27 de fevereiro de 2014

Shin Megami Tensei: Persona 4


E aí personas!

This fucking bad joke returns!

Vocês devem estar pensando que sou muito fã da série Persona.

E de fato, não estão errados, já falei de Persona 2 Innocent Sin, Persona 2 Eternal Punishment, e Persona 3 de forma geral.

Algum dia falarei sobre Persona 2 de modo geral e explicarei o motivo pelo qual defendo dele ser melhor que os outros de forma geral, mas agora não! Agora é a hora da análise do 4.

Eu já falei sobre Persona aqui no ocidente e todos os problemas encontrados na postagem do 3, não vou repetir aqui porque senão fica chato!

Shin Megami Tensei: Persona 4 é simplesmente o quinto jogo da franquia, afinal o 2 são duas partes e até os cachorros de rua já sabem disso à essa altura de campeonato.

Os outros não é garantido que já tenha ouvido falar mas do 4 você já ouviu falar, certo? Eu sei que sim!


Persona 4 hoje em dia se tornou uma franquia, temos um JRPG que virou até mesmo anime, um remake portado pro PS Vita, um jogo de luta, e mais dois games da franquia anunciados entre eles um JRPG misturando a galera do 4 e 3 e um jogo DE DANÇA. Sério! Não, não é zueragem minha, pode pesquisar...

Provando que caça-níqueis estão em toda parte, se alastrando como ervas daninhas ou como uma infestação zumbi à nível de Raccon City!

Mas Persona 4 supera seu jogo anterior? Ou é um (outro) passo pra trás se tratando dessa franquia?

Vamos descobrir!

O que antes era uma aventura na cidade grande, agora é uma aventura numa cidade rural do Japão, aqui você controla o personagem sem nome de sempre, batizando ele como bem entender e que teve algum problema sem importância que faz com que ele precise se mudar pro interior e com isso passe a conviver com seu tio e prima.

Essa é a ponta do iceberg, somente o começo de tudo!

Dojima, seu tio, é um cara que trabalha na polícia e tem uma vida atarefada e difícil, e Nanako sua priminha de 7 anos é a filha que apesar de bem madura pra sua idade, sofre relativamente pela "ausência" do pai mas entende tudo e até mesmo faz os serviços domésticos e etc.

Essa garota é realmente a personagem fofinha mais foda que eu já vi num game. Sério, eu detesto essas garotinhas kawaiis sem noção que todo jogo tem, mas aqui ela não é puramente kawaii.


Trata-se de Persona, isso aqui não é um RPG comum. Nanako é uma criança, seu carisma e doçura ultrapassam todos os limites da compreensão, se você vê Nanako durante o game e acha ela chata ou irritante você no mínimo está morto por dentro!

MORTO POR DENTRO! LEU BEM? MORTO POR DENTRO! QUANTAS MOSCAS FICAM RODEANDO SEU CORPO PÚTRIDO DURANTE O DIA? HEIN? ME DIZ?

*Caham*

Tudo começa indo à escola, vendo os dias passarem até que do nada você descobre a existência de um "outro mundo "dentro da televisão. Parece bobo e retardado, mas é muito foda. Eu torci o nariz à princípio mas depois adorei a ideia como um todo! Acreditem em mim, é muito MUITO foda essa parada da televisão quando você entende como ela funciona e o que ela é.

Mas repetindo o mesmo problema do jogo anterior, aqui o seu personagem controlado é "especial" e graças à isso somente ele pode usar mais de uma persona (manifestações da sua personalidade), enquanto o restante de seu grupo só se tem um.

Porém, os personagens do seu grupo aqui tem mais profundidade que a galera do 3 (já que no 3 era só esperar o evento de cada um), tanto é que pra se ter o Persona de cada um é necessário fazer com que eles vejam tudo que eles tem de ruim e aceitar que aquilo é parte deles, não é algo fácil, se imagine olhando tudo que você tem de ruim e sendo obrigado à engolir que aquilo é parte de você!?!?!?!


