vagas se mostra ser o Lorde Necromante, líder dos Lords e que na verdade estava por trás de tudo até... QUE O CAPETA APARECE E MOSTRA QUEM MANDA!

Sim, literalmente. Trocar Drácula por Diabo/Satan/Exu/Belzebu/Capeta é simplesmente uma ideia ainda pior e ainda mais genérica do que antes, e eu diria que ainda mais infantil. Eu retiro tudo que disse sobre DmC ter a pior história de um hack'n'slash, esse posto já era ocupado por Lords of Shadow e eu nem sabia, porque além de tudo, é ABSURDAMENTE FORÇADO, e muuuuuuuuito monótono a cada mísero segundo e dormi umas 5 vezes jogando e acordava com uma queda do controle do meu Xbox 360.

Esse é Zobek, conhecido na internet como "amigo genérico previsível que vai trair o protagonista"

Maldito jogo, estragando controles causando sonolência em jogadores...

Em termos de história ruim o DmC é muito melhor (ou pior?) porque ele ao menos me deixou com raiva mas acordado, enquanto Final Fantasy XIII e Lords of Shadow me fizeram dormir.

Pior de ser uma história ruim, é ela se levar a sério como se fosse boa ou profunda, pagando de adulta tentando te convencer a cada instante cortando sua ação pra mostrar um diálogo ou cutscene.

Cortar a sua ação pra mostrar história é uma coisa excelente quando a história é boa, tal como Metal Gear Rising, entretanto quando ela é ruim, ela só incomoda ainda mais como Lords of Shadow, isso é só o começo de todo um pacote de erros desse maldito jogo genérico que denigre a imagem da franquia Castlevania.

Não é atoa que quando chamam ele de Castlevania, eu demoro pra associar, em minha mente ele se chama Kratosvania.


Sabe por que? Porque é mais ou menos o seguinte: lembra quando eu disse de plágio de God of War?

Tudo poderia ser resumido à isso:


Então. Se você ainda teve a sorte de NÃO jogar esse jogo, eu vou te falar. Sabe a Vampire Killer? Não me refiro à música e sim ao chicote clássico que os Belmont, Morris e Nathan Graves usaram. Tá ligado?

Então, transformaram ele numa cruz com uma corrente gigante e que bate de forma ondulada igual à quem? Adivinha? KRATOS!

Diga Oi pro novo design da Vampire Killer

Além da mera cópia visual, entra o problema. O gameplay é muito ruim. Vamos ao que importa, God of War é um jogo casual, simples, curto e divertido, tem mecânicas simples e faz uso do pouco que te oferece do começo ao fim do jogo, seja nas finalizações, combos em área ou combos em inimigos focados.

O que temos em Kratosvania? Um jogo que simplesmente... tem um milhão de combos porque não servem pra absolutamente nada.

"Uai Juninho, como assim serve pra nada? Tá ali na lista sem motivo?"

E eu posso tranquilamente dizer: SIM!

O motivo pra isso é claro: os inimigos não sentem o impacto da porrada que você dá neles.

Sim, isso mesmo, você começa um combo, não importa qual seja (testei todos) e o monstro não sente bem a porrada, ele pode muito bem do nada te dar um golpe e como você ta ali vendo aquele monte de golpe acertando nele, e muito rápido, você não imagina que ele pode te cortar, até entender que o jogo é inteiramente baseado em esquivar e bater, mas não pode esquivar demais porque assim você não bate nada e se bater demais ta fadado à apanhar eventualmente.



Isso definitivamente não é uma ideia boa pra um hack'n'slash. Falta de impacto nos monstros, foco em esquiva e nada que seja bom o suficiente pra prender a atenção com um bom diferencial...

Definitivamente, você pode não gostar de God of War, mas vamos admitir que é um jogo muitíssimo bem feito. E Kratosvania não chega PERTO disso seja em movimentação, fluidez, combate ou mesmo no fator diversão pelo simples fato do gameplay de LoS ser ridiculamente retardado.

Achou pouco ele copiar God of War? Então se prepara, ele tenta e falha miseravelmente em vários momentos... COPIAR SHADOW OF THE COLOSSUS!

Sim, batalhas contra gigantes, e etc, PORÉM com a delícia de câmera de bosta do jogo, fica tudo ainda pior.

Primeiro de tudo, copia mal essa ideia também e ela não funciona bem por natureza, e a câmera só deixa tudo pior porque em alguns momentos a batalha fica focada em mostrar o colosso (que aqui é titã, mas tanto faz) e não mostra literalmente nada do personagem que controlamos.

Uma das partes onde o jogo copia Shadow of the Colossus. E muito mal por sinal.

A câmera é um problema fortíssimo de todo o jogo, ela vai eventualmente te atrapalhar porque mostra uma parede, ou não mostra Gabriel, ou fica longe demais, ou perto demais... Falando sério, são raros os momentos onde ela realmente funciona, tipo quando se enfrenta algum chefe que não tem 20 andares de altura. Nesses casos, ela funciona tão maravilhosamente bem, que me deixou duas vezes mais puto. O motivo é simples, acertar na parte mais difícil e errar na mais fácil.