Parece ruim, eu sei! Mas aceitar a si mesmo é o primeiro passo pra se ter um Persona, e isso é executado de maneira sensacional!

Tudo isso misturado ao mistério de um assassino que "executa" suas vítimas de forma absurdamente confusa, nunca as vítimas estão meramente machucadas ou com digitais, somente aparecem mortas nas antenas de TV da cidade. Penduradas ou jogadas e etc...

Isso é só o começo do enredo de Persona 4, e na verdade tudo dele gira em torno de resolver tudo isso, ajudar seus amigos e viver uma vida normal. Mas "viver" a vida normal é o começo do problema.

Antes de me xingar nos comentários dizendo que sou fanboy de Persona 2 (o que não chega a ser mentira) e que odeio o 3 e o 4 (isso sim seria mentira)... Leia com MUITA atenção tudo que eu direi e irão entender (ao menos é o que eu espero) que eu GOSTO do jogo, e pra caralho! Mas não dá pra negar que o jogo tem problemas só porque ele é bom, o fato dele ser bom não o torna perfeito!

Primeiro de tudo, o jogo te "obriga" a duas coisas.

Viver normalmente e pegar batalhas feito um maluco desenfreado.

"Mas Juninho, seu tosco, o 3 era assim e num te vi reclamando."

Já falei pra guardar essa faca! Abaixou? Ah sim, agora vamos continuar!

O problema está em coisas que se interligam.


Genialmente, esse jogo, sem ironias, trouxe uma parada muito interessante, que é a ligação do clima da cidade com os eventos, aqui a chuva e a névoa tem TOTAL importância pro enredo do jogo, e a ligação deles seria um pequeno spoiler, mas não vou fazer isso com quem não jogou!

O problema está no "limite" de tempo que se tem pra salvar cada pessoa jogada na televisão e que corre risco de vida, mas essa ideia era pra ser boa, o problema está no fato de que você como jogador, como quem controla o personagem é muitas vezes OBRIGADO à ir pra casa dormir e somente voltar na dungeon no outro dia...

Itens de SP aqui são raros, e é mais fácil achar gente que veja a Regina Casé como atraete e gostosa do que encontrar um item desse no jogo, e não estão à venda. NUNCA ESTÃO À VENDA! E quando o seu SP acaba, você tem que pagar a maldita raposa que te cobra MUITO caro pra te recuperar somente o SP ou ir pra casa dormir...

O motivo disso ser um problema é que existem os Social Links, e os dias da semana vão passando e o jogo tem data pra tudo, e se você não salvar a pessoa até determinada data, ela morre, e o jogo dá game over e te faz dar Load no ultimo evento.

Você vai ter que consultar o clima constantemente, faz parte do enredo saber desse detalhe.

Isso acaba transformando o jogo em uma campanha gigante dividida em dois grandes momentos que sempre se repetem, ou seja:

Pegar MUITA batalha, evitando que se passem muitos dias pra não perder Social Link's e com isso evoluir, chegar ao chefe da masmorra e desvendar o evento, e depois disso esperar o próximo evento vendo horas e mais horas de SOMENTE Social Links, aulas, trabalhando pra juntar dinheiro, realizando atividades pra aumentar status e etc...

Visitar o Igor e fazer fusão é parte da experiência do game.

Social Links como no jogo anterior, te faz fortalecer as personas e etc, e é necessário mais do que nunca aqui ter o máximo possível, principalmente com os personagens do seu grupo, já que essa é a única maneira de fazer a personas deles evoluir. No 3 tinha eventos do enredo que faziam isso, e no 4 não, é necessário ir manualmente vendo cada detalhe de seu personagem e entender o amadurecimento deles de pouco à pouco. E isso é GENIAL!

Mas também tem outro problema...

Chie, Yukiko e Yosuke, os primeiros personagens do seu grupo, todos esses tem eventos de Social Link "automáticos" ou seja, o jogo eventualmente faz o deles aparecer, enquanto de Kanji, Naoto e Rise não, você tem que engatilha-los e o jogo não te orienta à isso, e sequer existe algo te falando a partir de quando isso é possível.

O jogo informa onde eles ficarão e os dias da semana. Ponto final! Sem uma devida orientação, fica complicado adivinhar que eu deveria engatilha-los já que o jogo me deu ao menos o engatilhamento de três personagens anteriores.

Eu mesmo sou um exemplo, meu personagem favorito é Kanji, eu fiquei esperando o evento dele acontecer e enquanto isso colocava a Chie no máximo, e depois vi que demorou demais e demais da conta mesmo... Até olhar na internet que o dele eu deveria engatilhar. E assim com todos os outros que eu citei.

Não vejo problema de eu mesmo engatilhar eles, uma vez que eu SAIBA disso. O jogo não orienta nesse aspecto, e isso é um tanto broxante, se eu ao menos soubesse, não haveria motivos pra reclamar.

Justamente por você conhece-los de dentro pra fora e entender ainda mais como eles são, todos os Social Links do jogo são bons mas os dos personagens são ainda melhores, justamente por eles aprofundarem ao extremo e você se sentir apegado de verdade à todos eles.



Outro ponto que me incomodou bastante é que no 3 os personagens eram mais "fracos" no geral e precisavam da arma pra invocar os Personas, aqui depois que os personagens os ganham, eles ganham a carta junto do seu devido arcana.

Sinceramente, eu acho besta o cara usar LITERALMENTE a carta do arcana dele pra invocar o Persona... Custava só fazer como no 2? Onde os caras liberavam pela própria força de vontade...?????

Isso é meio bobo, Persona é uma atmosfera mais madura e o jogo te convence disso, mas no 3 eles eram mais fracos porque precisavam de armas artificiais e agora no 4 eles ganham a carta que eles usam de forma literal pra invocar suas facetas interiores. E sinceramente, nem da pra escolher um dos dois, eu realmente desgosto de ambas as ideias. 

Mas esses problemas são pequenos perto do maior problema do jogo!

Calma, eu vou falar das qualidades.

O grande e maior problema do jogo, como um todo é sua atmosfera...

Em Persona 3, o problema a ser enfrentado não era tão próximo dos personagens jogáveis, lá haviam pessoas virando caixões e gente sendo afetada pela síndrome da apatia, mas no geral, havia um sentido, tudo aquilo acontecia com gente muito mais distante de você...

... enquanto aqui tem gente da sua sala, do seu convívio, que você vê constantemente sendo ameaçada de morte, e você simplesmente enfrenta isso nas horas vagas depois da escola e antes de dormir.


No 3 já era meio forçado, mas pela distância do problema com os personagens de forma geral, isso até era razoavelmente compreensível, mas no 4 não. No 4 é uma cidade pequena, onde TODO MUNDO se conhece, onde a fofoca rola solta e todos os problemas de uma cidade pequena existem aqui, logo, é muito mais "forçado" e empurrado o fato de enfrentar esse problema nas horas vagas. É algo tão próximo dos personagens que fica difícil imaginar alguém sabendo de tudo isso e simplesmente lutar contra nas horas vagas e indo ao mesmo tempo indo pra escola, fazendo provas e etc...

São detalhes como esse que quebram o clima mais sério e adulto do jogo! Em partes, chega a ser um potencial jogado fora. Mas não totalmente pelo menos.

Mesmo a história sendo fantástica e você podendo levar ela à sério, você acaba não levando o tempo inteiro por vários motivos, e a atmosfera do jogo é sem dúvida o maior desses problemas.