Gabriel tem a velha ideia dos Castlevanias anteriores, mata um chefe e ganha um upgrade, seja ele dois pulos, corrida ou demais coisas que acabam se tornando iditoas.

Sem dúvidas os mais úteis são as barras azul e vermelha. Os poderes Holy e Shadow Magics.

Basicamente, o Shadow faz os monstros terem um pouco de impacto, ainda podendo te cortar eventualmente e o Holy regenera seu HP a cada porrada que você acerta nos inimigos.

Isso faz algum sentido pra você além de deixar o jogo ainda mais casual e facilitado pra bundões? Eu imaginei que não.

Tem até partes de montarias nos monstros, minha nossa senhora, pelas barbas do Conde Drácula, quem liga pra isso?

"Não jogue esse lixo" - Tá vendo, ouça o Pan

Pense na minha insatisfação ao saber que Metal Gear Rising foi mega divertido de se jogar nas 3 vezes que joguei em seguida e no quanto foi ruim jogar Lords of Shadow uma única vez. Enquanto MGR tem 5 horas de campanha (apesar do gigante fator replay ultra divertido), LoS tem simplesmente VINTE HORAS DE CAMPANHA!

VINTE FUCKING MALDITAS HORAS DE TÉDIO NUMA CAMPANHA!

Prestem atenção, quantos jogos dignos no hack'n'slash tem essa duração?

Ninja Gaiden Sigma ou Devil May Cry 3 na primeira vez que você os termina. Talvez nem cheguem a tanto. Com sorte devem chegar nas 15 ou 16 horas. Agora imagina um jogo tedioso chegar a vinte. VINTE!

Sabe o que é ainda pior, existem "puzzles" em Lords of Shadow, puzzles tão dignos que fariam qualquer pessoa com mais de 2 pontos de QI morrer de vergonha.

Empurrar estátuas ou direcionar pilares de luz... E ainda brotar na tela PUZZLE SOLVED como se você tivesse  resolvido o enigma do século?


Ah fala sério Konami. Já não basta dar a série pra um bando de amadores como esses da Mercury Steam, e ainda vem me chamar de bundão dessa forma? Eu já to perdendo o tempo jogando essa porra, num parte pra ofensa gratuita.

Quer mais que isso? As batalhas com os chefes são todas iguais. Esquiva e bate, esquiva e bate e depois repete o procedimento mil vezes até... APARECER UM MILHÃO DE QUICK TIME EVENTS.

Detalhe: Ou você mata no QTE, ou não mata. Tipo God of War, só que ainda mais chato porque pra variar... erraram a mão e excederam BASTANTE o número de QTE's. Lembrando que tem QTE pra abrir porta, matar chefe, comprar Avon e tudo mais. É QTE ao extremo do extremo. Nem eu que curti Resident Evil 6 consegui jogar o LoS sem achar tedioso.

Lembrando que no RE6 eram em partes onde se era agarrado ou coisas mais simples (apesar de sim, ter demais) enquanto no LoS é pra absolutamente tudo. Segundo fontes, no 2 você pode tirar essa opção nos menus. Só pra vocês terem uma vaga ideia da parada.

Outro fator incômodo, tudo que você precisa fazer é jogado na sua cara e atropelando a sua possibilidade de tentar descobrir o que deve ser feito, sempre algo vai piscar, brilhar ou usar holofotes de neon GIGANTESCOS mostrando que é exatamente ali que você deve ir, ou tem algo a ser feito lá. E normalmente é tão óbvio que nem sei por que diabos colocaram essa merda.

Piorando tudo ainda mais, na batalha final contra o filho bastardo de deus, Gabriel fica invencível porque tem o PODER DE DEUS e simplesmente fica LITERALMENTE INVENCÍVEL dentro da batalha.

Tem ideia do que é isso? Vocês tem IDEIA do que é uma batalha final do qual seu personagem fica INVENCÍVEL? É o CÚMULO da preguiça! Eu matei o Satan de primeira, afinal... Era quase impossível morrer. Mas quando ele quase morre... Ele solta várias argolas de energia em volta dele, aí basta usar os poderes que você ganha (holy e shadow) e bingo, chega perto e mata. Não tem desafio, não tem graça, não tem nada além de pura preguiça ao tentar reinventar o jogo deixando tudo na mão de amadores e que por sinal nem tentaram criar nada e somente copiaram de maneira levemente alterada ideias de outros jogos.

Ui, o capeta aqui é sarado e usa uma tanguinha de trevas.

Se ainda alterassem de forma positiva, beleza. Vejamos por exemplo Uncharted e Tomb Raider, não são idênticos mas são super parecidos e igualmente bons. Entendem onde eu quero chegar?

Lords of Shadow não parece Castlevania, copia God of War e NÃO É BOM.

Ele é um jogo que simplesmente adentra na moda do Hack'n'slash da maneira errada, ou seja, sem gerar nada novo ou pelo menos usar ideias já usadas de forma decente, ele só é escroto porque é focado em esquiva e bater mas nem muito um ou outro, tem uma trilha sonora bem esquecível (e não, não é ruim, mas é genéééérica....), uma história que além de escrota e estúpida, te corta a ação toda hora, PORÉM com gráficos lindos.

Sinceramente... Se você se impressiona graficamente, talvez goste do jogo, mas só assim, porque pegaram tudo que Castlevania tinha de ótimo, a progressão, as músicas, a exploração e a mudança de gameplay que sempre tinha de jogo pra jogo apresentando gimmicks únicos e jogaram tudo NO LIXO! Pra simplesmente no final de tudo fazer um jogo de ação genérico, sem graça, que é nada menos que uma linha reta de 20 horas.

Gabriel até tem estilo pra matar os monstros ou alguns chefes... mas isso não salva o jogo. Certo?

Triste, eu sei. Porém verdade. Quer uma dica? Se for jogar de curiosidade... Jogue pirata. Jogue no PC ou no 360 de alguém, ou pegue emprestado... Mas NÃO compre. Não faça essa atrocidade à si mesmo, eu tive receio de comprar, não comprei. Comprei a versão Jack Sparrow e paguei 20 reais nos dois discos desse lixo e me arrependi amargamente.

Achei caro. Eu podia ter limpado a bunda com esse dinheiro, seria muito mais útil.

Caso você ainda não saiba, ISSO é o Drácula. Digam Oi pra ele.

É um jogo equivocado, com pouquíssimas coisas boas e que não salvam o mar de merda que ele é no final das contas. Tão verdade, que os fãs odiaram, e se o Mirror of Fate do 3DS saiu pra outros consoles em HD (mesmo que um HD porco de doer) foi porque os fãs imploraram pelo amor de Drácula que lançassem o único jogo que realmente parecia um legítimo Castlevania. Mesmo que nem tão legítimo assim...

Fechando com chave de bosta, temos uma história ruim que de quebra, mostra no final Gabriel sendo condenado por deus por vencer o filho dele e por ter matado pessoas inocentes (mesmo quando estava sendo controlado) com a vida eterna... Com isso ele se transforma em Drácula. Mas COMO EXATAMENTE ISSO ACONTECE... Ahá. Vai ter que comprar uma DLC! Porque história "boa" é assim: Além de ruim, se quiser ver ela inteira, vai ter que desembolsar.

Lords of Shadow é tão ruim, que muitos ainda acham ele pior que o Castlevania II: Simon's Quest. Sentiu o drama?

E não fiquem tristes, eu jogarei o Mirror of Fate e o Lords of Shadow 2. No fundo, acho que sou meio masoquista.

2 comentários:

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

a sua historinha no começo do post até faz sentido sobre o que fizeram com a franquia.

eu acho, não tenho certeza, que o motivos que levaram a Konami a fazer um GOW transvestido de Castlevnia é justamente o medo de acharem que o game não seria bem recebido se tivesse a mesma fórmula da série.

podia ser uma receita "batida" mas era funcional!! cacete!! por que raios eles inventaram de mexer?

sobre a história e tal, em nenhum momento senti empatia pelo Gabriel. vai ver porque eu já sabia o que ia acontecer com o mesmo no final. e sim, a Carmilla me fez dar um sorriso...mas foi por pouco tempo. e concordo, pôr Satanas como boss final é tão....nada a ver.

eu confesso que imaginava um Castlevania onde nós controlariamos o Drácula. ele começando como um vampiro comum, dado a uma desgraça na familia. ele poderia tentar ajudar as pessoas no começo com suas habilidades e poderes, mas com o tempo, ele se corrompia e o boss final seria um Vampiro overpower e Drácula tomaria o seu lugar como o rei dos seres da noite.

tanto que o final do game, eu imaginaria ele encontrando a tal da Lisa (a mãe do Alucard) e daria naquela merda que aconteceu em Castlevania 3/Simphony of The Ninght.

mas não, vamos fazer um reboot para justificar as habilidades dos Belmont...e nem vou falar da luta contra os chefes.

"Eu retiro tudo que disse sobre DmC ter a pior história de um hack'n'slash, esse posto já era ocupado por Lords of Shadow e eu nem sabia, porque além de tudo, é ABSURDAMENTE FORÇADO, e muuuuuuuuito monótono a cada mísero segundo e dormi umas 5 vezes jogando e acordava com uma queda do controle do meu Xbox 360."

já te disse Junin, eu só aguentei esse jogo sem dormir, devido a ouvir Black Sabbath no fone de ouvido e somente jogava duas fases por dia e ainda sim achava muito.

mais um post foda hater como sempre! esperando o post de Lords of Shadows 2. hehehee

Anônimo disse...

Ê geração playstation, só fala bosta.