Aliado à uma música de batalha terrível de chata e tão mas tão feliz e pululante que chega a dar diabetes só de ouvir!!! Reach Out To The Truth é MUITO chata, ela não é necessariamente ruim mas como música de batalha... Ela é UM TREMENDO PORRE! Mas fico feliz de saber que quem jogar no PS Vita pela primeira vez terá uma música de batalha não muito boa no lugar, porém deveras melhor. E como ela é melhor.

Desce o cacete nele, Kanji!

Vale citar, que ela não é ruim, apenas DESTOA TOTALMENTE do clima de uma batalha, ainda mais de uma batalha com seres sobrenaturais e que poderiam te matar à qualquer vacilo (praxe de Shin Megami Tensei: vacilou, dançou), então ela acaba sendo ficando absolutamente fora de sintonia com um clima que era pra ser mais sombrio.

Cheguei a procurar um hack (pro PS2) só com qualquer outra música no lugar, ou Mass Destruction (saudades dela, viu...) sei lá, por que não músicas como de Pesona 2 ou Digital Devil Saga? POR QUE?

No geral a OST do 3 é melhor, mas a do 4 é tão competente quanto, porém músicas de batalha como essa e algumas de cenários chegam a irritar de tão felizes visto que estão num jogo onde deveria haver foco no seu enredo sobre assassinatos, realmente a música do jogo e o enredo acabam se conflitando de certa forma. Quebrando totalmente a seriedade dele.

E a música da última dungeon, OLHA ISSO A ÚLTIMA DUNGEON, a conclusão de tudo, você espera uma música dramática, com clima de "final" e aquela coisa toda. E simplesmente tem uma música que dá mais sono que música clássica.

Mas voltando a falar da quebra de clima...

Felizmente o jogo tem um excelente humor e essa cena é muito engraçada.
Ou seja, quando o enredo focado no assassinato acontece, você leva o jogo à sério, e nisso também me refiro aos personagens do seu grupo fazendo Social Links ou mesmo os outros personagens coadjuvantes que nós ajudamos pra entender seu crescimento, porém o jogo tem ainda mais eventos de escola, provas, e coisas do tipo que tiram totalmente a seriedade e nesses momentos infelizmente não tem a menor possibilidade levar o jogo à sério!

Até no 3 isso era um problema mas aqui virou um grandioso problema. Ao menos pra mim!

Com esses eventos maçantes e todo uma atmosfera absolutamente instável, eu acabei por não conseguir jogar ele muito tempo, eu sempre tinha que dar uma pausa do game, porque ele me cansava. Os outros que eu zerei (3 FES, 2 IS e 2 EP) eu zerei num pique que dava até inveja, eles não cansavam em nenhum aspecto. Enquanto o 4 virava e mexia eu precisava distrair a cabeça jogando outra coisa, mesmo que fosse um simples jogo mais arcade pra que eu pudesse descansar do jogo, porque é só batalha e mais batalha ou vida social e mais vida social.

O enredo mesmo, é bem mais curto que o 3  de forma geral, porém muito melhor e só por isso já valeria muito à pena como um todo!

Esse professor é um saco. Vai por mim.

Os personagens aqui tem mais significado, mais profundidade e com isso nos apegamos mais à eles, mesmo que a galera do 3 tenha mais carisma (ao menos pra mim), e nem vou comparar com a galera do 2 em geral porque seria covardia, mas a galera do 4 é realmente muito boa, Yukiko pode te surpreender depois que se conhece ela melhor, Chie passa a entender o real significado do que é proteger alguém sem se sentir superior por isso, Kanji enfrenta seus problemas com sua sexualidade (que coragem da Atlus fazer isso hoje em dia), Yosuke nos mostra um cara bobo que sofre muito mais do que aparenta, Rise mostra como a vida de famosa pode ser um horror e porque quer viver de forma simples e Naoto sofre por ser madura demais (sim, ela é ao contrário dos outros) e ser tratada como criança por sua idade...

E tem a bosta do Teddie. Que é tão tosco que o jogo faz o Social Link dele TODO PRA VOCÊ DE GRAÇA, automático mesmo. É só esperar os eventos dele e zás, você completa! Mas ele funciona absolutamente bem dentro do jogo. Eu só me recusei à jogar com ele...

Naoto que por sinal, uma das personagens mais interessantes também acabou se tornando um problema porque segundo me falaram, ela entra pro grupo aos 45 minutos do segundo tempo...


Mas não, ela entra é na cobrança de Penalty mesmo. PORRA! Ela entra no grupo tão tarde que fazer o Social Link dela completo é um desafio até pra quem é fã alienado da série e joga Persona como um louco!

Eu não ficaria surpreso se tivesse um troféu pra isso no Persona 4 The Golden do Vita. 

A jogabilidade do game é fantástica, simples e eficiente como sempre foi de costume da série Shin Megami Tensei, os personagens são mais bem detalhados que do 3, usando a mesma engine gráfica porém com pouco mais de detalhes, nada exagerado porém é bem notável a diferença.

O sistema é muito mais polido que seu jogo anterior. Muito mesmo! Primeiramente por se controlar todos os personagens ao invés de somente o principal. Principalmente por cada personagem ter uma habilidade única, é necessário fazer o Social Link com cada um deles ao máximo pra abrir e ver todas as suas possibilidades, mas algumas coisas são pra todos tipo tirar um status negativo ou levantar quando é acertado com sua fraqueza.

Se você tiver a possibiliade de jogar o 3, jogue o Portable porque ele também permite jogar com todos. E particularmente controlar somente o principal é algo que eu acho bem idiota e ele morrer dentro da batalha dar game over também. E isso acontece nos dois jogos.

Eu REALMENTE não gosto disso. Acho uma forçada de barra fora de controle, não é necessário isso, as batalhas são meramente aspectos do gameplay do jogo, chega a ser totalmente retardado.

Fundir os personas como todo bom e clássico jogo da franquia Shin Megami Tensei também está presente aqui, sempre descartando os mais fracos e evoluindo-os semre que possível. Até o ponto que se deva troca-los de novo... Claro!



As músicas como eu disse, no geral são muito boas, pena que a de batalha seja absolutamente terrível, e eu senti falta das magias combinadas do 3, não sei porque tiraram aqui no 4. Era uma ideia muitíssimo boa. No 3 era apelão e tinha como ganhar batalhas inteiras com Fusion Spells, porém era só diminuir o fator overpower e não simplesmente remover esse conteúdo do game.

E o jogo tem 3 finais, sendo um deles ruim, um bom e um muito bom que seria no caso, o verdadeiro!

Eu fiquei deveras desapontado com o fator "descobrir quem é o assassino" que TODO MUNDO falava assim:

"CARALHO, QUE FODA, QUE SURPREENDENTE, QUE INCRÍVEL, QUE COISA DE OUTRO MUNDO. NUNCA VI NADA PARECIDO. UHUL!!!!!"

E vão me desculpar... Não é assim! Coisa incrível e surpreendente acontece é no final do Persona 2 Innocent Sin, pra quem acha que Kefka fez um bom desastre em Final Fantasy VI, precisam dar uma BOA OLHADA no que Nyarlathotep fez no final do Innocent Sin.

Retomando...

O jogo vai chegar num ponto onde te oferece dois possíveis criminosos (não vou dar spoiler)... E acaba sendo algo como o "óbvio" e o "cara que ninguém da a mínima".

Quando o óbvio é eliminado só resta o "cara óbvio que ninguém dá a mínima".

Sério, nem é tão difícil deduzir, difícil eu diria que é chegar até ele, já que você pode fazer alguma cagada e perder a chance de prende-lo fazendo o final ruim...

Mas se prestar atenção, irá perceber que existem "buracos" no mistério sendo resolvido, quando a parada começa a se resolver, alguns buracos ficam sem ser tapados, e é aí que você pensa: "Porra, ta faltando explicação pra isso e aquilo, será que é por aí mesmo?"

Se ficar bastante ligado no enredo, como eu fiz apesar das pausas que tive que dar, vai entender onde falta e não vai deixar o final verdadeiro passar. Até mesmo. Eu diria que pra quem lê o enredo é até difícil fazer o final ruim.

Apesar de que se tratando do final verdadeiro, tem uma coisa ou outra improvável mas acontece que mesmo depois de prender o assassino, ainda faltarão alguns poucos buracos, e é aí que você deve se manter totalmente ligado ao enredo pra não deixar passar. A sugestão de ter 2 ou 3 saves é realmente a melhor opção pra isso.

Of course Rise. We trust in you!

Apesar de todos os problemas com o clima do jogo (ironia, porque o enredo é focado em outro "clima" haha) o jogo continua fantástico e é sem dúvidas melhor que qualquer Final Fantasy sem a menor sombra de dúvidas, caso você goste MUITO dessa parte de viver o dia a dia, provas, amigos no Social Link e etc, vai ficar ultra satisfeito com o jogo, porque ele é a versão turbinada de tudo que já havia no 3, o que eu achei ruim foi justamente a falta de dosagem nas coisas e elas sempre em termos obrigatórias.

Infelizmente, não chega nem perto da sombra do que Persona 2 representa pra mim e pra todos os gamers fãs de Shin Megami Tensei, mas a aprovação geral é bem alta, muita gente que não é familiarizado com Shin Megami Tensei acabou conhecendo através desse jogo e isso é ótimo!

Qualquer dia desses, farei um mega post sobre uma comparação entre Persona 3 e 4, e outra dizendo os (muitos) motivos pelo qual Persona 2 como um todo é muito melhor!

Muita gente considera Persona 4 o melhor jogo da franquia SMT ou mesmo dos melhores jogos já lançados e eu sinceramente discordo. Ele é excelente mas jogos como Persona 2 ou mesmo Digital Devil Saga ficam um tanto quanto ofuscados por causa do sucesso comercial de outros.

Digital Devil Saga tem um dos enredos mais brilhantes e com um dos plot twists mais incríveis que eu já vi, e eu nem to jogando, somente vi e ouvi tudo do Dipaula, e eu mesmo jogando Persona 2 posso afirmar o mesmo dele em relação à Persona 3 e 4.

Personas na verdade são monstros e demônios das mais diversas mitologias, vale a pena ler sobre eles no Compendium

Um exemplo besta é sobre a questão das datas, os dias passando e existe um DIA CERTO pra enfrentar o último chefe tanto em Persona 3 como 4. E isso é muito bobo, a ameaça tem que ser real, tem que ser improvável e te pegar de surpresa (em termos de enredo), isso é muito bobo, sinceramente.

Ao menos em Persona 4, ninguém sabia de nada até acontecer e no 3 todo mundo vai se preparando dia após dias até a chegada do grande inimigo...

E não darei spoilers de como e porque mas chega a ser meio bobo porque existe um "porque sim" pras motivações da verdadeira ameaça do jogo, e que no Vita foi consertada de forma que... Continuou a mesma coisa. Por um outro lado, mas ainda assim ficou a mesma coisa.

Coisas assim, me deixaram profundamente desapontado, eu joguei Persona 3 primeiro e quando joguei o 2 meus olhos brilharam e eu simplesmente não consigo acreditar que essa mudança apesar de necessária afetaria tanto o jogo assim.

Mas com tantos problemas e tantas qualidades, ainda assim Persona 4 é dos RPG's mais fodas que eu já tive contato, principalmente pelo seu enredo base. Que é muito bom e estupidamente bem usado. O clima mais sério do jogo é totalmente foda, você fica muito preso no que ta rolando e dá muita vontade de descobrir e investigar.

Independente se você curte essa parte obrigatória, o enredo vale ouro e apesar de não ser nem de longe tão maduro como Persona 2, ainda é um excelente jogo. Eu recomendo fortemente.

Apesar da música de batalha açucarada que deixaria o jogador com diabetes...

Enjoy!

4 comentários:

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

Persona 4!!! AE!!

concordo que o game foi feito para ser mais comercial que o jogo anterior, é o jogo mais Otaku da franquia. tanto que do 1 ao 3, ou o clima é mais sombrio ou o final não tão feliz.

e a parte da tarefas que devem ser feitas pela semana, realmente deixa qualquer um embananado sobre o que fazer primeiro, mas como falei, eu upava para resolver o conflito logo para ficar livre o resto dos dias até a próxima pessoa ser a vítima da vez. dava até um alívio

e realmente, de todos os sites que vi até então, todo mundo gosta da Nanako e do Kanji. e o cara não é gay mesmo. tanto que era um dos primeiros a querer ver a Naoto de biquini...hehehe. e a Naoto é musa nesse jogo, uns gatos pingados piram pela Rise ou a Yukiko, mas a Chie e a Naoto são unanimidade na maioria.

e sobre as Personas, achei mais fácil somente o Yu ter mais de uma persona. é que nos anteriores eu ficava confuso em cada turno sobre qual trocar, mas concordo que os outros tivessem pelo menos umas 5 ou 6 Personas adicionais.

e só para constar, eu assisti o anime todo antes de jogar o game.

como falei antes: não ligo para spoiler

JC disse...

É legal ver como vc se apaixona pelos jogos favoritos mas está melhorando na radicalização das críticas ao que não gosta tanto assim.^^

O Review ficou bem bacana como sempre, mas ainda não entendo como vc reclama do sistema do jogo se é praticamente igual ao de P3 com melhors. O 3º jogo vc tem o mesmo limite de tempo de 1 mês pra cada dungeon, só muda que em vez do clima é a fase da lua que determina mas o período é o mesmo. No 3 tbm de incentivava a ipar os Slinks mas jamias te obriga a isso se não quiser.
No 3 vc só podia ir a noite as dungeons e tbm era forçado a grindar pra caramba.
Ativas as persona verdadeiras do grupo não é automático como no 3, mas na prática elas só mudam a forma. Dá pra terminar o jogo sem problemas com as iniciais, já que as skills são as mesmas, é só mais um incentivo pra conhecer mais os slinks.
A Naoto realmente é bem difícil de maximizar, ou mesmo iniciar o Slink, já que ele entra em 75% do jogo e exige que vc tenha upado atributos difíceis no personagem (academics e courage) pra te aceitar, mas se vc olhar no 3 era ainda pior com a (DEOSA) Mitisuru que estava com vc desde o começo mas só ativava o Slink no ultimo mês do jogo com os mesmos requisitos. Perversidade.hehe
Pô, vc assistiu o anime ANTES do jogo? Ai realmente fica na cara descobrir que é o assassino man...XD

Juninho! disse...

Pior que não, eu nem tive interesse de ver o anime, mas as questões forçadas do 3 pro 4 pioraram muito e o sistema do 4 é melhor e mais polido mas tiraram fusion spells e eu até deixei claro que mesmo assim o gameplay do 4 nas batalhas é melhor, porém é bem pior nessa parte de obrigar. Justamente pela questões dos itens de SP e tudo mais.

E fazer Social Link com Mitsuru é um inferno mesmo, só que é como eu disse, você já ve os eventos dela e não é necessário o SL pra poder entende-la melhor, como é o caso da Naoto, que se você não fizer, acaba vendo pouco dela, justamente porque o entendimento dos personagens do grupo depende disso. A ideia é muito boa mas no caso da Naoto foi mal usado pra cacete.

E o assassino é moleza de chutar, te juro que suspeitei que era o cara certo desde o começo do jogo, quando eu salvei o Kanji!

Jun Kurosu disse...

Eu odeio a Nanako e acho ela chata pra caralho.